SAÚDE URBANA E SANEAMENTO AMBIENTAL NO MUNICÍPIO DE OLINDA-PE

José Roberto Henrique Souza Soares

Resumo


A condição do Saneamento ambiental no município de Olinda apresenta consequências para a saúde da população local, ao comparar os casos confirmados e notificados de algumas doenças, principalmente os dados confirmados de Dengue em 2016, com os dados do saneamento ambiental no município, podemos observar como as políticas públicas não garantem a segurança e a qualidade de vida da população. O processo de urbanização do município estudado nos ajuda a compreender os problemas que hoje são enfrentados. Boa parte da população que habita o território do município corre riscos de contrair doenças causadas pelo abastecimento de água potável irregular, pela precariedade na coleta, além do tratamento de esgoto e da falta de coleta de resíduos sólidos. As doenças que geralmente acometem a população do município se relacionam com os problemas urbanos por meio da falta de cuidados necessários por parte das políticas públicas de saneamento ambiental. A compreensão dos males oriundos do saneamento ambiental precário passa pelo discernimento das questões passiveis de prevenção, e de outras que se mostram concretizadas através da falta de cuidado e atenção por parte das políticas públicas, que deveriam garantir os direitos básicos da população.


Palavras-chave


Urbanização, Saneamento Ambiental; Saúde Urbana; Dengue; Olinda-PE

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018

 

 

 

 

Indexadores e Bases bibliográficas:

                    

 

 

 

Programa de Pós Graduação em História - PGH UFRPE

Universidade Federal Rural de Pernambuco

Rua Dom Manuel de Medeiros, s/nº

Dois Irmão, Recife, PE, CEP: 52171-010

Prédio Professor Ariano Suassuna (1º Andar) 

ISSN: 2525-6092

 

 

 

Licença Creative Commons

A Revista Rural & Urbano está licenciado com uma Licença Creative Commons