O admirável mundo novo da República Velha: o nascimento da ficção científica brasileira

Alexander Meireles da Silva

Resumo


Resumo: Este trabalho analisa a ascensão e a expressão da vertente romanesca da literatura fantástica conhecida como Ficção Científica dentro do cenário da Literatura Brasileira durante o período da República Velha (1889-1930). Assim como ocorrera na Europa, as grandes questões dos períodos da Belle Époque e do entre guerras promoveram as condições para o surgimento da Ficção Científica no Brasil. Em nosso país, essa forma literária se apresentou através de duas vertentes: a Ciência Gótica, e a Literatura de Distopia. No Brasil, a Ciência Gótica surgiu como resposta ao processo de modernização pelo qual a cidade capital do Rio de Janeiro passou. Já a Literatura de Distopia refletiu o interesse das elites dirigentes com as teorias eugenistas da época e com a constituição miscigenada do povo brasileiro.

Palavras-chaves: Literatura Comparada – Literatura Brasileira - Ficção Científica

 

Abstract: This work focuses on the rise and expression of the form of fantastic literature known as Science Fiction in the setting of Brazilian Literature during the period of the Old Republic (1889-1930). As it was observed in relation to Europe, the context of the Belle Epoque and the period between the two World Wars provided the conditions for the appearance of Science Fiction in Brazil. In this country, this literary form was expressed in two different ways: the Gothic Science and the Dystopian Literature. In Brazil, Gothic Science appeared as a response to the process of modernization to which the capital city of Rio de Janeiro was exposed. Dystopian Literature reflected the interest of Brazilian elites about the eugenic theories of the time and about miscegenation as a crucial element in the constitution of the country’s people.

Key-words: Comparative Literature – Brazilian Literature – Science Fiction.


Texto completo:

PDF

Referências


ALLEN, L. David. No mundo da ficção científica. São Paulo: Summus editorial, 1974.

BAKER, Robert S. The Modern Dystopia: Huxley, H. G. Wells, and Eugene Zamiatin.

In: ___. Brave New World: History, Science and Dystopia. Boston: Twayne Publishers, 1990, p. 36-45.

BOOKER, M. Keith. The Dystopian Impulse in Modern Literature. London: Greenwood Press, 1994.

BOSI, Alfredo. História concisa da literatura brasileira. 38ed. São Paulo: Cultrix, 1994.

CARVALHO, J. M. de. Os bestializados: o Rio de Janeiro e a república que não foi. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

CAUSO, Roberto de Souza. Ficção científica, fantasia e horror no Brasil: 1875-1950. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003.

CLUTE, John; NICHOLLS, Peter. Gothic SF. In: ___ (eds.). The Encyclopedia of Science Fiction. New York: St. Martin´s Press, 1993, p. 510-512.

______. The Encyclopedia of Science Fiction. London: Dorling Kindersley, 1995.

COELHO NETO. Conversão. In: ___. Contos da vida e da morte. Porto: Livraria Chardron, 1926, p. 19-24.

______. Esfinge. Porto: Livraria Chardron, 1906.

______. Herdeiro. In: ___. Contos da vida e da morte. Porto: Livraria Chardron, 1926, p.155-161.

CUNHA, Fausto. A ficção científica no Brasil: um planeta quase desabitado. In: ALLEN, L. David. No mundo da ficção científica. São Paulo: Summus editorial, 1974, p.5-20.

DIWAN, Pietra. Eugenia, a biologia como farsa. In: História viva. São Paulo, Edição 49, ano V, p. 76-81, 2007.

______. Raça pura: uma história da eugenia no Brasil e no mundo. São Paulo: Contexto, 2007.

EL FAR, Alessandra. Páginas de sensação: literatura popular e pornográfica no Rio de Janeiro (1870-1924). São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

FAUSTO, Boris. O pensamento nacionalista autoritário: 1920-1940. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora, 2001.

GABRIELLI, Murilo Garcia. A obstrução ao fantástico como proscrição da incerteza na literatura brasileira. Rio de Janeiro, UERJ, Instituto de Letras, 2004. 157 fl. digitadas. Tese de Doutorado em Literatura Comparada.

LOBATO, Monteiro. O presidente negro. In: ___. A onda verde e O presidente negro. São Paulo: Editora Brasiliense, 1966. (Obras completas de Monteiro Lobato – vol 5).

MOYLAN, Tom. Scraps of the Untainted Sky. Colorado: Westview Press, 2000.

NEEDELL, Jeffrey D. Rio de Janeiro at the Turn of the Century: modernization and the Parisian ideal. In: HARRISON, John P. (ed.) Journal of Interamerican Studies and World Affairs. Vol. 25 nº 1. Fevereiro. Beverly Hills: Sage Publications, 1983.

PORRU, Mauro. Prefácios do imaginário decadentista. In: COUTINHO, Luiz Edmundo Bouças. (Org.). Arte e artifício: manobras de fim-de-século. Rio de Janeiro: UFRJ, 2002. p. 57-68.

SEVCENKO, Nicolau. A revolta da vacina: mentes insanas em corpos rebeldes. São Paulo: Editora Brasiliense, 1984. (Coleção Tudo é História)

SHELLEY, Mary. Frankenstein. London: Wordsworth Editions, 1993. (Wordsworth classics).

SILVA, Alexander Meireles. Literatura inglesa para brasileiros: curso completo de cultura e literatura inglesa para estudantes brasileiros. Rio de Janeiro: Editora Ciência Moderna, 2005.

TAVARES, Bráulio. As origens da ficção científica no Brasil. D. O. Leitura, n. 138, nov. 1993. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado S. A. IMESP.

______. (org.) Páginas de sombra: contos fantásticos brasileiros. Rio de Janeiro: Casa da palavra, 2003.




DOI: https://doi.org/10.19134/eutomia-v1i02p%25p

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

Qualis (CAPES): B1-LETRAS / LINGUÍSTICA; B1-EDUCAÇÃO; B1-FILOSOFIA/TEOLOGIA:subcomissão FILOSOFIA; B1-INTERDISCIPLINAR; B3-CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS; B3-HISTÓRIA; B3-PSICOLOGIA; B5-EDUCAÇÃO FÍSICA; B5-ODONTOLOGIA; B5-SERVIÇO SOCIAL; C-ARTES / MÚSICA

Diretórios:


Indexadores:

 

Directory of Open Access Journals


Associação de revistas acadêmicas latinoamericanas de humanidades e ciências sociais

Institucional