A violência da democracia: uma análise de discurso crítica do escândalo político dos “Novos aloprados”

Maria Eduarda Peixoto

Resumo


Resumo: O artigo analisa o escândalo brasileiro “Novos aloprados”, ocorrido em 2010. Discute-se o investimento linguístico da grande mídia brasileira, no processo de representação da criação da TV dos Trabalhadores, em Mauá (SP). Recorremos à Teoria social do escândalo, de J. Thompson (1995, 2002, 2009); à discussão sobre Direito de sentido, de R. Ferreira (2007); e à Teoria Social do Discurso, de N. Fairclough (1992, 2001, 2003). O corpus, reportagens da edição 2180 da revista Veja, é examinado conforme o enquadre metodológico da  Análise de Discurso Crítica (ADC). 

Palavras-chave: Mídia, escândalo político, representação.



Abstract: This article analyzes the brazilian scandal of “Novos aloprados”, occurred in 2010, in Brazil. We discuss how the mass media uses the language in the representation of the creation of TVT in Mauá (São Paulo, Brazil). Thereby, we do a joint three theoretical discourses: the Social theory of the scandal, of J. B. Thompson (1995, 2002, 2009); the debate about re-establishment of rights, of R. Ferreira (2007); and  the Social theory of discourse, of N. Fairclough (1992, 2001, 2003).The corpus is composed of articles of the 2180 edition of Veja magazine and examined  according to the methodological framework of Critical Discourse Analysis (ADC).

Keywords: Media, political scandal, representation.


Texto completo:

PDF

Referências


ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE EDITORES DE REVISTA (ANER). Disponível em: http://www.aner.org.br/Conteudo/l/ivc-maiores-semanais-141332-1.asp. Acesso em: 17 out. 2010.

AUSTIN, J. L. Quando dizer é fazer. Porto Alegre: Artes Médicas, 1990. (Tradução de Danilo Marcondes de Souza Filho).

BHASKAR, R. Philisophy and scientific realism. In: M. Archer et al. (orgs.), Critical Realism: essential readings. London: Routledge, 1998.

______. The possibility of naturalism: a philosophical critique of the contemporary Human Sciences. Hemel Hempstead: Harvester Wheatsheaf, 1989.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de outubro de 1988. Organização do texto: Juarez de Oliveira. 4. ed. São Paulo: Saraiva, 1990. 168p. (Série Legislação Brasileira).

BROWN, R.; GILMAN, A. The pronouns of power and solidarity. In: GIGLIOLO, P. (ed.), Language and Social Context. Harmondsworth: Penguin, 1960.

CABRAL, O. A busca da hegemonia. Revista Veja, São Paulo, 1 set. 2010. Seção Brasil, p. 61.

CHOULIARAKI, L.; FAIRCLOUGH, N. Discourse in Late Modernity. Edinburg: Edinburg University Press, 1999.

CUNHA, M. A. F. da; SOUZA, M. M. de. Transitividade e seus contextos de uso. Rio de Janeiro: Lucerna, 2007.

FAIRCLOUGH, N. Analysing Discourse: textual analysis for social research. London: Routledge, 2003.

_____. Discurso e mudança social. Brasília: Editora UnB, 2001.

_____. Discourse and social change. Cambridge: Polity Press, 1992.

FERREIRA, R. R. A construção discursiva do ‘escândalo político’ no governo Lula e suas implicações ético-políticas: um estudo comparativo da mídia brasileira e da mídia europeia.

______. Guerra na língua: mídia, poder e terrorismo. Fortaleza: EdUece, 2007.

FOUCAULT, M. The order of discourse. In: SHAPIRO, M. (org.) Language and politics. Oxford: Basil Blackwell, 1984.

GIDDENS, A. Modernidade e identidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2002.

GRAMSCI, A. Selections from the prision notebooks. Londres: Lawrence and Wishart, 1971. (Ed. Trad. Q. Hoare e G. N. Smith).

HALLIDAY, M. A. K.; HASAN, R. Language, context and text: aspects of language in a social-semiotic perspective. London: Oxford University Press, 1991.

HALLIDAY, M. A. K. An Introduction to Functional Grammar. Second Edition. London: Edward Arnold, 1994.

______. Explorations in the Functions of Language. London: Edward Arnold, 1973.

______. Language Structure and Language Function. In: LYONS, J. (ed.) New Horizons in Linguistics. Harmondsworth: Penguin Books, 1970.

HODDGER-WILLIAMS, R.; CEASER, J. Politicals in Britain and the United States: comparative perspectives. Durham, NC: Duke University Press, 1986.

INSTITUTO BRASILEIRO DE OPINIÃO PÚBLICA E ESTATÍSTICA (IBOPE). Disponível em: www.ibope.com.br. Acesso em: 27 jul. 2011.

KRISTEVA, J. Word, dialogue and novel. In: MOI, T. (org.) The Kristeva reader. Oxford: Basil Blackwell, 1986.

LACLAU, E.; MOUFFE, C. Hegemony and Socialist Strategy. London: Verso, 1985.

MISZTAL, B. Informality: Social Theory and Contemporary Practice, London: Routledge, 2000.

RAMALHO, V.; RESENDE, V. Análise do discurso crítica. São Paulo: Contexto, 2006.

RANGEL, R.; MELLO, F. Ele era o alvo. Revista Veja, São Paulo, 1 set. 2010. Seção Brasil, p. 60.

SAYER, A. Realism and social science. London: Sage, 2000.

SCHUDSON, M. Discovering the News: a social history of American newspapers. New York: Basic Books, 1978.

SOUZA, M. M. de. Transitividade e construção de sentido no gênero editorial. Recife, 2006. Tese (Doutorado em Lingüística). Universidade Federal de Pernambuco.

THOMPSON, J. B. A mídia e a modernidade: uma teoria social da mídia. Ed.11. Rio de Janeiro: Vozes, 2009. Tradução de Wagner de Oliveira Brandão

______. O escândalo político: poder e visibilidade na era da mídia. Petrópolis: Vozes, 2002. (Tradução de Pedrinho A. Guareschi).

______. Ideologia e Cultura Moderna: Teoria social crítica na era dos meios de comunicação de massa. Ed.2. Rio de Janeiro: Vozes, 1995.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

Qualis (CAPES): B1-LETRAS / LINGUÍSTICA; B1-EDUCAÇÃO; B1-FILOSOFIA/TEOLOGIA:subcomissão FILOSOFIA; B1-INTERDISCIPLINAR; B3-CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS; B3-HISTÓRIA; B3-PSICOLOGIA; B5-EDUCAÇÃO FÍSICA; B5-ODONTOLOGIA; B5-SERVIÇO SOCIAL; C-ARTES / MÚSICA

Diretórios:


Indexadores:

 

Directory of Open Access Journals


Associação de revistas acadêmicas latinoamericanas de humanidades e ciências sociais

Institucional