Pensamento em devir: a dialética do acabamento/inacabamento no fragmento romântico

Mirella Guidotti

Resumo


Resumo: O presente artigo investiga a concepção filosófica do Romantismo de Jena enquanto atividade infinita. Através desta análise reflexiva aborda-se então o modo, a forma de expressão por excelência romântica: o fragmento, forma consciente dos limites da apresentação do todo. Não se trata, assim, de um aspecto meramente formal que visa o inacabamento, mas algo congênito: o fragmento constitui a visão romântica de totalidade; a totalidade se manifesta como um fragmento.

Palavras-chave: infinitude, fragmento, dialética.



Abstract: This article investigates the philosophical notion of the Jena Romanticism as infinite activity. Through this reflexive analysis we approach then the Romantic form par excellence: the fragment, witness of the impossibility of an exposition of the whole. The romantic fragment is not merely a formal aspect which aims at incompletion. It constitutes the properly romantic vision of the totality; the totality manifests itself as a fragment.

Keywords: infinity, fragment, dialectic.



Texto completo:

PDF

Referências


DELEUZE, G. Lógica do sentido. Platão e o simulacro. São Paulo: Perspectiva, 1969.

LACOUE-LABARTHE, P. E NANCY, J-L. L´absolu littéraire. Théorie de la littérature du romantisme allemand. Paris: Éditions du Seuil, 1978.

NOVALIS, F. H. Pólen. São Paulo: Iluminuras, 1988.

______. Philosophische Studien (Fichte Studien). In: Werke,Tagebücher und Briefe. Zweite Band. München: Carl Hansen Verlag, 1978.

______. Fragmente und Studien. In: Fragmente und Studien/ Die Christenheit oder Europa. Stuttgart: Philipp Reclam jun. Stuttgart, 2006.

OBRIEN, W. A. Novalis, signs of revolution. Duke University Press, 1995.

PLATÃO. Crátilo: Diálogo sob a justeza dos nomes. Lisboa: Livraria Sá da Costa Editora, 1973.

SCHLEGEL, F. Conversa sobre a poesia. São Paulo: Editora Iluminuras, 1994.

______. Philosophische Lehrjahre, 1796-1828. Mit einleitung und Kommentar herausgegeben von Ernst Behler. Achtzehnter Band. München: Paderborn, Wien, Zürich, 1963.

_____. O dialeto dos fragmentos. Tradução, apresentação e notas de Márcio Suzuki: Editora Iluminuras, 1997.

SELIGMANN-SILVA, M. Friedrich Schlegel e Novalis : poesia e filosofia. In : O local da diferença. Ensaios sobre memória, arte, literatura e tradução. São Paulo : Editora 34, 2005. pp 317-329.

SUZUKI, M. O Gênio Romântico: Crítica e História da Filosofia em Friedrich Schlegel. São Paulo: Fapesp/ Iluminuras, 1998.

SZONDI, P. Poésie et poétique de l'idéalisme allemand. Paris, Ed. de Minuit, 1975.

TODOROV, T. Teorias do Símbolo. Campinas: Papirus, 1996.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

Qualis (CAPES): B1-LETRAS / LINGUÍSTICA; B1-EDUCAÇÃO; B1-FILOSOFIA/TEOLOGIA:subcomissão FILOSOFIA; B1-INTERDISCIPLINAR; B3-CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS; B3-HISTÓRIA; B3-PSICOLOGIA; B5-EDUCAÇÃO FÍSICA; B5-ODONTOLOGIA; B5-SERVIÇO SOCIAL; C-ARTES / MÚSICA

Diretórios:


Indexadores:

 

Directory of Open Access Journals


Associação de revistas acadêmicas latinoamericanas de humanidades e ciências sociais

Institucional