Forma do romance e forma da história: a representação do “Terceiro Mundo” em Zero, de Ignácio de Loyola Brandão

Pedro Dolabela Chagas

Resumo


A representação da história contemporânea em Zero, de Ignácio de Loyola Brandão. A insuficiência das formas e conceitos legados pela tradição literária diante das contradições da modernização brasileira: a forma do romance como resposta ao desafio da interpretação de um país em transformação. Considerações gerais sobre a forma literária e a representação da história.
Palavras-chave: Zero, de Ignácio de Loyola Brandão; Romance brasileiro pós-64; Interpretação nacional; Romance e representação da história.


Abstract: The representation of contemporary history in Ignácio de Loyola Brandão’s Zero. The insufficiency of forms and concepts inherited from the literary tradition before the contradictions of Brazilian modernization: the form of the novel as a response to the challenges of interpreting a changing country. General considerations about literary form and the representation of history.


Palavras-chave


Zero, de Ignácio de Loyola Brandão, Romance brasileiro pós-64; Interpretação nacional; Romance e representação da história, Ignácio de Loyola Brandão’s Zero; Post-1964 Brazilian novel; National Interpretation; The novel and the representation of history

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.19134/eutomia-v1i20p205-225



 

Qualis (CAPES): B1 (Quadriênio 2013-2016)

Diretórios:


Indexadores:

 JURN: Get the research you need, free

Directory of Open Access Journals


Associação de revistas acadêmicas latinoamericanas de humanidades e ciências sociais

 

 

Institucional