Literatura e crítica, ars e technē: a poiesis moderna como herança romântica

Juliana Cristina Salvadori

Resumo


Resumo: É a partir do romantismo, em sua expressão alemã, que se dá a sistematização de uma prática crítica que se pensa e pensa a literatura a qual informa não mais em termos de sujeito e objeto, isto é, uma prática crítica que põe abaixo os limites entre o discurso literário e o não literário, uma prática crítica concebida como atividade criativa que, por meio de seu caráter reflexivo, ativaria algumas das infinitas possibilidades inscritas na obra. É para pensar esse caráter reflexivo da crítica literária, tão marcadamente moderno, bem como seus desdobramentos críticos e literários, que escrevemos esse artigo.

Palavras-chave: crítica, romantismo, reflexão.



Abstract: The romanticism, in Germany, bears as one of its main feature the systematization of a critical practice which thinks both about itself and the literature it informs not in terms of subject and object, i.e., a critical practice that puts at stake the limits between the literary and the non-literary discourses. According to this view, this practice is conceived as a creative activity which, because of its reflexive nature, would trigger some of the infinite possibilities inscribed in a work of art. We have written this article to think about this reflexive feature of the literary criticism, such a modern trait, as well as about its critical and literary developments.

Keywords: criticism, romanticism, reflexion.


Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, Theodor W. “O ensaio como forma”. In: Notas de literatura I. São Paulo: Duas Cidades; Ed. 34, 2003. p. 15-45.

BENJAMIN, Walter. O conceito de crítica de arte no romantismo alemão. Trad. Márcio Seligman-Silva. São Paulo: EDUSP / Iluminuras, 1993.

BLOOM, Harold. A angústia da influência: uma teoria da poesia. 2. ed. Rio de Janeiro: Imago, 2002. 206 p.

BÜRGER, Peter. Teoria da Vanguarda. Trad. José Pedro Antunes. São Paulo: Cosac Naify, 2008.

CAMPOS, Haroldo de. Metalinguagem & outras metas: ensaios de teoria e crítica literária. 4. ed. São Paulo: Perspectiva, 2006. (Debates; 247).

FOUCAULT, Michel. As palavras e as coisas: Uma arqueologia do saber. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1987.

PAZ, Octavio. O arco e a lira. 2. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1982.

PAZ, Octavio. O labirinto da solidão e post-scriptum. 3.ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

PAZ, Octavio. Os filhos do barro: do romantismo à vanguarda. Trad. Olga Savary. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984.

PERRONE-MOISÉS, Leyla. Altas literaturas: escolha e valor na obra crítica de escritores modernos. São Paulo: Companhia das Letras, 1998. 238p.

ROBERT, Marthe. Romance das origens, origens do romance. Trad. André Telles. São Paulo: Cosac Naify, 2007. 280p.




DOI: https://doi.org/10.19134/eutomia-v1i08p%25p

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

Qualis (CAPES): B1-LETRAS / LINGUÍSTICA; B1-EDUCAÇÃO; B1-FILOSOFIA/TEOLOGIA:subcomissão FILOSOFIA; B1-INTERDISCIPLINAR; B3-CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS; B3-HISTÓRIA; B3-PSICOLOGIA; B5-EDUCAÇÃO FÍSICA; B5-ODONTOLOGIA; B5-SERVIÇO SOCIAL; C-ARTES / MÚSICA

Diretórios:


Indexadores:

 

Directory of Open Access Journals


Associação de revistas acadêmicas latinoamericanas de humanidades e ciências sociais

Institucional