Historicização da episteme literária: Hansen e Costa Lima

Pedro Dolabela Chagas

Resumo


Breve panorama do cenário de renovação epistemológica nos campos da teoria e da crítica literária em curso nas décadas de 1970 e 1980. A historicização da episteme artística moderna (com particular ênfase nos conceitos de arte e de literatura pós-românticos) como estratégia de caracterização das limitações atuais do pensamento sobre a literatura ou/e para a proposição de paradigmas analíticos alternativos. Discussão do lugar de João Adolfo Hansen e de Luiz Costa Lima dentro deste processo, sob dois ângulos distintos: 1) as suas contribuições para a historicização da episteme literária moderna, de acordo com as funções que a historicização recebeu nas obras de um e de outro; 2) as suas contribuições para o questionamento do “paradigma nacionalista” na crítica e na historiografia literária brasileira.


Texto completo:

PDF

Referências


ALPERS, Svetlana. The art of describing. Dutch art in the Seventeenth Century. 1. ed. Chicago: The University of Chicago Press, 1983. 273p.

ANDERSON, Benedict. Comunidades imaginadas. 1. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1991. 330p.

CAMPOS, Haroldo de. O seqüestro do barroco na Formação da Literatura Brasileira: o caso Gregório de Matos. 2. ed. São Paulo: Iluminuras, 2011. 127 p.

CANDIDO, Antonio. Formação da Literatura Brasileira. (2 vols.) 8. ed. Belo Horizonte: Itatiaia, 1997. 717p.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano. 8. ed. Petrópolis: Vozes, 2002. 349p.

HANSEN, João Adolfo. A sátira e o engenho. 2. ed. Cotia/Campinas: Ateliê/Unicamp, 2004. 523p.

HANSEN, João Adolfo. Barroco, Neobarroco e outras ruinas. Floema – Caderno de Teoria e História Literária, Vitória da Conquista, Ano II, n. 2A, p. 15-84, out. 2006.

ISER, Wolfgang. O ato da leitura. (2 vols.) 1. ed. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1996a. 389p.

ISER, Wolfgang. O fictício e o imaginário: perspectivas de uma antropologia literária. 1. ed. Rio de Janeiro: EdUERJ, 1996b. 366p.

KITTLER, Friedrich A. Discourse networks 1800/1900. 1. ed. Stanford: Stanford University Press, 1990. 459p.

LACOUE-LABARTHE, Philippe ; NANCY, Jean-Luc. L’absolu littéraire. Théorie de la littérature du romantisme allemand. 1. ed. Paris: Seuil, s.d. 445p.

LIMA, Luiz Costa. O controle do imaginário. 1. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1983. 282p.

LIMA, Luiz Costa. Limites da voz. (2 vol.) 1. ed. Rio de Janeiro: Rocco, 1993. 467p.

LUHMANN, Niklas. Art as a social system. 1. ed. Stanford: Stanford University Press, 2000. 422p.

PAZ, Octavio. Sor Juana Inés de la Cruz o las trampas de la fe. 1. ed. México: Seix Barral, 1982. 658p.

PÉCORA, Alcir. Máquina de gêneros. 1. ed. São Paulo: Edusp, 2001. 245p.

SÜSSEKIND, Flora. O Brasil não é longe daqui. 1. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1990. 320p.

WILLIAMS, Raymond. O campo e a cidade na história e na literatura. 1. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1990. 439p.

ZUMTHOR, Paul. Oral poetry: an introduction. 1. ed. Minneapolis: The University of Minnesota Press, 1990. 265p.

ZUMTHOR, Paul. A letra e a voz – a “literatura” medieval. 1. ed. São Paulo: Cia. das Letras, 2001. 324p.




DOI: https://doi.org/10.19134/eutomia-v1i11p%25p

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

Qualis (CAPES): B1-LETRAS / LINGUÍSTICA; B1-EDUCAÇÃO; B1-FILOSOFIA/TEOLOGIA:subcomissão FILOSOFIA; B1-INTERDISCIPLINAR; B3-CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS; B3-HISTÓRIA; B3-PSICOLOGIA; B5-EDUCAÇÃO FÍSICA; B5-ODONTOLOGIA; B5-SERVIÇO SOCIAL; C-ARTES / MÚSICA

Diretórios:


Indexadores:

 

Directory of Open Access Journals


Associação de revistas acadêmicas latinoamericanas de humanidades e ciências sociais

Institucional