SER PROFESSOR: VARIAÇÕES E ANCORAGENS DAS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS ENTRE DOCENTES INICIANTES

Lucivânia Barbosa Evangelista, Laêda Bezerra Machado

Resumo


Introdução: O que motivou o desenvolvimento desta pesquisa foi a realização de um estudo anterior com o qual identificamos limites na atuação de professores iniciantes. Assim, este trabalho tem como objetivo analisar as representações sociais da profissão docente para professores em início de carreira, que atuam na educação infantil e ensino fundamental de instituições públicas da Região Metropolitana do Recife. O estudo se mostra relevante, pois na produção científica sobre professores iniciantes não consta trabalhos orientados pela Teoria das Representações Sociais (TRS). Adotamos a abordagem societal de W. Doise. Segundo este autor, as representações sociais estão vinculadas a marcação social e aos grupos de pertencimento do sujeito. Na análise procuramos detectar as variações e ancoragens das representações sociais do ser professor entre os sujeitos.

Texto completo:

PDF

Referências


CERICATO, I.L. A profissão docente em análise no Brasil: uma revisão bibliográfica. Revista Brasileira de estudos pedagógicos. Brasília; v.97, n.245. p.273-289; maio/ago.2016.

DOTTA, L.T. Representações Sociais do ser professor. São Paulo: Alínea. 2006

DOISE, W. Da psicologia Social e Societal. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 18, n.1, (p.27-35), 2002.

HUBERMAN, M. O ciclo de vida profissional dos professores. In: NÓVOA, A. A. (Org.). Vida de professores. Porto: Porto Ed. 1992.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Semana  Pedagógica ISSN 2595-1572 (on line)