A OCORRÊNCIA DE ARTE PRÉ-HISTÓRICA MALACARA I: Considerações Técnicas e Tipológicas

Hérom Silva de Cezaro, Juliano Bitencourt Campos, Marcos César Pereira Santos, Pedro Ignácio Schmitz

Resumo


Objetivo deste artigo é apresentar o registro, mapeamento e análise das técnicas e tipologias contidas na ocorrência arqueológica denominada como Malacara I. Essa ocorrência de Arte Pré-histórica se caracteriza como um bloco de Basalto a céu aberto, em contexto fluvial, com gravuras geométricas realizadas com diferentes técnicas: picoteado, inciso e polimento. A pertinência da pesquisa pesa principalmente na divulgação para a comunidade científica das características técnicas inéditas inerentes as gravuras rupestres que compõem a ocorrência arqueológica. Outra questão em aberto é sobre a possibilidade de as mesmas serem resultados de ações naturais. Essa pesquisa está inserida na problemática arqueológica do Brasil Meridional, onde sítios com arte rupestre apresentam diversificados tipos geométricos sem clara definição tecno-tipológica e cultural. Assim, neste artigo buscamos dar visibilidade a composição, e técnicas de confecção e sua relação com as tradições rupestres descritas para o Sul do Brasil e inseridas na problemática de pesquisa do projeto Arqueologia Entre Rios: do Urussanga ao Mampituba, (AERUM).

 

THE OCCURRENCE OF PRE-HISTORICAL ART MALACARA I: Technical and Typological Considerations

ABSTRACT

The objective of this article is to present the registration, mapping and analysis of the techniques and typologies contained in the archaeological occurrence denominated as Malacara I. This occurrence of Prehistoric Art is characterized as a basalt block in the open, in river context, with geometric engravings performed with different techniques: pecking, incision and polishing. The pertinence of the research weighs mainly in the dissemination to the scientific community of the unpublished technical characteristics inherent to the rock engravings that compose the archaeological occurrence. Another open question is about the possibility that they are the results of natural actions. This research is inserted in the archaeological problematic of Southern Brazil, where sites with rock art present diverse geometric types without clear tecno-typological definition and culture Thus, in this article we seek to give visibility to the composition and techniques of confection and its relation with the rock traditions described for the South of Brazil and inserted in the problem of research of the Project Arqueologia Entre Rios: do Urussanga ao Mampituba, (AERUM).

Keywords: Rock Art; Extreme South of Santa Catarina; Canyons.

 


Palavras-chave


Arte Pré-histórica; Extremo Sul Catarinense; Cânions

Texto completo:

PDF

Referências


AGUIAR, R. L. S. Manual de Arqueologia Rupestre: uma introdução ao estudo da arte rupestre na ilha de Santa Catarina e ilhas adjacentes. Florianópolis: Ed. Ioesc, 2002.

AGUIAR, R. L. S. A Arte dos Pescadores Pré-Históricos no Litoral Catarinense: Ensaios Interpretativos sobre a Arte Rupestre na Ilha de Santa Catarina e Ilhas Adjacentes. Florianópolis: Revista Multitemática das Faculdades Energia, Nº. 3, p. 92-100, 2004.

AGUIAR, R.L.S. Catálogo da Arte Rupestre de Santa Catarina. Disponível em: Acesso em 1 agosto de 2017.

CAMPOS, J. B.; RIBEIRO, L. S.; RICKEN, C.; ROSA, R.C.; SAVI, C. N.; ZOCCHE, J. J. (2012). As gravuras rupestres do projeto encostas da serra no sul do estado de Santa Catarina, Brasil. In: OOSTERBEEK, L. M. et al. (Ed.). Jornadas de Arqueologia Iberoamericana. Arkeos, n. 32, p. 121-132.

CAMPOS, J. B; SANTOS, M.C.P.; ROSA, R.C.; RICKEN, C.; ZOCCHE, J.J. Arqueologia entre rios: do Urussanga ao Mampituba. Registros arqueológicos pré-históricos no extremo sul catarinense. LEPARQ, Nº20, p.09-39, 2013.

CAMPOS, J.B. Arqueologia entre Rios e a Gestão Integrada do Território no Extremo Sul de Santa Catarina - Brasil. 2015. 261f. Tese (Doutorado em Arqueologia) Universidade de Trás-os-montes e Alto Douro, Vila Real, Portugal, 2015.

CEZARO, H.S. de et al. Gravuras Rupestres Registradas no Projeto de Pesquisa Arqueologia Entre Rios: do Urussanga ao Mampituba. Criciúma: Revista Tecnologia e Ambiente: Dossiê IX Jornadas de Arqueologia Iberoamericana e I Jornada de Arqueologia Transatlântica, vol. 19, p.135-150, 2013.

CEZARO, H. S. A ARTE PRÉ-HISTÓRICA NO EXTREMO SUL CATARINENSE/SC: Um estudo de caso do Sítio de Arte Pré-histórico “Toca do Tatu” e das Ocorrências Malacara, Josafaz I e Salto da Serrinha. 2016. 125 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de História, Escola de Humanidades, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2016.

CEZARO, H. S; CAMPOS, J. B; SCHMITZ, P. I. A ARTE MÓVEL DO EXTREMO SUL CATARINENSE: Análise das Ocorrências Arqueológicas de Arte Pré-Histórica Josafaz I e Salto da Serrinha. Clio Arqueológica, Recife, v. 32, n. 2, p.48-70, 2017.

COMERLATO, F. Representações rupestres do litoral de Santa Catarina. 2005. 187 f. Tese (Doutorado) – Curso de História, Departamento de Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Pontifícia Universidade católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. 2005.

GASPAR, M. A Arte Rupestre no Brasil. Rio de Janeiro: Ed. Jorge Zahar, 2003.

IBGE. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. (2012). Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R. PR-5/02). Disponível em:

KAUL, P. F. T. (1990). Geologia. In: Geografia do Brasil; Região Sul. Rio de Janeiro: IBGE. v. 2, p. 29-54.

KERN, A. Antecedentes Indígenas. Síntese rio-grandense, Ed. de Porto Alegre, Universidade/UFRGS, 137p.

KREBS, A S. J. (2004). Contribuição ao conhecimento dos recursos hídricos subterrâneos da bacia hidrográfica do rio Araranguá, SC. Florianópolis: UFSC. 375 p. (Tese de Doutorado).

LIMA, T. V. Gravuras Rupestres no Estado do Rio Grande do Sul/Brasil, 1998. 195 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de História, Departamento de Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Pontífice Universidade Católica/PUC, RS, Porto Alegre, 1998.

LIMA, T.V. Estudo das Representações Rupestres do Centro-Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul/Brasil e Noroeste do Uruguai. 2004. 106 f. Tese (Doutorado) - Curso de História, Departamento de Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Pontífice Universidade Católica/PUC, RS, Porto Alegre, 2005.

MENTZ RIBEIRO, P. A. Manual de Introdução a Arqueologia. Porto Alegre: Livraria Sulina, 1977. 63 p.

MENTZ RIBEIRO, P. A. A Tradição Umbu no Sul do Brasil. Revista do Cepa, Santa Cruz do Sul, v. 17, n. 20, p.129-151, set. 1990.

OLIVEIRA, L. D. A arte rupestre no Rio Grande do Sul: Semiótica e Estereoscopia. Anais do II Simpósio Internacional O povoamento das Américas: São Raimundo Nonato, dez. 2006.

PELLANT, C. Rocks and Minerals. 2. ed. Washington – DC. 2002. 256p. (Smithsonian Handbooks).

PEREIRA, E.; RUBIO, T.M.; BARBOSA, C.A.P. Documentação digital da arte rupestre: apresentação e avaliação do método em dois sítios de Monte Alegre, Amazônia, Brasil. Belém: Bol. Mus. Para. Emílio Goeldi. Cienc. Humanas, vol. 8, Nº3, p.583-603, 2013.

PROUS, A. Les sculptures zoomorphes du sud brésilien et de l’Uruguay. Paris, 1977 PROUS, A. Arqueologia Brasileira. Brasília: UNB, p.613. 1992.

ROHR, J. A. Contribuição para a etnologia indígena do Estado de Santa Catarina. In:ANAIS CONGRESSO DE HISTÓRIA CATARINENSE, Nº 1. Florianópolis: Imprensa Oficial do Estado de Santa Catarina, vol. 2, 1950.

ROHR, J. A. Pesquisas Paleo-Etnográficas na Ilha de Santa Catarina. Porto Alegre: Pesquisas, Antropologia, p. 199-266, 1959.

ROHR, J. A. Petroglifos da Ilha de Santa Catarina e Ilhas Adjacentes. Pesquisas, Antropologia, Vol. 19, 1969.

ROHR, J. A. Os Sítios Arqueológicos do Planalto Catarinense, Brasil. São Leopoldo: Pesquisas, Antropologia, Vol. 24, p.01-64, 1971.

ROHR, J. A. Pesquisas arqueológicas no município catarinense de Urussanga. Anais do Museu de Antropologia, Florianópolis, 12 a 15, 1982.

ROHR, J. A. Sítios Arqueológicos de Santa Catarina. Anais do Museu de Antropologia da UFSC, Florianópolis, v. 17, p.77-168, 1984.

ROSA, N. S. Contribuição para o estudo do complexo de arte rupestre do vale do Tejo (Portugal): o sítio Cachão do Algarve. 2011. 261 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Quaternario e Pré-história, Instituto Politécnico de Tomar – Universidade de Trás-osmontes e Alto Douro, Tomar - Portugal, 2012.

SANCHIDRIÁN, J. L. Manual de Arte Pré-histórico. Barcelona: Ariel, 2001. 527 p.

SANTOS, M. C. P.; PAVEI D. D.; CAMPOS, J. B. Arqueologia Entre Rios: do Urussanga ao Mampituba. Paleoambiente, cultura material e ocupação humana na paisagem litorânea do extremo Sul catarinense entre 3.500-200 anos AP. Cadernos do CEON. v. 29, n. 44, 2016.

SCHMITZ, P.I.; BROCHADO, J. P. Petroglifos do Estilo Pisadas no Centro do Rio Grande do Sul. São Leopoldo: Pesquisas, Antropologia, Nº34, p.3-47, 1982. SCHMITZ, P.I. Caçadores e coletores da pré-história do Brasil. São Leopoldo: Instituto Anchietano de Pesquisas, 1984.

TRONCOSO, A.; CRIADO-BOADO, F.; SANTOS-ESTÉVEZ, M. Arte rupestre y códigos espaciales: un caso de estudio en Chile Central. Revista de Antropología Chilena, Chile, v. 43, n. 2, p.161-176, 2011

WHITE, I. C. (1908) Relatório final da Comissão de Estudos das Minas de Carvão de Pedra do Brasil. Rio de Janeiro: DNPM, 1988. Parte I, p.1-300; Parte II, p. 301-617. (ed. Fac-similar).




DOI: https://doi.org/10.20891/clio.V34N1p11-37

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

ISSN: 2448-2331

© 1984-2020 CLIO Arqueológica 
Universidade Federal de Pernambuco - UFPE
Programa de Pós-Graduação em Arqueologia
Centro de Filosofia e Ciências Humanas, 10º andar
Avenida da Arquitetura, S/N - Cidade Universitária
CEP 50.740-550 Recife (PE), Brasil

 

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License

 

UFPE LOCKSS Open Access

 

Instituições de referência para a CLIO Arqueológica:

Capes ABEC Fumdham INAPAS LatinRev