Notícias

Call for Papers: Literature | Eutomia (Dec. 2019)

 

Thematic Dossier:

Listening Place and Writing by Ear

Lugar da Escuta e Escritas de Ouvido

Organizers:

Marília Librandi (Princeton University)

Isabel Ferreira Gould (Universidade de Lisboa)

 

The place of listening (lugar da escuta) does not designate the position of the listener, but the space in which listening occurs, the space of listening itself, where the self opens up to the other. Listening is not a passive act. It is an exercise, a form of action that seeks transformation and the reaching of others. The concept of writing by ear (escritas de ouvido) invites us to come closer to texts, to listen closely to the pulse of narratives.

 

Today, writers, poets, artists, researchers, and activists ally themselves with urban and rural collectives, and with the so-called peripheries, claiming the right to be heard and asserting that listening is a mode of action in the context of political scenarios increasingly unwilling to listen to social demands.

 

In the dossier Listening Placeand Writing by Ear, we aim to advance the debate about listening as a multidisciplinary field focused on theories and practices of auditory reception. We propose the study of listening in the context of literature (in its various literary genres and linguistic traditions), in the field of translation (understood as the act of listening to a foreign language in its own voice), and in ethnographic writing (as the study of cultural phenomena that relies on active listening). We envision a thematic dossier that is attuned to the aesthetic, ethical, philosophical, psychoanalytical, political, and ecological reverberations of textual production and reading.

 

We seek contributions on the place of listening and writing by ear, especially in Brazilian, Portuguese and African literature and ethnographic writing. We are particularly interested in papers that analyze the work of black, African, Afrodescendent and Amerindian authors. We look for scholarly work that speaks to, or problematizes, postcolonial and decolonial theories in this thematic context. And we invite contributions that examine how the legacies of slavery, colonialism, and imperialism continue to resonate and to affect the lives, identities, and memories of individuals and groups.

 

For the dossier Listening Place and Writing by Ear, we encourage the submission of papers on the following topic-questions related to literature, translation, and/or ethnographic writing:

 

• What does listening seek to do and what can it achieve?

• What is the agency of a listening stance?

• What is the mode of knowledge associated with a listening position?

• Is there a specific aesthetic in writing by ear?

• How should we understand the concept of authorship when writers present themselves as objects of aural reception rather than as subjects of production?

• How do oral and auditory cultures shape genres and literary forms?

• How does listening bring new ways of understanding acts of writing/reading, and open the horizons of the encounter between writing and orality, between written literature and cultures of oral tradition?

• What is the action of listening in contexts of war, violence, and captivity; in movements of revolution and decolonization; and in processes of political transition?

• What are the ethical and political duties of ear-witnesses?

• What is the role of listening and writing by ear in the war against racism, Afrophobia, xenophobia, misogyny, and discrimination in contemporary societies?

• How should we listen to the silences in post-imperial/postcolonial societies and how should we interpret aural memories that are inseparable from emotions and traumas?

• How do literature and ethnographic writing help us understand the development of a poetics of listening that takes on a planetary dimension and is not confined to human experiences only?

• In which waysdo translation, bilingualism, and the coexistence between multiple languages increase our capacity of listening to tones and accents from one language to another?

 

Papers should represent original scholarly work (not previously published), be analytical and interpretative, and use key concepts from the field of listening and auditory reception studies. Papers can be written in Portuguese, English, Spanish, or French. The period for submission of papers ends on September 30th.

 
Publicado: 2019-03-08
 

Chamada para Trabalhos: CHAMADA LITERATURA | Eutomia (Dez. 2019)

 

Chamada para submissão de artigos da edição de Eutomia (Dezembro 2019), seção Literatura

Dossiê Temático: Lugar da Escuta e Escritas de Ouvido / Listening Place and Writing by Ear

O lugar da escuta não designa a posição do ouvinte, mas o espaço em que a escuta ocorre, o espaço da própria escuta, onde o eu se abre ao outro. Escutar não é um ato passivo. É um exercício, uma forma de ação que busca a transformação e o alcance dos outros. O conceito de escritas de ouvido convida-nos a uma aproximação dos textos, a escutar atentamente o pulsar das narrativas.

Hoje, escritores, poetas, artistas, pesquisadores, ativistas aliam-se a coletivos urbanos e rurais, e às chamadas zonas periféricas, reivindicando o direito de serem ouvidos, defendendo a escuta como um modo de atuação diante de um quadro político cada vez mais surdo às demandas sociais.

Neste dossiê, intitulado Lugar da Escuta e Escritas de Ouvido , pretendemos avançar o debate sobre os estudos da escuta como um campo multidisciplinar voltado para o pensamento e as práticas advindas da recepção auditiva. Propomos pensar a escuta no âmbito da literatura (nos seus vários géneros literários e em diversas tradições linguísticas), no âmbito da tradução (entendida como ato de ouvir uma língua estrangeira na sua própria voz), e no âmbito da escrita etnográfica (enquanto estudo de fenómenos culturais que se baseia na escuta ativa). Visamos um dossiê temático que esteja atento às reverberações estéticas, éticas, filosóficas, psicanalíticas, políticas e ecológicas da escrita e da leitura de textos.

Procuramos contribuições sobre o lugar da escuta e das escritas de ouvido, em especial, nas literaturas e narrativas etnográficas brasileira, portuguesa e africanas. Temos particular interesse na análise desta temática no trabalho de autoria negra, africana, afrodescendente e ameríndia. Buscamos contribuições que, no contexto dos estudos da escuta, dialoguem com, ou problematizem, teorias pós-coloniais e decoloniais. E lançamos o convite a reflexões que examinem os legados da escravatura, do colonialismo e do imperialismo e a forma como estes continuam a ressoar e a afetar as vidas, identidades e memórias de indivíduos e grupos.

Para o dossiê Lugar da Escuta e Escritas de Ouvido , convidamos à submissão de artigos sobre as seguintes questões-temáticas no campo da literatura, da tradução e/ou da escrita etnográfica:

  • O que quer e o que pode a escuta?

  • Qual o agenciamento de uma posição de escuta?

  • Qual o modo de conhecimento advindo de uma posição de escuta?

  • Existe uma estética específica nas escritas de ouvido?

  • Como devemos entender o conceito de autoria quando os escritores se apresentam como objetos de recepção, em vez de sujeitos de produção?

  • De que forma as culturas orais e auditivas moldam géneros e formas literárias?

  • Como a escuta traz uma nova forma de compreensão do(s) ato(s) de escrever/ler e abre os horizontes do encontro entre escrita e oralidade, entre literatura e culturas de tradição oral?

  • Qual a ação da escuta em contextos de guerra, violência e cativeiro; em movimentos de revolução e descolonização; e em processos de transição política?

  • Quais os deveres éticos e políticos das testemunhas de ouvido?

  • Qual o papel da escuta e das escritas de ouvido na luta contra o racismo, a afrofobia, a xenofobia, a misoginia e a discriminação nas sociedades contemporâneas?

  • Como devemos escutar os silêncios nas sociedades pós-imperiais/pós-coloniais e interpretar as memórias auditivas inseparáveis das emoções e dos traumas?

  • Como a literatura e a etnografia nos ajudam a compreender o desenvolvimento de uma poética da escuta que assume uma dimensão planetária e não se limita apenas às experiências humanas?

  • De que modo a tradução, o bilinguismo e a convivência entre múltiplas línguas aumentam a nossa capacidade de escuta de tons e acentos de uma língua para outra?

Os ensaios devem ser inéditos, analíticos e interpretativos, fazendo uso de conceitos-chave dos estudos da escuta. Aceitam-se contribuições em português, inglês, espanhol e francês.

Organizadoras:

Marília Librandi (Princeton University) 

Isabel Ferreira Gould (Universidade de Lisboa)


O prazo para submissão de ensaios está aberto até o dia 30 de setembro .

 
Publicado: 2019-02-15 Mais...
 

Chamadas: CHAMADA LINGUÍSTICA | Eutomia (Jul. 2019)

 

Chamada para submissão de artigos na próxima edição de Eutomia (Julho 2019), seção Linguística

Dossiê temático: Da gramática tradicional à análise linguística/semiótica, gramática renovada: questões teóricas e práticas


O tema relacionado aos conceitos e práticas de ensino da gramática demanda mais estudos e discussão. Fora do Brasil, fala-se em uma gramática renovada, gramática do texto, gramática da frase etc. No Brasil, ao considerar as três Leis de Diretrizes e Bases, observamos uma progressão no tocante ao ensino de línguas. Nesse período, a gramática, que ocupou um lugar primordial no âmbito do ensino e aprendizagem de línguas, dando primazia às classificações e à correção linguística, revelou-se como disciplina que promove pouco a compreensão e o domínio consciente dos componentes inerentes à língua e à linguagem e de seu modo de funcionamento. Com a chegada dos Parâmetros Curriculares na sala de aula, tivemos anunciada uma mudança: passamos ao ensino da análise linguística. Tornou-se importante ferramenta que ajuda o aluno a dominar os recursos linguísticos, a refletir e a conscientizar-se sobre as escolhas linguísticas e as estratégias discursivas realizadas, levando-o a desenvolver sua capacidade de produção textual, bem como de leitura. Em 2017, tivemos mais um avanço, quando passamos da Análise linguística à Análise linguística/semiótica. Esse dueto abre espaço para uma concepção de texto mais ampliada e traz de maneira mais evidenciada o texto multimodal.  Este preâmbulo nos leva a indagar: (a) Do ponto de vista teórico e prático, como podemos avaliar as contribuições das três correntes na perspectiva do estudo da linguagem e do ensino e aprendizagem das línguas? (b) Que concepções de gramática ancoram essa nova visão? (c) Qual é o papel da gramática em sala de aula dita comunicativa? O objetivo deste dossiê temático é proporcionar um espaço de discussão sobre os posicionamentos teóricos que fundamentam as práticas de sala de aula no que se refere à gramática e ao estudo da linguagem. 

Os artigos e ensaios devem ser interpretativos e analíticos. Aceitam-se contribuições em português, inglês, espanhol e francês.

O prazo para submissão dos trabalhos se encerra no dia 20 de junho de 2019.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------

Call for papers for the coming issue of Eutomia (July 2019), section on Linguistics

Thematic dossier: From traditional grammar to linguistic/semiotic analysis, renewed grammar: theoretical and practical issues


The theme related to grammar concepts and grammar teaching practice requires more research and discussions. Overseas, it is referred to as renewed grammar, text grammar, sentence grammar, etc. In Brazil, when considering the three Laws (Leis de Diretrizes e Bases) which regulate Education, a progression has been observed in relation to the teaching of languages. Within this period, grammar, which held a key role within the teaching and learning of languages, giving priority to classifications and linguistic correctness, turned out to be a discipline which does not promote much an understanding and a conscious acquisition of the inherent characteristics of language and how it functions. With the advent of the National Curricular Parameters in the classroom, a change was announced: the teaching of linguistic analysis. It has become an important tool which helps the learner to master the linguistic resources, to reflect and become aware of the linguistic choices made and the discursive strategies carried out, hence leading to the development of the learner´s capacity to produce texts as well as reading. In 2017, further progress was achieved: what used to be linguistic analysis has become linguistic/semiotic analysis. This duet makes room for a more comprehensive conception of text and highlights multimodal texts. In view of this preamble, the following questions arise: (a) From a theoretical and practical point of view, how can one evaluate the three frameworks in terms of language study and the teaching and learning of languages? (b) Which conceptions of grammar support this new vision? (c) What is the role of grammar in the communicative classroom? The aim of this thematic dossier is to promote a discussion on the theoretical approaches underlying classroom practices related to grammar and language study.

The articles and essays should interpretive and analytical. The contributions can be submitted in Portuguese, Spanish, French or English.

The deadline for submissions is June 20, 2019.


Organizadoras:

Betânia Maria Gomes Raquel (SEDUC-Ceará)
Eulália Leurquin (UFC)
Fatiha Dechicha Parahyba (UFPE)

 

 

 
Publicado: 2019-01-31
 
1 a 3 de 3 itens