Aspectos políticos, discursivos e subjetivos da interculturalidade na formação do professor de espanhol como LE

Deise Cristina de Lima Picanço

Resumo


Resumo: Neste trabalho pretendemos refletir sobre alguns aspectos importantes da formação do professor de Espanhol como língua estrangeira numa perspectiva intercultural: os embates políticos do campo educacional na formação de professores numa perspectiva emancipadora, os debates no campo das ciências humanas e da linguística aplicada, em torno das relações entre língua, cultura e sociedade, e os aspectos discursivos que envolvem nossas escolhas sobre o papel formativo da LE na educação básica e a formação do professor numa perspectiva intercultural adequada às realidades que enfrentamos cotidianamente nas nossas escolas. Para isso, nos baseamos nas noções de discurso e interdiscurso da Análise do Discurso Francesa, nos teóricos do Círculo de Bakhtin e nas formulações de Bourdieu.

Palavras-chave: formação de professores; interculturalidade; políticas educacionais.

 

Abstract: In this work we intend to reflect on some important aspects of teacher of Spanish as a foreign language from an intercultural perspective: the political clashes in the educational field in teacher emancipatory perspective, the debates in the field of human sciences and applied linguistics, around relationships between language, culture and society, and discursive aspects involving our choices about the formative role of foreign language in basic education and teacher training in intercultural perspective appropriate to the realities that we face daily in our schools. For this, we rely on the notions of discourse in Discourse Analysis French, the theorists in the Bakhtin Circle and the formulations of Bourdieu.

Keywords: teacher training; intercultural perspective; educational policies.


Texto completo:

PDF

Referências


BHABHA, Homi. O bazar global e o clube dos cavaleiros ingleses: textos seletos de Homi Bahbha. Rio de Janeiro: Rocco, 2011. Organização de Eduardo F. Coutinho e tradução de Teresa Dias Carneiro.

BAGNO, M. & RAGEL, E. O. Tarefas da educação linguística no Brasil. Rev. Brasileira de Lingüística Aplicada, v. 5, n. 1, 2005.

BAKHTIN, M.M./VOLOSHINOV/V. N. Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. São Paulo: HUCITEC, 1992.

BAKHTIN, M.M. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

____________. Questões de literatura e de estética. São Paulo: UNESP/HUCITEC, 1998.

____________. Problemas da poética de Dostoiévski. Rio de Janeiro, RJ: Forense Universitária, 1997.

BIZARRO, R. & FRAGA, F. Educação intercultural, competência plurilingue e competência pluricultural: novos desafios para a formação de professores de Línguas Estrangeira. Disponível em Acesso em: novembro de 2011.

BOURDIEU, P. O Senso Prático. Petrópolis/RJ: Vozes, 2011. Tradução Odacir L. Coradini.

CASTRO, G. de & PICANÇO, Deise C. L. . Dos parcos resultados da Educação Linguística no Brasil e da importância das relações entre sujeito e linguagem. In: Schmidt; Garcia; Horn. (Org.). Diálogos e perspectivas de Investigação. Ijuí: UNIJUí, 2008, v. 1, p. 49-61.

CONSOLO, D. A. Formação de professores de línguas: reflexão sobre uma (re)definição de posturas pedagógicas no cenário brasileiro. FREITAS, Alice Cunha de, CASTRO, Maria de Fátima F. Guilherme de (orgs). IN: Língua e Literatura: ensino e pesquisa. São Paulo: Contexto, 2003.

CHAGURI, J. P. & TONELLI, J. R. A. Alguns aspectos teóricos e políticos sobre a formação inicial de professores de língua estrangeira. Maringá PR, Anais. Disponível em < www.cielli.com.br/downloads/513.pdf> Acesso em: novembro de 2011.

DERRIDA, Jacques. A diferença. In: _______________. Margens da Filosofia. Campinas,SP: Papirus, 1991.

EAGLETON, Terry. A ideia de cultura. São Paulo: Editora da UNESP, 2011.

FARACO, Carlos Alberto. Linguagem e Diálogo: as idéias lingüística do Círculo de Bakhtin. Curitiba, PR: Criar Edições, 2003.

FREITAS, L. C. de. Eliminação adiada: o ocaso das classes populares no interior da escola e a ocultação da (má) qualidade do ensino. In; Educ. Soc..Campinas, v. 28, n. 100, Oct. 2007.

FOUCAULT, M. A arqueologia da saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2002. Tradução de Luiz Felipe B. Neves. 4ª edição.

_______________. Sobre as maneiras de escrever a história. In.: MOTTA, M.B. (Org.) Michel Foucault. Arqueologia das ciências e história dos sistemas de pensamento.(Coleção Ditos & Escritos II). Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2005. (62-81)

KUMARAVADIVELU, B. A Linguística aplicada na era da globalização. IN: LOPES, Luiz Paulo Moita. Por uma linguística aplicada Indisciplinar. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

LIMA, E. F. de. A didática na perspectiva intercultural e a formação inicial de professores. pp. 155-171.IN: EGGERTET, Edla (organizadora). Trajetórias e processos de ensinar e aprender: didática e formação de professores. Livro 1. EDIPUCRS: Porto Alegre, 2008.

MAGALHÃES, M. C. C. O professor de línguas como pesquisador de sua ação: a pesquisa colaborativa. Trajetórias na formação de professores de língua. Londrina: Ed. UEL, 2002.

PENNYCOOK, A. Incommensurable discourses? Applied Linguistics, Vol. 15., No. 2, Oxford University Press, 1994.

_______________. Uma linguistica aplicada transgressiva. IN: LOPES, Luiz Paulo Moita. Por uma linguistica aplicada Indisciplinar. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

PICANÇO, Deise C. L. . Para quê queremos ensinar LE às nossas crianças. In: Juliana Reichert Assunção Tonelli; Jonathas de Paula Chaguri. (Org.). Ensino de Língua Estrangeira para crianças: o ensino e a formação em foco. 1a.ed.Curitiba: Appris, 2011, v. 1, p. 183-203.

___________________. Cenas e Cenários de Ensino-Aprendizagem de Língua Estrangeira na Mídia e na Literatura. In: Picanço, D C. L. & Castro, G.. (Orgs.). Educação, midia e sociedade: alguns ensaios discursivos. 1 ed. Londrina: EDUEL, 2011, v. 1, p. 187-208.

___________________. Aspectos discursivos da formação subjetiva em língua estrangeira: a mídia em questão. In: 17 COLE, 2009, Campinas. Anais do 17 Congresso de Leitura do Brasil. Campinas : ALB, 2009.

____________________ . História, memória e ensino de espanhol( 1942-1990): as interfaces do ensino da língua espanhola como disciplina escolar partir da memória de professores, métodos de ensino e livros didáticos no contexto das reformas educacionais.. 1. ed. Curitiba: Editora da UFPR, 2003. v. 1. 207 p.

MOITA LOPES, L. P. Fotografia da lingüística aplicada no campo de línguas estrangeiras modernas no Brasil. DELTA. São Paulo: EDUC, 1990, nº Especial , vol. 15, p 385- 417.

SCHMIDT, Rita Terezinha. O pensamento-compromisso de Homi Bhabha: notas para uma introdução. IN: BHABHA, Homi. O bazar global e o clube dos cavaleiros ingleses: textos seletos de Homi Bahbha. Rio de Janeiro: Rocco, 2011. Organização de Eduardo F. Coutinho e tradução de Teresa Dias Carneiro.

SOUZA, Vilma Aparecida de . Marxismo, Educação e Estado: As Políticas Educacionais da América Latina no contexto das mutações do papel do Estado nos anos 1990/2000.Anais do V Encontro Brasileiro De Educação E Marxismo Marxismo, Educação e Emancipação Humana. Florianópolis:UFSC, 2011.

DEL VALLE, José & VILLA, Laura. Lengua, naciones y multinacionales: las políticas de promoción del español en Brasil. 2005. [Disponível em http://www.abralin.org/revista/RV4N1_2/RV4N1_2_art7.pdf. Acesso em: novembro de 2011.




DOI: https://doi.org/10.19134/eutomia-v1i10p111-132

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

Qualis (CAPES): B1-LETRAS / LINGUÍSTICA; B1-EDUCAÇÃO; B1-FILOSOFIA/TEOLOGIA:subcomissão FILOSOFIA; B1-INTERDISCIPLINAR; B3-CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS; B3-HISTÓRIA; B3-PSICOLOGIA; B5-EDUCAÇÃO FÍSICA; B5-ODONTOLOGIA; B5-SERVIÇO SOCIAL; C-ARTES / MÚSICA

Diretórios:


Indexadores:

 

Directory of Open Access Journals


Associação de revistas acadêmicas latinoamericanas de humanidades e ciências sociais

Institucional