Virotes: espacialização e uso por populações indígenas no Sul do Brasil

Lucio Tadeu Mota, Aluízio Alfredo Carsten

Resumo


Virotes são pontas de projéteis feitas de rochas polidas ou de outros materiais, como madeira. Eles são utilizados tanto para capturar pássaros e pequenos mamíferos como para coletar frutos por diversas populações indígenas no Brasil. São apresentadas aqui informações técnicas sobre quatro exemplares dessas pontas rombas encontradas no norte do Paraná e é feita uma reflexão sobre o uso desses artefatos pelas diferentes populações indígenas no Sul do Brasil.

 


Abstract.

Arrow points are the tips of projectiles made of polished stone or other material such as wood. Several Indigenous populations in Brazil employ them to capture birds and small mammals and to harvest fruits. Current research provides technical information on four specimens of tips found in the northern region of the state of Paraná, Brazil. The use of the artifacts by different Indigenous populations in southern Brazil is discussed.

Keywords: arrows; arrow tips; frontiers and populations.



Palavras-chave


Virotes; Pontas de projéteis; Fronteiras e populações

Texto completo:

PDF

Referências


BIGG-WITHER, T. P. Pioneering in South Brazil. Three years of forest and prairie life in the Province of Paraná, in two volumes with map and illustrations. London: John Murray, 1878.

BORBA, Telêmaco. Actualidade indígena. Curitiba, Imprensa a vapor Impresora Paranaense. 1908.

CARSTEN, Aluízio Alfredo. Ocupação Humana da Bacia do Rio das Cinzas: uma história de povos sem história. Mestrado em História, PPH - Universidade Estadual de Maringá, 2012.

FERNANDES, José Loureiro. Os Caingangues de Palmas. Arquivos do Museu Paranaense, 1:161-229. Curitiba, 1941.

IHERING H. von. Archeologia comparativa do Brazil. Rev. Museu Paulista, 6. São Paulo, 1904, p. 574.

IHERING H. von. Civilização préhistórica do Brazil Meridional. Rev. Museu Paulista, 1, p. 33-161. São Paulo, 1895.

IHERING, Von, H. Resíduos da idade de pedra, na cultura actual do Brasil. Revista do Instituto Histórico de São Paulo, n˚9.

KOENIGSWALD, Gustav von. Die Coroados im sudlichen Brasilien. Globus, 1908, p. 27-32.

KRONE, Ricardo. Informações ethnográphicas do valle do rio Ribeira do Iguape. Exploração do Rio Ribeira do Iguape, 2. ed. Comissão Geográphica e Geológica do Estado de São Paulo. p. 23-34. 1914.

KRUG, Edmundo. Os índios das margens do Paranapanema. Revista do Instituto Histórico de São Paulo, n˚ 21.

LAMING-EMPERAIRE, Annette. Guia para o estudo das indústrias líticas da América do Sul. Curitiba, Centro de pesquisas Arqueológicas da Universidade Federal do Paraná. (Manuais de Arqueologia 2.), 1967.

LANE, Frederico. Arcos e flechas dos índios Kaingáng do Estado de São Paulo. Revista do Museu Paulista, Volume XI. São Paulo, 1959.

MÉTRAUX, Alfred. The Guaraní. In Steward, Julian H. (ed.), Handbook of South American Indians, Vol. 3: The tropical forest tribes, p. 69-94. Smithsonian Institution, Bureau of American Ethnology, Bulletin 143. Washington, 1948.

MOTA, Lúcio Tadeu. As colônias indígenas no Paraná provincial. Curitiba: Aos quatro ventos, 2000.

MOTA, Lúcio Tadeu. As populações indígenas Kaiowá, Kaingang e as populações brasileiras na bacia dos rios Paranapanema/Tibagi no século XIX: conquista e relações interculturais. Fronteiras (Campo Grande), v. 9, p. 47-72, 2007.

MOTA, Lúcio Tadeu. Os Xetá no vale do rio Ivaí 1840-1920. 1. ed. Maringá: Eduem, 2013. v. 1000. 209p.

MOTA, Lúcio Tadeu. (orgs.) Redução Jesuítica de Santo Inácio. 1. ed. Maringá: Eduem, 2010. v. 1. 174p.

PAULA, José M. de Memória sobre os Botocudos do Paraná e Santa Catarina organizado pelo Serv. de Proteção aos Índios sob a Inspeção do Dr. José M. de Paula. Anaes do XX Congresso Internacional de Americanistas, Rio de Janeiro, v.1, p. 117-37. 1924.

PLOETZ, Hermann & MÉTRAUX, Alfred. La civilisation matérielle et la vie sociele et religieuse des indiens Zè du Brésil méridional et oriental. Revista del Instituto de Etnología de la Universidad Nacional de Tucumán, 1(2):107-238. Tucumán, 1930.

RODRIGUES, Aryon Dall'Igna. Caderno de campo Xetá. Maringá: Eduem, 2013.

SANTOS, Sílvio Coelho dos. Os índios Xokleng: memória visual. Florianópolis: Ed. da UFSC; [Itajaí]: Ed. da UNIVALI, 1997.

SOUZA, Gustavo Neves. O Material Lítico Polido do interior de Minas Gerais e São Paulo: entre a matéria e a cultura. 148f. Dissertação (Mestrado em Arqueologia) – Programa de Pós-graduação em Arqueologia do Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008.

SPEISER, Felix. Im Duster des brasilianischen Urwalds. Stuttgart: Verlag Strecker und Schroder, 1926.

STEINEN, Karl von den. Unter den Naturvolkern Zentral-Braziliens. p. 485.

TIBURTIUS, Guilherme; LEPREVOST, Alsedo. Nota sobre a ocurrência de virotes, nos estados do Paraná e Santa Catarina. Arquivos de Biologia e Tecnologia, Curitiba, 1954, v. 9, p. 87-98.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

ISSN: 2448-2331

© 1984-2020 CLIO Arqueológica 
Universidade Federal de Pernambuco - UFPE
Programa de Pós-Graduação em Arqueologia
Centro de Filosofia e Ciências Humanas, 10º andar
Avenida da Arquitetura, S/N - Cidade Universitária
CEP 50.740-550 Recife (PE), Brasil

 

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License

 

UFPE LOCKSS Open Access

 

Instituições de referência para a CLIO Arqueológica:

Capes ABEC Fumdham INAPAS LatinRev