APRESENTAÇÃO


A revista Estudos de Sociologia apresenta neste volume 17, número 2, nove artigos. Quatro se referem à sociologia bourdieusiana. Chicago Fade: trazendo o corpo do pesquisador de volta ao jogo de Loic Wacquant concebe o pesquisador como ser carnal e problematiza a visível ausência do corpo do pesquisado – sensível e agente – que permite ao sociólogo, no trabalho de campo, entrar em contato com o mundo vivido e tentar compreender a sua lógica. No segundo artigo, Loic Wacquant, ancorado no conceito de habitus de Pierre Bourdieu, discute o engajamento como pesquisador ao fazer etnografia em uma academia de boxe de Chicago – lutadores de um gueto negro americano. No terceiro artigo, intitulado Explicação, compreensão e determinismo na sociologia de Pierre Bourdieu, a discussão acontece a partir da controvérsia sobre a natureza da explicação causal e da compreensão interpretativa nas ciências sociais, sob a perspectiva bourdieusiana. No quarto artigo, que tem por foco Pierre Bourdieu, é realizado um exame dos conceitos de habitus e libido como interdependentes e constitutivos do processo de formação do sujeito.

O quinto texto, de Paulo Marcondes Ferreira Soares traz como pauta aspectos ligados a algumas manifestações da neovanguarda no Brasil nos anos 1960, a partir da consideração das tensões entre engajamento político e experimentalismo artístico.  O texto seguinte, intitulado Para além das fronteiras: parcerias e tensões em torno da construção da cidadania na perspectiva do movimento LGBT em Goiás tem por foco as relações e tensões do movimento LGBT no estado de Goiás com atores sociais atuantes nos debates públicos sobre os direitos sociais. Na sequência o texto de Liana Lewis analisa como o racismo, no contexto da migração forçada na Inglaterra, tem adquirido um novo padrão que vai além do dualismo negro/branco.

O oitavo texto intitulado Caráter nacional e cultura na diplomacia brasileira analisa o pensamento social brasileiro diante da conexão entre o caráter nacional e manifestações da diplomacia brasileira a partir das obras de Sílvio Romero e Gilberto Freyre e das opiniões do diplomata Araújo Castro e do político Afonso Arinos.

Por fim, o texto de Vinícius Lobo discute a necessidade de pensar os fundamentos sociológicos da obra de Karl Marx a partir da crítica realizada pelo autor à filosofia hegeliana a partir da análise de Os Manuscritos econômico-filosóficos e A sagrada família e A ideologia Alemã.

 

OS EDITORES

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




@ 2012 - PPGS - Revista do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da UFPE.

ISSN Impresso 1415-000X

ISSN Eletrônico 2317-5427