Espanhol no Ensino Médio: como o ensino dessa língua pode vir a ser mais proveitoso?

Mizael Inácio do Nascimento

Resumo


Resumo: A visão reducionista do ensino de língua centrada apenas na apreensão de estruturas gramaticais, ainda presente nas escolas, motivou as reflexões propostas neste trabalho, que tem como objetivo principal promover algumas discussões sobre as concepções de língua, sujeito e ensino subjacentes nas aulas de espanhol do Ensino Médio. Para tanto, foram levantadas algumas discussões sobre o ensino de língua estrangeira, neste caso o espanhol, em termos de Competência Comunicativa, o Enfoque Comunicativo e o ensino de língua estrangeira, e os estudos realizados sobre os Gêneros Discursivos e o ensino da escrita na era das novas tecnologias.

Palavras-chave: ensino e aprendizagem de espanhol; competência comunicativa; enfoque comunicativo; gêneros discursivos e escrita.

 

 

Resumen: La visión reduccionista de la enseñanza de lengua centrada apenas en la aprehensión de estructuras gramaticales, aún presente en las escuelas, motivó las reflexiones propuestas en este trabajo, que tiene como objetivo principal fomentar algunas discusiones sobre las concepciones de lengua, sujeto y enseñanza subyacentes en las clases de español de Enseñanza Media. Para esto, se plantearon algunas discusiones sobre la enseñanza de lengua extranjera, en este caso el Español, en términos de Competencia Comunicativa, el Enfoque Comunicativo y la enseñanza de lengua extranjera, y los estudios realizados sobre Géneros Discursivos y enseñanza de escritura en la era de las nuevas tecnologías.

Palabras Clave: enseñanza y aprendizaje de español; competencia comunicativa; enfoque comunicativo; géneros discursivos y escritura.

 


Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, M. (2003). Estética da criação verbal. São Paulo, Martins Fontes.

BAKHTIN, M./ VOLOCHINOV. (2002). Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo, Hucitec/Annablume.

BRONCKART, J. P. (1999). Atividade de linguagem, textos e discursos: por um interacionismo sócio-discursivo. São Paulo, EDUC.

CELANI, Maria A. A. (1995). A integração político-econômica do final do milênio e o ensino de língua(s) estrangeira(s) no 1º e 2º graus. 47ª Reunião Anual da SBPC.

ERES FERNÁNDEZ, G. e MACIEL, A. (2007). La oralidad en el proceso de enseñanza y aprendizaje del español como lengua extranjera: algunas reflexiones. Linguagem & Ensino, v. 10, n. 2, pp. 415-433.

GERALDI, J. W. (1996). Linguagem e ensino: exercício de militância e divulgação. São Paulo, ALB/Mercado das Letras.

GOETTENAUER, E. (2005). “Espanhol: língua de encontros” in: SEDYCIAS, J. (org.) O ensino de espanhol no Brasil: presente, passado, futuro. São Paulo, Parábola Editorial.

LITTLEWOOD, William (1998). La enseñanza comunicativa de idiomas. Madrid, Cambridge University Press.

LOPES, D. V. (2004). O processo da escrita e reescrita em língua inglesa: uma perspectiva sócio-cognitiva. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Pernambuco, PG em Linguística, Recife, mimeo.

MARCUSCHI, L. A. (2002) “Gêneros textuais: definição e funcionalidade.” in: DIONÍSIO, A. P., MACHADO, A. R., BEZERRA, M. A. (orgs). Gêneros Textuais & Ensino. Rio de Janeiro, Lucerna.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. (2006). Secretaria de Educação Média e Tecnologia. Parâmetros Curriculares Nacionais: ensino médio. Brasília, Ministério da Educação.

NASCIMENTO, Mizael Inácio do. (2005). A produção de resumo como gênero textual por alunos de espanhol no ensino médio – uma perspectiva cognitiva. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Pernambuco, PG em Linguística, Recife, mimeo.

NUNAN, David (1998). El diseño de tareas para la clase comunicativa. Madrid, Cambridge University Press.

SALINAS, A. (2005). “O ensino de espanhol para brasileiros: destacar o uso ou a forma?” in: SEDYCIAS, J. (org.) O ensino de espanhol no Brasil: presente, passado, futuro. São Paulo, Parábola Editorial.

SCHNEUWLY, B. & DOLZ, J. (2004). “Os gêneros escolares: das práticas de linguagem aos objetos de ensino.” in: Gêneros orais e escritos na escola. São Paulo, Mercado de Letras. [Tradução e organização Roxane Rojo e Glaís Sales Cordeiro].

VAL, Maria da Graça C. A interação linguística como objeto de ensino-aprendizagem da língua portuguesa. In: Educação em Revista. n. 16, dez./1992. pp. 23-30.




DOI: https://doi.org/10.19134/eutomia-v1i10p245-257

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

Qualis (CAPES): B1-LETRAS / LINGUÍSTICA; B1-EDUCAÇÃO; B1-FILOSOFIA/TEOLOGIA:subcomissão FILOSOFIA; B1-INTERDISCIPLINAR; B3-CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS; B3-HISTÓRIA; B3-PSICOLOGIA; B5-EDUCAÇÃO FÍSICA; B5-ODONTOLOGIA; B5-SERVIÇO SOCIAL; C-ARTES / MÚSICA

Diretórios:


Indexadores:

 

Directory of Open Access Journals


Associação de revistas acadêmicas latinoamericanas de humanidades e ciências sociais

Institucional