TEMÁTICAS E MEANDROS RELACIONADOS AOS ESPORTES NOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA DO CAV/UFPE

Luã Marcos dos Santos Silva, Hercilia Melo do do Nascimento, José Luis Simões

Resumo


Introdução: Sendo o esporte um dos conteúdos da educação física mais priorizados nos debates e práticas, o tema  também encontra lugar de reflexão na produção acadêmica da área. Por esta razão, ensejou-se um retrato provisório desse arranjo social, projetando luz sobre a realidade formativa a nível de graduação. Para entender o porquê de o esporte ser considerado um fenômeno social, é preciso adentrar em contextos sociais que o mesmo ocupa,  analisando alcance, impacto e repercussão em nossos dias e, talvez, com essa diagnose inicial, tenhamos aproximações do status que assume. Sua propagação na modernidade pode ser vista em peças legislativas, conceituado e dividido segundo as suas finalidades, sejam elas: desporto educacional, desporto de participação e desporto de rendimento (BRASIL, 1998). Tem-se  a percepção do esporte idealizado enquanto espetáculo e como meio de consumo, assim como agente transformador de vidas, meio de bem-estar e lazer dos indivíduos. Bracht, (1999) afirma que após o seu surgimento, o esporte tornou-se a expressão hegemônica nos contextos das práticas corporais e do movimento, como forma de cultura e educação. Tal é a importância do esporte que, até os dias atuais, pesquisadores de várias áreas são atraídos a elaborar pesquisas em seus diversos campos e abrangências. As pesquisas evidenciam a prática de esportes positiva para a saúde física e mental, como também favorável a ao rendimento escolar, associada à aquisição de regras de conduta, aprendizagem de valores e atitudes, como a perseverança, disciplina e colaboração (ROSE JUNIOR, 2009). No Projeto Pedagógico Curricular do Curso (PPC) de educação física do Centro Acadêmico de Vitória (CAV), da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), há anuncio que a formação qualificada preocupa-se em ampliar seus conhecimentos acadêmicos, científicos e humanos, por meio da sua participação em atividades de ensino, pesquisa e extensão, considerando-as como pilares para uma formação profissional competente (UFPE, 2014, p .17.). Mediante estas prerrogativas,  a presente pesquisa pretendeu colaborar com a produção do conhecimento científico através da reflexão sobre a formação inicial de graduandos em educação física, na perspectiva de constituição de jovens pesquisadores. Neste sentido, (re)pensar a formação de professores no que tange ao saber científico, pode auxiliar em mudanças curriculares futuras e/ou no curso de disciplinas de maior envolvimento investigativo. Nos dias atuais, o mundo assiste a emergência de um novo paradigma, com caráter econômico e produtivo, dando espaço intensivo à busca pelo conhecimento e informação, de acordo com Bernhein e Chauí (2008). Ao mesmo tempo, é reconhecido que o conhecimento é produzido em diversos âmbitos, mais próximos de cada realidade, deslocando-se dos círculos acadêmicos restritos e aproximando se do ambiente de sua aplicação. Segundo Severino (2017), o trabalho de conclusão de curso (TCC) é parte integrante da atividade curricular de muitos cursos de graduação, constituindo-se como iniciativa acertada e de extrema importância para o processo de aprendizagem dos alunos. Ele deve ser entendido e praticado como um trabalho científico, articulado ao próprio conteúdo do curso, quanto às disciplinas e ao convívio com os professores

Texto completo:

PDF

Referências


BRACHT, Valter. A constituição das teorias pedagógicas da educação física. Cadernos cedes, Campinas, v. 19, n. 48, p. 69-88, 1999; CHAUÍ, Marilena. A universidade pública sob nova perspectiva. Revista brasileira de educação, Rio de Janeiro, v. 24, p. 5-15, 2003. DARIDO, Suraya Cristina. Educação Física na escola: questões e reflexões. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1999. UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO. Projeto pedagógico do curso de graduação em educação física: Licenciatura Centro Acadêmico de Vitória. Vitória de Santo Antão: UFPE, 2014. Disponível em . Acesso em: 28 nov. 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Semana  Pedagógica ISSN 2595-1572 (on line)