“Achadouros”: uma leitura bakhtiniana do contradiscurso das memórias da infância de Manoel de Barros

Luciane de Paula, Marina Haber de Figueiredo

Resumo


Resumo: Este artigo analisa o texto “Achadouros”, de Manoel de Barros. A justificativa reside em evidenciar a construção estética desse contradiscurso, por meio de uma análise bakhtiniana sobre sujeito, tempo e espaço. As noções de dialogismo, ética, estética e sujeito fundamentam este artigo. A hipótese é a de que a construção do contradiscurso de Barros preconiza o mundo por meio de uma ótica que valoriza o subjetivismo concreto – contemplativo e erótico. Os resultados demonstram que isso é representado pela visão e pela voz de um sujeito adulto-criança, em sua infância.

Palavras-chave: Bakhtin, Manoel de Barros, literatura.

 

Abstract: This article analyzes the text "Achadouros" by Manoel de Barros. The justification is to highlight the aesthetic construction of counterdiscourse, through a Bakhtinian analysis on the subject, time and space. The notions of dialogism, ethics, aesthetics and subject based articles. The hypothesis is that the construction of the speech‟s Barros calls the world through a perspective that values the concrete subjectivism - contemplative and erotic. The results show that this is represented by the vision and the voice of a subject adult-child in its infancy.

Keywords: Bakhtin, Manoel de Barros, literature.


Texto completo:

PDF

Referências


AMORIM, M. “Cronotopo e exotopia”. In: BRAIT, B. (org.). Bakhtin: outros conceitos chaves. São Paulo: Contexto, 2006, pp. 95-114.

ARIES, P. História social da criança e da família. São Paulo: LTC, 2001. ASSIS, M. de. Dom Casmurro. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BAKHTIN, M. (Volochinov). Marxismo e Filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. São Paulo: Hucitec, 2006.

______. A Cultura Popular na Idade Média e no Renascimento: o contexto de François Rabelais. Tradução: Yara Frateschi Vieira, São Paulo/ Brasília: Hucitec/UnB, 1987.

______. Estética da Criação Verbal. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

______. O Freudismo.São Paulo: Perspectiva, 2004.

______. Questões de literatura e estética: a teoria do romance. São Paulo: Hucitec/ USP, 1988.

______. Problemas da poética de Dostoievski. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1999.

______. Para uma filosofia do ato. Tradução acadêmica para o português de Carlos Alberto Faraco. (Mimeo, s/ data)

______. Discurso na vida e discurso na arte. Tradução acadêmica para o português de Carlos Alberto Faraco. (Mimeo, s/ data)

BARROS,M.Memórias inventadas: a infância. São Paulo: Planeta, 2003.

FARACO, C. A. Linguagem e diálogo: as idéias lingüísticas do Círculo de Bakhtin. Curitiba: Criar, 2003.

FIORIN, J. L. “Interdiscursividade e intertextualidade”. In BRAIT, B. (org.). Bakhtin – outros conceitos-chave. São Paulo: Contexto, 2006.

MARCHEZAN, R. “Diálogo”. In: BRAIT, B (org.). Bakhtin: outros conceitos chaves. São Paulo: Contexto, 2006, pp.115-132.

PAULA, L. de. “O dizer estético e (anti)ético da mídia: a veridictoriedade à luz da perspectiva bakhtiniana”. In: OSÓRIO, E. M. R. (Org.). Bakhtin na prática: leituras de mundo. São Carlos: Pedro & João Editores, 2008.

ROUSSEAU, J. J. Emílio ou Da Educação. São Paulo: Martins Fontes, 1990.

SANT‟ANNA, A. R. Drummond: o gauche no tempo. Rio de Janeiro: Record, 1992.

SOBRAL, A. “Ético e Estético”. In: BRAIT, B(org.). Bakhtin: conceitos chaves. São Paulo: Contexto, 2007, pp.101-121.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

Qualis (CAPES): B1-LETRAS / LINGUÍSTICA; B1-EDUCAÇÃO; B1-FILOSOFIA/TEOLOGIA:subcomissão FILOSOFIA; B1-INTERDISCIPLINAR; B3-CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS; B3-HISTÓRIA; B3-PSICOLOGIA; B5-EDUCAÇÃO FÍSICA; B5-ODONTOLOGIA; B5-SERVIÇO SOCIAL; C-ARTES / MÚSICA

Diretórios:


Indexadores:

 

Directory of Open Access Journals


Associação de revistas acadêmicas latinoamericanas de humanidades e ciências sociais

Institucional