CERÂMICA VERMELHA FINA, DO SÉCULO XVII, EM SALVADOR DA BAHIA

Carlos Etchevarne

Resumo


A presença de restos de cerâmica vermelha fina, de origem portuguesa, na cidade de Salvador da Bahia, no setor ocupado por conjuntos de edifícios vinculados a grupos sociais de alto poder econômico e político, podem ser considerados indicadores de certos gostos ou preferências de parte de seus habitantes, mas, também funcionariam como sinais materiais para os indivíduos ou famílias das elites marcarem e afirmarem sua posição de privilégio. A raridade dos fragmentos no universo total das cerâmicas encontradas na Praça da Sé de Salvador, condizente com o número de peças importadas, pode ser explicada pela fragilidade desse tipo de material cerâmico e sua dificuldade de transporte, fatores que resultariam no aumento do valor simbólico dos seus possuidores.


ABSTRACT

The presence of fine redwares of Portuguese origin in Salvador, Bahia, discovered in association with buildings related to the economically and politically powerful can be considered as indicators of the inhabitants’ tastes or preferences, but they also functioned as material symbols for elite individuals or families to mark and affirm their position of privilege. The rarity of this artifact in the total universe of pottery and ceramics uncovered from the Praça de Sá in Salvador, similar to the imported wares, can be explained by the fragility of this type of pottery and the difficulty of its transport, factors that resulted in the increase for symbolic value to those who owned these fine redwares.

KEYWORDS: Fine Portuguese pottery; Urban Archaeology; Colonial society

 


Palavras-chave


Cerâmica fina portuguesa; Arqueologia urbana,; Sociedade colonial

Texto completo:

PDF

Referências


ETCHEVARNE, C. e SARDINHA, O. A cerâmica vermelha fina do Convento de Sant´Anna (Lisboa), no acervo do Museu Nacional de Arqueologia. O Arqueólogo Português. Museu Nacional de Arqueologia, Lisboa, 2007.

FOLGADO, Deolinda e RAMALHO, Maria. A cerâmica comum fina de finais do século XVI – XVII inovação ou tradição. In: Casa do Brasil. Santarém: Câmara Municipal de Santarém, 2000.

MAURO, Fréderic. O Portugal, o Brasil e o Atlântico (1560-1670). Lisboa: Editorial Estampa, 1997

SARDINHA, Olinda. Olarias pedradas portuguesas: contribuição para o seu estudo. O Arqueólogo Português. Série IV. Vols. 8/10. Museu Nacional de Arqueologia. Lisboa, 1990-1992. Pp. 487-512.

SERRÃO, Veríssimo Joaquim. O Tempo dos Felipes em Portugal e no Brasil. Lisboa: Colibri. 2004.

SILVA, A. M.; RODRIGUES, M.A., GOMES, P.D.; TEXEIRA, R.J. Arqueologia Medieval e Moderna na Região do Porto. Rev. Almadan Série 11, N o. 9. Almada. 2000.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

ISSN: 2448-2331

© 1984-2020 CLIO Arqueológica 
Universidade Federal de Pernambuco - UFPE
Programa de Pós-Graduação em Arqueologia
Centro de Filosofia e Ciências Humanas, 10º andar
Avenida da Arquitetura, S/N - Cidade Universitária
CEP 50.740-550 Recife (PE), Brasil

 

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License

 

UFPE LOCKSS Open Access

 

Instituições de referência para a CLIO Arqueológica:

Capes ABEC Fumdham INAPAS LatinRev