Closeness and beauty | A Proximidade e o Belo (Trad. Sueli Cavendish)

Hans Ulrich Gumbrecht

Resumo


"The now ubiquitous “selfie-stick,” in its embarrassing directness, has added a grotesque degree of evidence to a condition of experience that we have long been familiar with. Visitors at art museums stepping a few steps back and a few steps forth in order to find what will end up appearing to be the “right” distance in front of a painting; potential spectators making a value decision about price levels for different locations in a theater building, a stadium, or a concert hall; and a connoisseur getting his nose close to a glass of wine in order to appreciate what we call (in the most tautological of all metonymies) its “nose” – they all competently act within multiple parameters of the complex relation between distance, closeness and aesthetic experience although they may never have explicitly thought about them. And despite that strange metonymy of a “nose” standing in the syntactical place reserved for the smells of wine, I should emphasize right from the start of my brief reflection about the triple relationship between distance, closeness, and aesthetic experience in its different modalities that, even in the most complex varieties, the dimensions of this relationship are all “real,” in the sense of being spatial, geometrical, and measurable in inches, feet, and yards. [...]"

"O agora onipresente “pau–de-selfie”, em sua embaraçosa exposição, acrescentou mais um grotesco grau de evidência a uma condição com que  há muito nos familiarizamos. Visitantes de museus de arte, retrocedendo alguns passos e avançando outros passos, a fim de encontrar o que ao final se revele como a distância “correta” à frente de um quadro; espectadores potenciais discutindo os níveis de preços para os diversos lugares num teatro, num estádio, ou numa casa de ópera; e um connoisseur aproximando o nariz de uma taça de vinho a fim de apreciar o que chamamos (na mais tautológica das metonímias) seu “cheiro” – todos agem de forma competente nos múltiplos parâmetros das complexas relações entre a distância, a proximidade e a experiência estética, embora seja bem possível que jamais tenham pensado objetivamente sobre elas. E a despeito da estranha metonímia de um nariz ocupando o lugar sintático reservado para as essências do vinho, devo enfatizar logo no início da minha breve reflexão sobre a tripla relação entre a distância, a proximidade e a experiência estética em suas diferentes modalidades que, mesmo nas mais complexas variedades, as dimensões dessa relação são todas “reais”, no sentido de serem espaciais, geométricas e mensuráveis em polegadas, pés e jardas. [...]"

Texto completo:

PDF (ENGLISH) PDF


DOI: https://doi.org/10.19134/eutomia-v1i16p178-184%20|%20185-191

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

Qualis (CAPES): B1-LETRAS / LINGUÍSTICA; B1-EDUCAÇÃO; B1-FILOSOFIA/TEOLOGIA:subcomissão FILOSOFIA; B1-INTERDISCIPLINAR; B3-CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS; B3-HISTÓRIA; B3-PSICOLOGIA; B5-EDUCAÇÃO FÍSICA; B5-ODONTOLOGIA; B5-SERVIÇO SOCIAL; C-ARTES / MÚSICA

Diretórios:


Indexadores:

 

Directory of Open Access Journals


Associação de revistas acadêmicas latinoamericanas de humanidades e ciências sociais

Institucional