A radicalidade da concepção de linguagem e de gênero discursivo do Círculo de Bakhtin: breves comentários

Adail Ubirajara Sobral

Resumo


Resumo: Este ensaio tem por objetivo discutir alguns aspectos da concepção de gênero de Bakhtin do ponto de vista de duas abordagens: da contribuição do materialismo dialético e das concepções de Kant, em suas ressignificações pelo Círculo. A primeira trata da potencialidade do conceito de gênero como elemento organizador dos estudos da linguagem, no âmbito do dialogismo, sua estabilidade dinâmica e seu caráter de “modelo fluido” do mundo humano, tal como apreendido no âmbito de uma dada esfera de atividades.  A segunda tem relação com o modo como o Círculo incorpora parte das categorias propostas por Kant, categorias mediante as quais os seres humanos interpretam o sensível do mundo segundo as categorias do inteligível, bem como com a “arquitetônica”, o modo pelo qual o Círculo evidencia a qualidade de “molde variável” dessas categorias nos termos das relações enunciativas específicas que se estabelecem entre interlocutores.

Palavras-chave: Linguagem, Gênero, Círculo de Bakhtin, Materialismo Dialético, Kant

 

Abstract: This paper aims to discuss some aspects of Bakhtin`s concept of genre from the point of view of two approaches resignified by the Circle ; the contribution of dialectical materialism and t he conceptions of Kant. The first one deals with the potentiality of the concept of genre as an  organizing element of language studies inside dialogism, its dynamic stability and its aspect of a fluid model of the world as it has been apprehended in a certain sphere of activity. The second one is about the way the Circle incorporates part of the categories proposed by Kant where human beings interpret, using categories linked to inteligibility,  the sensible world and relates to the concept of “architectonics”, the way the Circle shows the quality of “variable  mold” of these categories in terms of specific enunciative relationships between interlocutors.

Keywords: Language, Gender, Bakhtin’s Circle, Dialectical Materialism, Kant.


Texto completo:

PDF

Referências


ADAM, J.-M., Linguistique textuelle: des genres de discours aux textes , Paris : Nathan, 1999.

BAJTÍN, M. M. (1920-1924) Hacia uma filosofia del acto ético. De los borrador es y otros escritos. Trad. e notas: Tatiana Bubnova. Barcelona/San Juan: Anthropos/EDUPR, 1997.

BAKHTIN. M. M. Toward a Philosophy of the Act. (1920-1924). Trad. e notas de Vadim Liapunov. Austin: University of Texas Press, 1993.

______. (1920-1974). Estética da Criação Verbal . 2a ed. Tradução feita a partir da edição francesa. Trad. M.H. Galvão. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

______. (1920-1974). Estética da Criação Verbal . 4a ed. Nova edição com tradução a partir do russo. Trad: Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

______. (1929) Problemas da Poética de Dostoievski . 2ª. ed. Trad.: Paulo Bezerra. São Paulo: Forense-Universitária, 1997.

______. (1975). Questões de Literatura e de Estética (Teoria do Rom ance) . 3a ed.. Trad.: A. F. Bernadini et al. São Paulo: UNESP, 1993.

______. (Várias datas). Art and Answerability: Early Philosophical Essays b y M. M. Bakhtin , edited by Michael Holquist and Vadim Liapunov. University of Texas Press, 1990.

______. The Dialogic Imagination : Four Essays , org. por Michael Holquist, trad. Caryl Emerson e Michael Holquist. Texas: University of Texas Press, 1981.

______. e P. N. Medvedev (1928). The Formal Method in Literary Scholarship , A Critical Introduction to Sociological Poetics . Trad.: Albert J. Wehrle. Harvard: Harvard University Press, 1985.

BAKHTINE, M. (Década de 1930/1965). L’oeuvre de François Rabelais et la culture populaire au Moyen Age et sous la Renaissance . Trad.: Andrée Robel. Paris: Gallimard, 1970.

BAKHURST, David. A memória social no pensamento soviético. In: DANIELS, Harry, org. Uma Introdução a Vygotsky . São Paulo: Loyola, 2002, p. 229-254.

BALTAR, M.A. Os gêneros textuais na formação dos professores: o perigo da gramaticalização dos gêneros. Sessão de comunicações temáticas do VII CBLA. 11 de outubro de 2004.

BAZERMAN, Charles. 2000. Shaping Written Knowledge: The Genre and Activity o f the Experimental Article in Science. WAC Clearinghouse Landmark Publications in Writing Studies: http://wac.colostate.edu/aw/books/bazerman_shaping/. Originally Published in Print, 1988, by University of Wisconsin Press, Madison, Wisconsin. Publication Date: November 1, 2000.

______. Gêneros Textuais, Tipificação e Interação São Paulo: Cortez, 2005a. Trad. e adaptação de Judith Chambliss Hoffnagel.

______. A conversation on text-type, genre and activitiy: meaningful use of forms. Palestra proferida no LAEL/PUC-SP em 4 de março de 2005b. EMERSON, Caryl. Keeping the Self Intact During the Culture Wars – A Centennial Essay for Mikhail Bakhtin. In: New Literary History , n. 27, 1996.

______. Os 100 primeiros anos de Mikhail Bakhtin . Rio de Janeiro DIFEL, 2003. Trad.: Pedro Jorgensen Jr.

______. O mundo exterior e o discurso interior – Bakhtin, Vygotsky e a internalização da língua. In: DANIELS, Harry, org. Uma Introdução a Vygotsky . São Paulo: Loyola, 2002, p. 139-163.

MARCHUSCI, L. A. Os desafios da identificação do gênero textual nas atividades de ensino: propósitos comunicativos versus forma estrutural. Palestra proferida no III SIGET, UFSM, Santa Maria, 2005.

PADILHA, Simone de Jesus. Os gêneros poéticos em livros didáticos de língua portuguesa do ensino fundamental: uma abordagem enunciativo-discursiva. Tese de Doutorado. São Paulo: LAEL/PUC-SP, 2005.

ROJO, R. H. R. Gêneros do discurso e gêneros textuais: Questões teóricas e aplicadas. In: Meurer, J. L.; Motta-Roth, D.; Bonini, A.. (Org.). Gêneros: Teorias, métodos e debates. 1 ed. São Paulo: Editora Parábola, 2005, v. único, p. 184-207.

SOBRAL, A. U. Elementos sobre a formação de gêneros discursivos: a fase “parasitária” de uma vertente do gênero de auto-ajuda. Tese de Doutorado. São Paulo: LAEL/PUC-SP, 2006.

______. Ver o texto com os olhos do gênero: uma proposta de análise. In: Bakhtiniana , São Paulo, v. 1, n. 1, p. 85-103, 1º sem. 2009a.

______. Do dialogismo ao gênero – as bases do pensamento do Círculo de Bakhtin. Campinas: Mercado de Letras, 2009b.

______. Comunicação “Um sujeito em permanente tornar-se, ou a ontologia dialógica de Bakhtin”. IV Jornada do Grupo de Pesquisa CNPq Linguagem, Identidade e Memória. Uberaba: UFU, 2009c.

VOLOSHINOV, V. N. (1930). El signo ideológico y la filosofía del lenguaje . Trad. Rosa María Rússovich. Buenos Aires: Nueva Visión, 1976.

______. (1929/30). Les frontières entre poétique et linguistique. In : TODOROV, Tzvetan. Le Principe dialogique. Suivi de Ecrits du cercle de Bakhtine . Paris: Seuil, 1981, p. 243-285.

______. (1925). Más allá de lo social. Ensayo sobre la teoría freudiana. In: SILVESTRI, Adriana e BLANCK, Guilhermo. Bajtín y Vigotski: La organización semiótica de la conciencia . Barcelona: Anthropos, 1993, p. 173-216 .

______ (1929). La construcción de la enunciación. In: SILVESTRI, Adriana e BLANCK, Guilhermo. Bajtín y Vigotski: La organización semiótica de la conciencia . Barcelona: Anthropos, 1993, p. 245-276.

______.(1929). Qué es el lenguaje? In: SILVESTRI, Adriana e BLANCK, Guilhermo. Bajtín y Vigotski: La organización semiótica de la concienci a . Barcelona: Anthropos, 1993, p. 217-243.




DOI: https://doi.org/10.19134/eutomia-v1i04p%25p

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

Qualis (CAPES): B1-LETRAS / LINGUÍSTICA; B1-EDUCAÇÃO; B1-FILOSOFIA/TEOLOGIA:subcomissão FILOSOFIA; B1-INTERDISCIPLINAR; B3-CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS; B3-HISTÓRIA; B3-PSICOLOGIA; B5-EDUCAÇÃO FÍSICA; B5-ODONTOLOGIA; B5-SERVIÇO SOCIAL; C-ARTES / MÚSICA

Diretórios:


Indexadores:

 

Directory of Open Access Journals


Associação de revistas acadêmicas latinoamericanas de humanidades e ciências sociais

Institucional