GEORGES BATAILLE: O PRAZER DO PEDAÇO E DA DISSOLUÇÃO

Fabio Cavalcante Andrade

Resumo


A obra inclassificável de Georges Bataille suscita uma série de reflexões profundamente atuais, que vão desde as potências irrefreáveis do corpo até a compreensão do caráter transgressor do olhar. Olhar alucinado, encontrando paralelo inclusive no caráter alucinado do pensamento e do texto de Bataille. O que prova, por sua vez, a importância nuclear que as relações entre o olhar e o visível ocupam em sua escritura sempre destinada à transgredir certos limites e fronteiras. Assim, entender as repercussões desse olhar que encena o voyeurismo como dissolução do eu traduz aquilo que o próprio Bataille denominou de erotismo sagrado, enquanto experiência fundamental da potência erótica e desafio à tradição racionalista da filosofia ocidental.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.19134/eutomia-v1i24p136%20-%20146



 

Qualis (CAPES): B1 (Quadriênio 2013-2016)

Diretórios:


Indexadores:

 JURN: Get the research you need, free

Directory of Open Access Journals


Associação de revistas acadêmicas latinoamericanas de humanidades e ciências sociais

 

 

Institucional