ECCE HOMO

Paulo Henriques Britto

Resumo


PAULO HENRIQUES BRITTO nasceu no Rio de Janeiro em 1951. É tradutor e professor de tradução, criação literária e literatura na PUC-Rio. Publicou cinco livros de poesia — os mais recentes são Macau (2003, Prêmio Portugal Telecom de Literatura Brasileira e Prêmio Alceu Amoroso Lima) e Tarde (2007, Prêmio Alphonsus de Guimaraens) — e um de contos, Paraísos artificiais (2004, segundo lugar, Prêmio Jabuti), todos editados pela Companhia das Letras. Como tradutor, no campo da ficção destacam-se suas traduções de Henry James, William Faulkner, V. S. Naipaul, John Updike, Philip Roth, Thomas Pynchon e Don DeLillo; na poesia, traduziu, entre outros, Lorde Byron, Wallace Stevens, Elizabeth Bishop, Allen Ginsberg e Ted Hughes.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.19134/eutomia-v1i07p%25p

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

Qualis (CAPES): B1-LETRAS / LINGUÍSTICA; B1-EDUCAÇÃO; B1-FILOSOFIA/TEOLOGIA:subcomissão FILOSOFIA; B1-INTERDISCIPLINAR; B3-CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS; B3-HISTÓRIA; B3-PSICOLOGIA; B5-EDUCAÇÃO FÍSICA; B5-ODONTOLOGIA; B5-SERVIÇO SOCIAL; C-ARTES / MÚSICA

Diretórios:


Indexadores:

 

Directory of Open Access Journals


Associação de revistas acadêmicas latinoamericanas de humanidades e ciências sociais

Institucional