Romance e Teoria da Evolução: condições da interface

Pedro Dolabela Chagas

Resumo


A teoria da evolução em sua apropriação possível pela teoria literária: crítica à teleologia, afirmação de princípios de causalidade interna, o caráter estatístico das continuidades e das variações, a inércia das estruturas, a dimensão conservadora das variações singulares. A evolução como redescrição de objetos, acontecimentos, estruturas e processos; na literatura, como redescrição da relação entre sociedade, autoria e as técnicas literárias. A importância dos contextos e a “memética” como descrição da circulação não consciente de valores e códigos culturais. Discussão de questões específicas sobre a evolução do romance.

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, Mikhail. Questões de Literatura e de Estética (a Teoria do Romance). 4. ed. São Paulo: EdUNESP, 1998. 428p.

BECKER, Howard S. Art worlds. 1 ed. Berkeley: University of California Press, 2008. 408p.

BOYD, Brian. On the origin of stories. 1. ed. Cambridge: Harvard University Press, 2009. 540p.

BRUNETIÈRE, Ferdinand. L'évolution des genres dans l'histoire de la littérature : leçons professées à l'École normale supérieure. 1. ed. Paris: Hachette, 1914. 283p.

CHKLOVSKI, Viktor. A arte como procedimento. In: SCHNAIDERMAN, Boris. (org.). Teoria da literatura. Formalistas russos. 1. ed. Porto Alegre: Editora Globo, 1971, pp. 39-56.

DAWKINS, Richard. O gene egoísta. 1. ed. Belo Horizonte: Itatiaia, 2001. 230p.

DENNETT, Daniel C. Consciousness explained. 1. ed. New York: Back Bay Books, 1991. 511p.

ECHEVARRÍA, Roberto González. Mito y archivo. Una teoría de la narrativa latinoamericana. 1. ed. México: Fondo de Cultura Económic0, 2000. 283p.

HEGEL, Georg Wilhelm Friedrich. Cursos de estética, Vol. 1. 1. ed. São Paulo: Edusp, 1999. 302p.

HEGEL, Georg Wilhelm Friedrich. Cursos de estética, Vol. 4. 1. ed. São Paulo: Edusp, 2004. 287p.

ISER, Wolfgang. O ato da leitura (2 vols.). 1. ed. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1996. 388p.

JAUSS, Hans Robert. A história da literatura como provocação à teoria literária. 1. ed. São Paulo: Ática, 1994. 97p.

MATURANA, Humberto. A biologia do conhecer: suas origens e implicações. In: A ontologia da realidade. 1. ed. Belo Horizonte: EdUFMG, 2002a, p. 31-52.

MATURANA, Humberto. Biologia da linguagem: a epistemologia da realidade. In: A ontologia da realidade. 1. ed. Belo Horizonte: EdUFMG, 2002b, p. 123-166.

MAYR, Ernst. O que é a evolução? 1. ed. Rio de Janeiro: Rocco, 2009. 342p.

MORETTI, Franco. Modern Epic. The World System from Goethe to García Marquez. 1. ed. Nova Iorque: Verso, 1996. 256p.

MORETTI, Franco. A alma e a harpia – reflexões sobre as metas e os métodos da historiografia literária. In: Signos e estilos da modernidade. 1. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007a, p. 11-56.

MORETTI, Franco. Da evolução literária. In: Signos e estilos da modernidade. 1. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007b, p. 307-326.

TYNIANOV, Juri. Da evolução literária. In: SCHNAIDERMAN, Boris. (org.). Teoria da literatura. Formalistas russos. 1. ed. Porto Alegre: Editora Globo, 1971, pp. 105-118.




DOI: https://doi.org/10.19134/eutomia-v1i11p%25p

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

Qualis (CAPES): B1-LETRAS / LINGUÍSTICA; B1-EDUCAÇÃO; B1-FILOSOFIA/TEOLOGIA:subcomissão FILOSOFIA; B1-INTERDISCIPLINAR; B3-CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS; B3-HISTÓRIA; B3-PSICOLOGIA; B5-EDUCAÇÃO FÍSICA; B5-ODONTOLOGIA; B5-SERVIÇO SOCIAL; C-ARTES / MÚSICA

Diretórios:


Indexadores:

 

Directory of Open Access Journals


Associação de revistas acadêmicas latinoamericanas de humanidades e ciências sociais

Institucional