Rousseau e as imagens do Romantismo Alemão

Suzane da Silva Araújo

Resumo


Resumo: Nós nos acostumamos com a imagem dos românticos como pensadores fragmentários e sem rigor, como é, aliás, a imagem tradicionalmente aceita de Rousseau. Além disso, os românticos parecem, com sua atitude negativa em relação aos grandes sistemas, atualizar a mesma atitude intelectual do filósofo genebrino: assistemático antes que os românticos teorizassem sobre isso, Rousseau é a primeira expressão de uma crítica intuitiva do cientificismo que os mais rigorosos pensadores e poetas só fariam confirmar. Tendo isso em mente, gostaríamos de fazer um paralelo entre a formação da imagem dos primeiros românticos (Schlegel e Novalis, principalmente), e o modo como foi se consolidando a imagem histórica de Rousseau.

Palavras-chave: sistemático, assistemático, romantismo, ciência,fragmento.


Abstract: We get used to the image of romantic thinkers as fragmentary and loosely, as it is, indeed, the traditionally accepted image of Rousseau. In addition, the romantic look, with its negative attitude to large systems, update the same intellectual attitude of Rousseau. Unsystematic before the romantic theorize about it, Rousseau is the first expression of an intuitive critique of scientism that the most rigorous thinkers and poets would only confirm. With this in mind, we would like to make a parallel between the image formation of the early romantics (Schlegel and Novalis, especially), and the way it was consolidating the historical image of Rousseau.

Keywords: systematic, unsystematic, romanticism, science, fragment.

Texto completo:

PDF

Referências


BORNHEIM, G. “A filosofia do romantismo” In Guinsburg O Romantismo. São Paulo: Perspectiva, 2005.

GAY, P. “Introdução” In CASSIRER, E. A questão Jean-Jacques Rousseau. São Paulo: Editora Unesp, 1999.

GRIMSLEY, R. La filosofia de Rousseau. Madrid: Alianza Editorial, 1977.

NUNES, B. “A visão romântica” In Guinsburg. O Romantismo. São Paulo: perspectiva, 2005.

________. Hermenêutica e poesia: o pensamento poético. Belo horizonte: Ed. UFMG, 1999.

ROUSSEAU, J-J. Cartas escritas da montanha. São Paulo: EDUC; UNESP, 2006.

_____________. Confissões de Jean Jacques Rousseau. São Paulo: Jose Olympio, 1948.

SUZUKI, M. “A gênese do fragmento” in Schlegel Dialeto dos fragmentos. São Paulo: Iluminuras, 1997.

TORRES FILHO, R. R. “Novalis: o romantismo estudioso”, in NOVALIS. Pólen. São Paulo: Iluminuras, 2001.

__________________. “Schelling, vida e obra”, In SCHELLING, F. Obras escolhidas. São Paulo: Abril Cultural, 1984, p. VIII.




DOI: https://doi.org/10.19134/eutomia-v1i08p%25p

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

Qualis (CAPES): B1-LETRAS / LINGUÍSTICA; B1-EDUCAÇÃO; B1-FILOSOFIA/TEOLOGIA:subcomissão FILOSOFIA; B1-INTERDISCIPLINAR; B3-CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS; B3-HISTÓRIA; B3-PSICOLOGIA; B5-EDUCAÇÃO FÍSICA; B5-ODONTOLOGIA; B5-SERVIÇO SOCIAL; C-ARTES / MÚSICA

Diretórios:


Indexadores:

 

Directory of Open Access Journals


Associação de revistas acadêmicas latinoamericanas de humanidades e ciências sociais

Institucional