Bakhtin e Vygotsky: tecendo as bases para o letramento jurídico

Silvia Regina Emiliano Gonzaga, Neiva Maria Jung

Resumo


Tendo em vista a importância dos Novos Estudos de Letramento como campo epistemológico para as discussões do ensino de língua materna,  o objetivo deste artigo é discutir a respeito da necessidade do letramento jurídico na disciplina Linguagem Forense para alunos do 1º ano do curso de Direito em uma faculdade particular, uma vez que no contexto jurídico utiliza-se linguagem  específica, como os brocardos e expressões latinas, que encerram diversos conceitos básicos dessa área de conhecimento, mas numa linguagem que não é conhecida por boa parte dos alunos que ingressa na vida acadêmica do curso de Direito. Assim, ancorados nos pressupostos bakhtinianos, vygotskyanos, nos Novos Estudos de Letramento e em autores, professores e advogados da esfera do Direito, partimos da exposição e análise do plano de ensino da disciplina Linguagem Forense e, nele, os conteúdos previstos anualmente e os definidos para o 3º bimestre, quando os alunos estudam a linguagem técnica, com a qual precisam familiarizar-se para compreender e desenvolver de forma adequada os textos que serão seus instrumentos de trabalho e estudo no decorrer do Curso e na sua vida profissional.

Palavras-chave


Letramento; Curso de Direito; Língua Latina; Dialogismo

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.19134/eutomia-v1i21p198-217



 

Qualis (CAPES): B1 (Quadriênio 2013-2016)

Diretórios:


Indexadores:

 JURN: Get the research you need, free

Directory of Open Access Journals


Associação de revistas acadêmicas latinoamericanas de humanidades e ciências sociais

 

 

Institucional