A CERÂMICA TUPINAMBÁ NA SERRA DE SANTANA-RN: A CULTURA DA FLORESTA TROPICAL NO CONTEXTO DO SEMIÁRIDO NORDESTINO

Fábio Mafra, Mônica Nogueira

Resumo


Este artigo apresenta os sítios arqueológicos identificados na região da Serra de Santana-RN durante os anos de 2008 e 2009 e classificados como pertencentes à Tradição Policroma Amazônica, subtradição Tupinambá.

 


ABSTRACT

This work presents the archeological sites identified in the Serra de Santana, RN during the years 2008 and 2009 and classified as belonging to the Policroma Amazonica Tradition, Tupinambá subtradition.

Key words: Policroma Amazonica Tradition; Tupinambá subtradition; Serra de Santana.




Palavras-chave


Tradição Policroma Amazônica; Cerâmica Tupinambá; Serra de Santana

Texto completo:

PDF

Referências


AB’SABER, Aziz. 1994 “No domínio das caatingas”. In: MONTEIRO, Salvador & KAZ, Leonel (orgs.). Caatinga. Sertão, Sertanejo. Rio de Janeiro: Edições Alumbramento/Livro arte Editora.

AB’SÁBER, Aziz. 2003. Os Domínios de Natureza no Brasil: Potencialidades Paisagísticas. São Paulo: Ateliê Editorial.

ALBUQUERQUE, Marcos e VELEDA, Lucena. 1991. “Caçadores-coletores no agreste pernambucano: ocupação e ambiente holocênico”. Revista Clio – Série Arqueológica. Recife, n. 4, 73–74.

BARO, Roulox. 1979. História das Últimas Lutas no Brasil entre Holandeses e Portugueses e Relação da Viagem ao País dos Tapuias. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, USP.

BARROS, Silvana D. Souza. 1998 Aspectos morfo-tectônicos nos platôs de Portalegre, Martins e Santana/RN.Dissertação de Mestrado, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, Brasil.

BORGES, Fabio Mafra. 2010. Os sítios arqueológicos Furna do Umbuzeiro e Baixa Do Umbuzeiro: Caracterização de um padrão de assentamento na área arqueológica do Seridó – Carnaúba dos Dantas - RN, Brasil. Tese de Doutorado, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, Brasil.

CAVALCANTI, Alice A. 1982. A Tradição Agreste: Análise de 20 Sítios de Arte Rupestre em Pernambuco. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, Brasil.

GUIDON, Niède. 1989. “Tradições Rupestres da Área Arqueológica de São Raimundo Nonato, PI, Brasil”. Revista Clio – Série Arqueológica. Recife, n. 05, 05–10.

LATHRAP, Donald W. 1975. O Alto Amazonas.Lisboa: Editorial Verbo.

MACEDO, Helder Alexandre Medeiros de. 2007. Uma viagem pela geografia botânica e pela história do Seridó, Rio Grande do Norte. Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, Brasil.

MARTIN, G. 2008. Pré-história do Nordeste do Brasil. Recife: Editora Universitária, UFPE.

MENEZES, Maria R. Ferreira de. 1999 Estudos sedimentológicos e o contexto estrutural da formação Serra do Martins, nos platôs de Portalegre, Martins e Santana/RN.Dissertação de Mestrado, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, Brasil.

NETO, Luiz Dutra de Souza; BERTRAND, Daniel. 2005. “Mapeamento dos sítios arqueológicos do município de Florânia/RN”. Mneme - Revista de Humanidades.Caicó, n.15. v. 7, 1–36.

NOGUEIRA, Mônica. 2011. A Cerâmica Tupinambá na Serra de Santana-RN: O Sítio Arqueológico Aldeia da Serra de Macaguá I. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, Brasil.

NOELLI, F. S. 1993. Sem Tekhoa não há Tekó (Em Busca de um Modelo Etnoarqueológico da Aldeia e da Subsistência Guarani e sua Aplicação a uma Área de Domínio no Delta do Rio Jacuí, Rio Grande do Sul). Dissertação de Mestrado, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Brasil.

PESSIS, Anne-Marie. 1989. “Apresentação Gráfica e Apresentação Social na Tradição Nordeste de Pintura Rupestre do Brasil”. Revista Clio – Série Arqueológica, n. 05, 11–18.

POMPA, Cristina. 2003. Religião como tradição: missionários, tupi e tapuia no Brasil colonial. Bauru: Editora EDUSC.

Pronapa. 1969. “Arqueologia brasileira em 1968: Um relato preliminar sobre o Programa Nacional de Pesquisas Arqueológicas”. Publicações avulsas. Belém, Museu Paraense Emílio Goeldi, n.12.

SCATAMACCHIA, Maria Cristina Ribeiro. 1990. A Tradição Policroma no Leste da América do Sul evidenciada pela ocupação Guarani e Tupinambá: fontes arqueológicas e etno-históricas. Tesede Doutorado, Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil.

SILVA, Kalina Vanderlei. 2003. Nas solidões vastas e assustadoras: os pobres do açúcar e a conquista do sertão de Pernambuco nos séculos XVII e XVIII. Tese de Doutorado, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, Brasil.

Secretaria de Estado do Planejamento e das Finanças do Rio Grande do Norte. Idema – Instituto de Desenvolvimento Econômico e do Meio Ambienta. 2003. Perfil do Seu Município. Natal: IDEMA.

TEENSMA, B. N. 2000“O Diário de Rodolfo Baro (1647). Como Monumento aos Índios Tarairiú do Rio Grande do Norte”. In: S. de ALMEIDA, M. GALINDO e J. ELIAS (orgs.). Índios do Nordeste: temas e problemas 2. Maceió, AL: EDUFAL, 81–99.

VIEIRA, Padre Antonio. Relação da Missão da Serra de Ibiapaba. s/a.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

ISSN: 2448-2331

© 1984-2020 CLIO Arqueológica 
Universidade Federal de Pernambuco - UFPE
Programa de Pós-Graduação em Arqueologia
Centro de Filosofia e Ciências Humanas, 10º andar
Avenida da Arquitetura, S/N - Cidade Universitária
CEP 50.740-550 Recife (PE), Brasil

 

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License

 

UFPE LOCKSS Open Access

 

Instituições de referência para a CLIO Arqueológica:

Capes ABEC Fumdham INAPAS LatinRev