Personagens pungentes da história: Os emigrantes de W. G. Sebald

Micheliny Verunschk Pinto Machado

Resumo


Este trabalho é uma reflexão sobre as quatro novelas que compõem a obra Os emigrantes, de W. G. Sebald e as relações entre história e literatura e a reconstrução do real pela memória, pelo documento, pela voz poética e pelo uso do recurso do narrador assertivo. Nesse sentido são analisados trechos das narrativas com o intuito de recompor o percurso do autor em seus efeitos e intencionalidades.

Texto completo:

PDF

Referências


AGAMBEN, Giorgio. O que é o contemporâneo? E outros ensaios. Tradução Vinícius Nicastro Honesku. Chapecó, SC: Argos, 2009.

BARTHES, Roland. A câmara clara. Tradução Júlio Castañon Guimarães. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2011.

FERREIRA, Jerusa Pires. Armadilhas da memória e outros ensaios. Cotia, SP: Ateliê Editorial, 2003.

HALBWACHES, Maurice. A memória coletiva. Tradução Beatriz Sidou. São Paulo: Centauro, 2006.

MONTENEGRO, Antonio Torres. História oral e memória. São Paulo: Contexto, 1994.

SEBALD, W.G. Os emigrantes: quatro narrativas longas. Tradução José Marcos Macedo. São Paulo: Companhia Das Letras, 2009.

SONTAG, Susan. Diante da dor dos outros. Tradução Rubens Figueiredo. São Paulo: Companhia Das Letras, 2003.

_______. Questão de ênfase – ensaios. Tradução Rubens Figueiredo. São Paulo: Companhia Das Letras, 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

Qualis (CAPES): B1-LETRAS / LINGUÍSTICA; B1-EDUCAÇÃO; B1-FILOSOFIA/TEOLOGIA:subcomissão FILOSOFIA; B1-INTERDISCIPLINAR; B3-CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS; B3-HISTÓRIA; B3-PSICOLOGIA; B5-EDUCAÇÃO FÍSICA; B5-ODONTOLOGIA; B5-SERVIÇO SOCIAL; C-ARTES / MÚSICA

Diretórios:


Indexadores:

 

Directory of Open Access Journals


Associação de revistas acadêmicas latinoamericanas de humanidades e ciências sociais

Institucional