Luxo na classe C: valores pessoais e desempenho do produto na escolha da marca

Davi Paranhos Argollo, Francisco Guilherme Lima Macedo, Sueli Menelau

Resumo


O consumo de produtos de luxo acessível tem se constituído em um mercado de exigências peculiares, além de compor referência para outros segmentos, demonstrando ser um desafio atraente aos administradores. O objetivo do estudo é avaliar como os valores dos consumidores e o desempenho de produtos eletrônicos portáteis classificados como luxo acessível influenciam a escolha da marca de produtos eletrônicos portáteis, classificados como luxo acessível por consumidores da Classe C. Desenvolveu-se uma pesquisa descritiva, quantitativa e com corte transversal; a amostra foi composta por 140 questionários válidos, constituído por duas escalas e analisados por estatística descritiva. Os resultados indicaram que o fator pessoal é uma condição preponderante para escolha da marca dos produtos pesquisados, assim como fatores intrínsecos ao desempenho do produto. No modelo proposto por esse trabalho, os valores têm relação com os fatores que influenciam na escolha da marca para consumidores da Classe C.

Texto completo:

PDF

Referências


Allen, M.W., Ng, S.H., & Wilson, M. (2002). The functional approach to instrumental and terminal values and the value-attitudebehavior system. European Journal of Marketing, 36(1/2), 111-135.

Allérès, D. (2006). Luxo...estratégias, marketing (2 ed). Rio de Janeiro: FGV.

Bearden, W.O., Netemeyer, R.G., & Haws, K.L. (2011). Values and goals. In Handbook of marketing scales: Multi-item measures for marketing and consumer behavior research (pp. 151236). Thousand Oaks: SAGE Publications.

Bellaïche, J., Hanisch, D., & Mei-Pochtier, A. (2017). The new world of luxury. Retrieved 22 July 2017, from https://www.bcgperspectives.com/content/articles/retail_b

randing_communication_new_world_of_luxury/#chapter 1.

Bloch, H. P. (1981). An exploration into the scaling of consumers' involvement with a product class. Advances in Consumer Research, 8, 61-65.

Caniato, F., Caridi, M., Castelli, C.M., & Golini, R. (2009). A contingency approach for SC strategy in the Italian luxury industry: Do consolidated models fit?. International Journal of Production Economics, 120(1), 176-189.

Castarède, J. (2005). O luxo: Os segredos dos produtos mais desejados do mundo. São Paulo: Barcarolla.

Churchill, G. (1999). Marketing research: Methodological foundations (7 ed). Orlando: The Dryden Press.

Churchill, G., & Peter, J. (2000). Marketing: Criando valor para o cliente (2 ed). São Paulo: Saraiva.

Ciornea, R., Pop, M., Bacila, M., & Drule, A. (2012). Was luxury little researched? An exploration of studies and research trends in the area of marketing of luxury goods, before 2005. Management & Marketing, 10(2), 325-340.

Dearo, G. (2017, 30 de abril). As 10 marcas mais valiosas do mundo em 2017. Revista Exame. Recuperado de https://exame.abril.com.br/marketing/marcas-maisvaliosas-2017/.

Dias, S.R. (2003). Gestão de Marketing. São Paulo: Saraiva.

Dittmar, H. (2007). Consumer culture, identity and well-being: The search for the good life and the body perfect. London: Psychology Press.

Engel, J, Blackwell, R., & Miniard, P. (2000). Comportamento do consumidor. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos.

Feather, N.T. (1975). Values in education and society. New York: Free Press.

Homer, P.M., & Kahle, L.R. (1988). A structural equation test of the value-attitude-behavior hierarchy. Journal of Personality and Social Psychology, 54(4), 638-646.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE (2011). Censo Demográfico 2010: características da população e dos domicílios Resultados do universo. Recuperado


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.