Perspectivas ontológicas e éticas da (inter)subjetividade

Ricardo Lima Gomes, Maria Cristina Hennes Sampaio

Resumo


O presente ensaio tem por objetivo investigar os questionamentos filosóficos acerca da noção de (inter)subjetividade. Para esse fim procedeu-se a uma análise dialógica do pensamento de três importantes filósofos dos séculos XIX e XX, respectivamente: Soren Kierkegaard, Mikhail Bakhtin, Martin Heidegger. Enquanto o primeiro parte da distinção entre objetivo e subjetivo, para defender uma radicalização do pensamento subjetivo, Heidegger e Bakhtin enfatizam a  coexistencialidade do homem e a responsabilidade ontológica. Para Heidegger (2005), as estruturas originárias do Dasein são o ser-no-mundo, o ser-com e a co-pre-sença – o que nos permite concluir que antes da própria pre-sença, os outros já estariam co-pre-sentes no ser-no-mundo –, ou seja, o ser-com-o-outro, determina existencialmente o Dasein. Quanto a Bakhtin (2016), são nos momentos comuns de uma arquitetônica, constituída por um conjunto de mundos concretamente individuais, que reside a (inter)subjetividade, ou seja, as várias arquitetônicas concretas são a ponte ontológica da ética individual bakhiniana.

Palavras-chave


Intersubjetividade; Ontología; Ética; Discurso.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.19134/eutomia-v1i19p1-22

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

Qualis (CAPES): B1-LETRAS / LINGUÍSTICA; B1-EDUCAÇÃO; B1-FILOSOFIA/TEOLOGIA:subcomissão FILOSOFIA; B1-INTERDISCIPLINAR; B3-CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS; B3-HISTÓRIA; B3-PSICOLOGIA; B5-EDUCAÇÃO FÍSICA; B5-ODONTOLOGIA; B5-SERVIÇO SOCIAL; C-ARTES / MÚSICA

Diretórios:


Indexadores:

 

Directory of Open Access Journals


Associação de revistas acadêmicas latinoamericanas de humanidades e ciências sociais

Institucional