POLITIZAÇÃO DA CULTURA E O DESAFIO DA DESCOLONIALIDADE DO PODER NA BOLÍVIA CONTEMPORÂNEA

Vamberto Spinelli Júnior

Resumo


Este texto discute o processo de politização da cultura associado à emergência de um protagonismo renovado do movimento indígena-popular na Bolívia contemporânea e, brevemente, pauta desafios que esse processo tem colocado em termos de descolonização do poder. O processo de politização em questão possibilitou uma renovada articulação de discursos e práticas indianistas num contexto histórico de crise de Estado e de precarização crescente das condições de vida das maiorias indígenas. Discutem-se as condições e elementos que conferem ao indianismo, enquanto matriz discursivo-ideológica e prática sócio-política, seu potencial descolonizador do poder, com o foco voltado com maior atenção para o período chamado ciclo rebelde (2000-2005), quando o indianismo se firma , efetivamente, como uma estratégia de poder de caráter descolonizador e se toma responsável pela abertura de um horizonte de experimentação política sem precedentes na história da Bolívia.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




@ 2012 - PPGS - Revista do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da UFPE.

ISSN Impresso 1415-000X

ISSN Eletrônico 2317-5427