Formação de professores de espanhol no Brasil: algumas reflexões

Luciana Maria Almeida de Freitas

Resumo


Resumo: Este artigo discute questões relativas à formação de professores de espanhol no Brasil tendo como ponto de partida o Decreto-lei  1.190/1939, que dá organização à Faculdade Nacional de Filosofia, em contraponto com a Lei 11.161/2005, que tornou obrigatória a oferta da língua nas escolas de Ensino Médio. Para desenvolver tais reflexões, assume-se uma perspectiva teórica que entende a docência como trabalho (AMIGUES, 2003; FAÏTA, 2003; SOUZA-E-SILVA, 2004) e que entende o trabalho como resultado da negociação entre saberes, atividades e valores (SCHWARTZ, 1997). Serão abordados neste texto, fundamentalmente, três problemas: a polêmica acerca do quantitativo de docentes necessários para atender à demanda gerada pela 11.161; a crença na desnecessidade da formação em cursos de licenciatura para o exercício da docência de língua espanhola;  o modelo de formação de professor que se institui em 1939 e que predomina ainda hoje.

Palavras-chave: Formação docente, espanhol no Brasil, ensino como trabalho.

 

Abstract:This paper discusses issues concerning the education of teachers of Spanish in Brazil, starting with the law 1190/1939, which structured the National College of Philosophy, in contrast with the law 11161/2005, which established the obligation of secondary schools to offer the language. In order to develop this discussion, we assume here a theoretical perspective that understands teaching as work (AMIGUES, 2003; FAÏTA, 2003; SOUZA-E-SILVA, 2004) and work as the result of negotiation among knowledges, activities and values (SCHWARTZ, 1997). In this text, basically three problems will be addressed: the debate about the quantity of teachers needed to supply the demand generated by the law 11161; the belief that teacher education in graduation courses is not necessary for the practice of teaching the Spanish language; the model of teacher education that was established in 1939 and that is still predominant today.

Key-words: Teacher education, Spanish in Brazil, Teaching as work


Texto completo:

PDF

Referências


AMIGUES, R. Pour une approche ergonomique de l’activité enseignante. Skholê, Aix-Marseille, hors-série 1, p.5-16, 2003.

ARIAS, J. Los centros de secundaria de Brasil ofrecerán el español como asignatura. El país, Madri, 8 de julho de 2005.

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. Tradução de P. Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BRASIL. Decreto-Lei n. 1.190, de 4 de abril de 1939. Dá organização à Faculdade Nacional de Filosofia. Disponível em:

ideNorma=349241&seqTexto=1&PalavrasDestaque=>. Acesso em: 17 out. 2008.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: . Acesso em 11 jan. 2010.

______. Lei n. 11.161, de 5 de agosto de 2005. Dispõe sobre o ensino da língua espanhola. Disponível em: . Acesso em 7 ago. 2005.

BRASIL APRUEBA ley que extiende la enseñanza del español a sus veinte mil institutos de secundaria. ABC, Madri, 8 de julho de 2005.

CELADA, M.T. O espanhol para o brasileiro. Uma língua singularmente estrangeira. 2002. 278p. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem, UNICAMP, Campinas.

DAHER, D.C.; SANT'ANNA, V.L.A. Do otium cum dignitate dos cursos de Letras à formação de professores de línguas. In: DAHER, D.C.; GIORGI, M.C.; RODRIGUES, I.C. (Org.). Trajetórias em enunciação e discurso: práticas de formação docente. São Carlos: Editora Claraluz, 2009, p. 11-28.

E-MEC. Instituições de Educação Superior e Cursos Cadastrados. Disponível em: . Acesso em 10 nov. 2012.

FAÏTA, D. Apports des sciences du travail à l’analyses des activités enseignantes. Skholê, Aix-Marseille, hors-série 1, p.17-23, 2003.

FREITAS, L.M.A. Da fábrica à sala de aula: vozes e práticas tayloristas no trabalho do professor de espanhol em cursos de línguas. 2010. 309 f. Tese (Doutorado em Letras Neolatinas) – Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2010.

______. Entre lembranças e esquecimentos: relato memorístico sobre o ensino de Espanhol no Rio de Janeiro. Hispanista (Edición Española), v. 46, p. 348, 2011. Disponível em: .

______; VARGENS, D.; BARRETO, T.A. O ensino de espanhol no Brasil: entre memórias e esquecimentos. In: DAHER, D.C.; GIORGI, M.C.; RODRIGUES, I.C. (Org.). Trajetórias em enunciação e discurso: práticas de formação docente. São Carlos: Editora Claraluz, 2009, p.153-171.

GIL, G.M. Reforma e a compreensão de sentidos de Licenciatura: questão filosófica ou de carga horária? 2011. 137 f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Instituto de Letras, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2011.

INEP. Educacenso. Brasília: MEC/INEP, 2007.

MAINGUENEAU, D. Novas tendências em análise de discurso. Tradução de F. Indursky Campinas: Pontes, 1997.

NOVODVORSKI, A. A representação de atores sociais nos discursos sobre o ensino de espanhol no Brasil em corpus jornalístico. 2008. Dissertação (Estudos Linguísticos) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2008.

REINOSO, S. Oportunidad para maestros locales. Brasil necesitará 230.000 docentes de español. Será una materia optativa para 10 millones de alumnos. La Nación, Buenos Aires, 23 de julho de 2005. Disponível em: .

SCHWARTZ, Y. Reconnaissances du travail – Pour un approche ergologique. Paris: PUF, 1997.

______. A abordagem do trabalho reconfigura nossa relação com os saberes acadêmicos: as antecipações do trabalho. In: SOUZA-E-SILVA, M.C.P.; FAÏTA, D (Ed.). Linguagem e Trabalho – construção de objetos de análise no Brasil e na França. Tradução de I. Polegatto e D. Rocha. São Paulo: Cortez, 2002.

SOUZA-E-SILVA, M. C. P. O ensino como trabalho. In: MACHADO, A. R. (Org.) O ensino como trabalho: uma abordagem discursiva. Londrina: Eduel, 2004.

YAGÜE, A. Brasil necesita con urgencia 200.000 profesores de español. El adelanto, Salamanca, 9 de julho de 2005.




DOI: https://doi.org/10.19134/eutomia-v1i10p183-195

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

Qualis (CAPES): B1-LETRAS / LINGUÍSTICA; B1-EDUCAÇÃO; B1-FILOSOFIA/TEOLOGIA:subcomissão FILOSOFIA; B1-INTERDISCIPLINAR; B3-CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS; B3-HISTÓRIA; B3-PSICOLOGIA; B5-EDUCAÇÃO FÍSICA; B5-ODONTOLOGIA; B5-SERVIÇO SOCIAL; C-ARTES / MÚSICA

Diretórios:


Indexadores:

 

Directory of Open Access Journals


Associação de revistas acadêmicas latinoamericanas de humanidades e ciências sociais

Institucional