A Infância no Museu

Ermelinda Maria Araújo Ferreira

Resumo


Assim como em tantas obras de Paula Rego, Oratório – uma instalação de 2010 feita a pedido do The Foundling Hospital de Londres, a primeira instituição de caridade da Inglaterra a receber crianças abandonadas no século XVIII  – conta histórias tristes e resgata o sofrimento de vidas anônimas, sobretudo de mulheres vitimadas pelo preconceito numa sociedade onde o nascimento ilegítimo era considerado um verdadeiro estigma. Aficcionada pela literatura, Paula Rego traduz em imagens suas desleituras ideológicas de textos canônicos, oferecendo ao público a oportunidade de reler essas histórias no silêncio profundamente eloquente de sua obra, onde as formas e as cores se reúnem numa espécie de grotesca e contundente oração.

Texto completo:

PDF

Referências


BERGER, John. Modos de ver. Lisboa: Edições 70, 1972.

BOHM-DUCHEN, Monica. The nude. Themes in art. London: Scala Publications, 1992.

EDWARD, Lucie-Smit. Sexuality in Western Art. London: Thames & Hudson, 1997

GAVIN, Jamila. Coram boy. London: Egmont/Mammoth, 2000.

GOFFMAN, Erving. Estigma: la identidad deteriorada. Buenos Aires: Amorrortu Editores, 1993.

GOMBRICH, E. H. La imagen y el ojo. Madrid: Alianza Editorial, 1993.

HOWLETT, Jana; MENGHAM, Rod (Eds.). The violent muse. Manchester and New York: The Manchester University Press, 1994.

JOCELYN, Marthe. A home for Foundlings. Toronto: Tundra Books, 2005.

LEVIN, David Michael (Ed.). Modernity and the hegemony of vision. Berkeley and Los Angeles: The University of California Press, 1993.

LÉVINAS, Emanuel. Entre nós – ensaio sobre a alteridade. Rio de Janeiro: Vozes, 2005.

LISBOA, Maria Manuel. Paula Rego’s map of memory: national and sexual politics. Aldeshot, Hantes: Ashgate, 2003.

LINS, Osman. Avalovara. São Paulo: Melhoramentos, 1976.

MACEDO, Ana Gabriela. Paula Rego e o poder da visão. A minha pintura é como uma história interior. Lisboa: Edições Cotovia, 2010.

MALBOROUGH FINE ART. Paula Rego – Oratorio. 7 July – 20 August 2010. London, 2010.

MALRAUX, André. O museu imaginário. Lisboa: Edições 70, 2011.

MANGUEL, Alberto. Uma história da leitura. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

_____. Lendo imagens. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

McCLURE, Ruth. Coram's children: the London Foundling Hospital in the Eighteenth Century. New Haven: Yale University Press, 1981.

OLIVER, Christine; AGGLETON, Peter. Coram's children: growing up in the care of the Foundling Hospital: 1900-1955. London: Coram Family, 2000.

SONTAG, Susan. Doença como metáfora. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

TATE GALLERY PUBLISHING. Paula Rego. London: Thames and Hudson, 1997.

ZUNSHINE, Lisa. Bastards and Foundlings: illegitimacy in Eighteenth Century England, Columbus: Ohio State University Press, 2005.




DOI: https://doi.org/10.19134/eutomia-v1i12p%25p

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

Qualis (CAPES): B1-LETRAS / LINGUÍSTICA; B1-EDUCAÇÃO; B1-FILOSOFIA/TEOLOGIA:subcomissão FILOSOFIA; B1-INTERDISCIPLINAR; B3-CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS; B3-HISTÓRIA; B3-PSICOLOGIA; B5-EDUCAÇÃO FÍSICA; B5-ODONTOLOGIA; B5-SERVIÇO SOCIAL; C-ARTES / MÚSICA

Diretórios:


Indexadores:

 

Directory of Open Access Journals


Associação de revistas acadêmicas latinoamericanas de humanidades e ciências sociais

Institucional