Lendo, refletindo e dialogando: mudanças ocorridas na configuração dos livros didáticos de Português a partir da década de 1960

Joceli Cargnelutti, Graziela Lucci de Angelo

Resumo


Diante do interesse em buscar outras informações sobre a história do ensino da disciplina curricular Língua Portuguesa  procuro trazer elementos adicionais voltados ao ensino de língua materna, com o intuito de ampliar os estudos sobre a constituição da disciplina curricular Língua Portuguesa. Nesse percurso investigativo estabeleço um diálogo com diferentes textos acadêmicos publicados a partir dos anos 1960, voltados a essa temática, advindos das várias áreas do conhecimento, com destaque à área dos estudos linguísticos. Focalizo textos que referenciam as mudanças ocorridas na configuração dos livros didáticos a partir da década de 1960. Além disso, procuro investigar em que medida as alterações que foram ocorrendo no aspecto gráfico (cores, capa, imagens, formato, dentre outros) se relacionam ou não com as mudanças previstas para o ensino de língua portuguesa, em termos de uma nova concepção de linguagem, de língua e de ensino de língua.

Texto completo:

PDF

Referências


ANGELO, Graziela Lucci. Revisitando o ensino tradicional de Língua Portuguesa. 261 folhas. Tese (Doutorado em Ensino/Aprendizagem de Língua Materna). Universidade Estadual de Campinas, São Paulo, 2005.

BAKHTIN, Mikhail. Observações sobre a epistemologia das ciências humanas. In: Estética da criação verbal. Tradução Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 1974/1997, p. 401-414.

BASTOS, Maria Helena Camar; LEMOS, Elizandra Ambrosio; BUSNELLO, Fernanda. A pedagogia da ilustração: uma face do impresso. In: Bencostta, Marcus Levy. Culturas escolares, saberes e práticas educativas: itinerários históricos. São Paulo: Cortez, 2007.

BELMIRO, Celia Bicalil. A imagem e suas formas de visualidade nos livros didáticos de Português. Educação & Sociedade, ano XXI, nº 72, ago/2000, p. 11-31.

________. Um estudo sobre relações entre imagem e textos verbais em cartilhas de Alfabetização e livros de Literatura Infantil. 285 folhas (Doutorado em Educação). Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2008.

BITTENCOURT, Circe Maria Fernandes. Livro didático e saber escolar: 1810-1910. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

CARGNELUTTI, Joceli. A unidade didática como gênero do livro didático de Português: sua constituição nas décadas de 1960/1970/1980. 2010. 101 folhas. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2010.

FERNANDES, Adriana. A constituição do ensino de Língua Portuguesa na trilha de documentos oficiais do Rio Grande do Sul: conhecimento e perspectivas. Dissertação (Estudos Linguísticos). Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2011.

FRANCHI, Carlos. Mas o que é mesmo “Gramática”? São Paulo: Parábola, 2006.

GATTI JÚNIOR, Décio. A escrita escolar da História: livro didático e ensino no Brasil (1970-1990). Bauru, SP: Edusc; Uberlândia, MG: Edufu, 2004.

GENOUVRIER, Emile; PEYTARD, Jean. Linguística e ensino do Português. Coimbra: Almedina. Tradução: Rodolfo Ilari, 1973.

GERALDI, João Wanderley. A aula como acontecimento. Palestra proferida na Semana da Prática Pedagógica, Universidade de Aveiro, CIFOP, 2003.

________. Deslocamentos no ensino: de objetos a práticas; de práticas a objetos. Texto apresentado na mesa-redonda “Gêneros discursivos e ensino, XIX Seminário do CELLIP, Unioeste, Cascavel, outubro de 2009.

ILARI, Rodolfo. A Linguística e o ensino da Língua Portuguesa. São Paulo: Martins Fontes, 1989.

LINS, Osman. Do ideal e da glória: problemas inculturais brasileiros. São Paulo: Summus, 1977.

LOBATO, Lúcia. Teorias linguísticas e o ensino do português como língua materna. Tempo Brasileiro. v. 53/54, p. 05-47, abr./set., 1978.

MELO, G. C. de. Vícios do nosso ensino gramatical. In: Melo, G. C. de. Iniciação à Filologia e à Linguística Portuguesa. Rio de Janeiro: Acadêmica, 1971, p. 285-290.

MORAES, Didier D. C. Dias de. A renovação visual do livro didático no Brasil: o design de Ary de Noronha na Editora Ática. Anais do 8º Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design. São Paulo: SP, 2008, p. 140-150.

NAKAMOTO, Persio. A configuração gráfica do livro didático: um espaço pleno de significações. 114folhas. Tese (Doutorado em Educação). Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

PIETRI, Émerson. O discurso da mudança do ensino de língua materna no processo de constituição da linguística brasileira. Tese de Doutorado. Campinas: Instituto de Estudos da Linguagem, Unicamp, 2003.

SOARES, Magda Becker. Um olhar sobre o livro didático. In: Presença Pedagógica, v.2, n.12, Nov./dez. 1996, p. 52-64.

ZANDWAIS, Ana. Linguagem e ensino: saberes linguísticos e literários dominantes em compêndios escolares. Organon, v. 17, n. 35, p. 19-38, 2003.




DOI: https://doi.org/10.19134/eutomia-v1i12p%25p

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

Qualis (CAPES): B1-LETRAS / LINGUÍSTICA; B1-EDUCAÇÃO; B1-FILOSOFIA/TEOLOGIA:subcomissão FILOSOFIA; B1-INTERDISCIPLINAR; B3-CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS; B3-HISTÓRIA; B3-PSICOLOGIA; B5-EDUCAÇÃO FÍSICA; B5-ODONTOLOGIA; B5-SERVIÇO SOCIAL; C-ARTES / MÚSICA

Diretórios:


Indexadores:

 

Directory of Open Access Journals


Associação de revistas acadêmicas latinoamericanas de humanidades e ciências sociais

Institucional