A estrutura do enredo em Vidas Secas

Luis Antonio Mousinho Magalhães, Maria Bevenuta Sales de Andrade

Resumo


Resumo: Este artigo analisa a estrutura do enredo do romance Vidas secas, de Graciliano Ramos. Nossa intenção é discutir os graus de dependência e autonomia apresentados pelos planos narrativos, quando considerados em separado e em relação com o todo do romance. Para tanto, verificaremos a presença de relações de causalidade, bem como a completude de ação observada nos contos que compõem a narrativa total da obra.Palavras-chave: Vidas secas. Enredo. Autonomia. Dependência.Abstract: This essay analyzes the plot structure of the novel Barren lives, by Graciliano Ramos. Our intention is to discuss the degrees of dependence and autonomy presented by the narrative plans, when considered in themselves and in relation to the whole novel. In order to do so, the presence of causality relations Will be verified, as well as the action completeness observed in the short stories that compose the Work’s complete narrative.Key-Words: Barren lives. Plot. Autonomy. Dependence.

Resumo:

Este artigo analisa a estrutura do enredo do romance Vidas secas, de Graciliano Ramos. Nossa intenção é discutir os graus de dependência e autonomia apresentados pelos planos narrativos, quando considerados em separado e em relação com o todo do romance. Para tanto, verificaremos a presença de relações de causalidade, bem como a completude de ação observada nos contos que compõem a narrativa total da obra.

Palavras-chave: Vidas secas. Enredo. Autonomia. Dependência.

Abstract:

This essay analyzes the plot structure of the novel Barren lives, by Graciliano Ramos. Our intention is to discuss the degrees of dependence and autonomy presented by the narrative plans, when considered in themselves and in relation to the whole novel. In order to do so, the presence of causality relations Will be verified, as well as the action completeness observed in the short stories that compose the Work’s complete narrative.

Key-Words: Barren lives. Plot. Autonomy. Dependence.


Texto completo:

PDF

Referências


ARISTÓTELES. Poética. In: A poética clássica. Tradução de Jaime Bruna. 7ª. Ed. São Paulo: Cultrix, 1997.

ATAÍDE, V. de. Vidas Secas: articulação narrativa. In: BRAYNER, S. (Org.). Fortuna Crítica II - Graciliano Ramos. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 1977.

BELLEI, S. L. P. Hipertexto e literatura. In: Intermídias. Ano 2, nº 5 e 6. 2005. Disponível em: http://www.intermidias.com/txt/ed56/Literatura_Hipertexto%20e%20Literatura_Sergio%Bellei.pdf. Acesso em 27 de agosto de 2009.

BUENO, L. Uma História do Romance de 30. São Paulo: Editora da Unicamp, 2006.

CANDIDO, A. Ficção e confissão: ensaios sobre Graciliano Ramos. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1992.

MOURÃO, R. Estruturas, ensaio sobre o romance de Graciliano. 2ª. Ed. Rio de Janeiro: Arquivo editora e distribuidora, 1971.

RAMOS, G. Vidas Secas. 80ª. Ed. Rio de Janeiro: Record, 2000.

RICOEUR, P. Tempo e narrativa. Tradução de Marina Appenzeller. Campinas – SP: Papirus, 1995.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

Qualis (CAPES): B1-LETRAS / LINGUÍSTICA; B1-EDUCAÇÃO; B1-FILOSOFIA/TEOLOGIA:subcomissão FILOSOFIA; B1-INTERDISCIPLINAR; B3-CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS; B3-HISTÓRIA; B3-PSICOLOGIA; B5-EDUCAÇÃO FÍSICA; B5-ODONTOLOGIA; B5-SERVIÇO SOCIAL; C-ARTES / MÚSICA

Diretórios:


Indexadores:

 

Directory of Open Access Journals


Associação de revistas acadêmicas latinoamericanas de humanidades e ciências sociais

Institucional