Operadores argumentativos: indicadores da organização relacional dos textos de opinião escritos em inglês/língua estrangeira

Maria Aldenora Cabral de Araújo

Resumo


Resumo: Este estudo tem por objetivo analisar a organização das seqüências argumentativas relativas ao emprego dos operadores em textos de opinião. Para isso, a pesquisa se concentra em uma abordagem indutiva, objetiva e descritiva sobre o lugar e o peso dos itens lexicais, a partir do Método de Análise Lexical, Textual e Discursiva, proposto por André Camlong. Como pressupostos teóricos, destacam-se a Semântica Argumentativa, representada, entre outros teóricos, por Ducrot, Roulet, Filliettaz e Grobet e a Lingüística Textual, na figura de Koch, Halliday e Hasan, etc. A questão chave é verificar três pontos: se os textos apresentam um grau de normalidade coesiva; como se correlacionam a dependência e independência entre as variáveis; e qual o comportamento semântico/discursivo dos operadores na construção dos enunciados.

Palavras-chave: Valor semântico; Operador argumentativo; Coesão.

 

Abstract: This paper has as purpose of analyzing the organization of the argumentative sequences concerning the presence of argumentative operators in opinion texts. For this, the research concentrates an inductive, objective, descriptive broaching about the place and the worth of lexical items, according to Camlong’s Lexical, Textual, Discursive Analysis Method. The theoretical bases are Argumentative Semantics, represented, among others theorists, by Ducrot, Roulet, Filliettaz and Grobet, and Textual Linguistics, figured by Koch, Halliday and Hasan, etc. The key-question is the verification of three points: If do the texts introduce degree of cohesive normality? How do the dependence and independence correlate among variables? And what is semantic/discursive behavior of operators in construction of announced sequences.

Keywords: Semantic worth; Argumentative operator; Cohesion.


Texto completo:

PDF

Referências


CAMLONG, André. Méthode d’analyse lexicale textuelle et discursive. Paris: C.R.I.C & OPHRYS, 1996.

______; CAMLONG, Claudie. Les dieux sont morts. Paris: C.R.I.C & OPHRYS, 1995.

______; BELTRAN, Thierry. STABEX: Version PC. Produzido por TecArt Editora LTDA. Disytribuição exclusiva de Pirus Tecnologia. 1 CD ROM, 2004.

CHARAUDEAU, Patrick; MAINGUENEAU, Dominique. Dicionário de análise do discurso. São Paulo: Contexto, 2008.

CHAROLLES, Michel. Introdução aos problemas da coerência dos textos. In: GALVES, Charlotte et al (Org.). O texto: leitura e escrita. Campinas: Pontes, 1997. p. 39-86.

COSTA VAL, Maria da Graça. Redação e textualidade. São Paulo: Martins Fontes, 1994.

DIJK, Teun Adrianus van Texto y contexto: Semántica y pragmática del discurso. Tradução de Juan Domingo Moyano. 6. ed. Madri: Cátedra, 1998.

DUCROT, Oswald. Polifonia y argumentación. Cali: Universidad del Valle, 1988.

______. Os internalizadores. Letras de Hoje, Porto Alegre, PUCRS, v. 37, n. 3, p. 7-26, set. 2002.

HALLIDAY, Michail. A.K.; HASAN, Ruqaiya. Cohesion in English. London: Longman, 1976. KOCH, Ingedore Grunfeld Villaça. Argumentação e linguagem. 9. ed. São Paulo: Cortez, 2004.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Marcadores Conversacionais do português brasileiro: formas, posições e funções. Campinas: Editora da UNICAMP, 1989.

MOESCHLER, Jacques et al. Procédures interprétatives et savoir partagés. In: VERONIQUE, D.; VION, R. (Ed.). Modèles de l’interaction verbale. Aix-marseille: Publication de l’Université de Province, 1995. p. 235-260.

MULLER, Charles. Initiation à la statistique linguistique. Larousse: Paris, 1986.

PERELMAN, Chaïm; OLBRECHTS-TYTECA, Lucie. Tratado da argumentação: a nova retórica. Tradução de Maria Ermantina de Almeida Prado Galvão. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

ROULET, Eddy; FILLIETTAZ, Laurant; GROBET, Anne. Un modèle et un instrument d’analyse de l’organisation du discourse. Berne: Lang, 2001.

SILVA, Luís Roberto da. Operadores na constituição textual. 213 f. Dissertação (Mestrado em Lingüística) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2006.

VILELA, Mário; Koch, Ingedore Villaça. Gramática da língua portuguesa. Coimbra: Almedina, 2001.

ZAPPAROLI, Zilda Maria; CAMLONG, André. Do léxico ao discurso pela informática. São Paulo: Ed. da Universidade de São Paulo; FAPESP, 2002.




DOI: https://doi.org/10.19134/eutomia-v1i05p%25p

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

Qualis (CAPES): B1-LETRAS / LINGUÍSTICA; B1-EDUCAÇÃO; B1-FILOSOFIA/TEOLOGIA:subcomissão FILOSOFIA; B1-INTERDISCIPLINAR; B3-CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS; B3-HISTÓRIA; B3-PSICOLOGIA; B5-EDUCAÇÃO FÍSICA; B5-ODONTOLOGIA; B5-SERVIÇO SOCIAL; C-ARTES / MÚSICA

Diretórios:


Indexadores:

 

Directory of Open Access Journals


Associação de revistas acadêmicas latinoamericanas de humanidades e ciências sociais

Institucional