ANÁLISE DA PATOLOGIA MECÂNICA DA PLATAFORMA DA ESTAÇÃO CENTRAL NO RECIFE ATRAVÉS DE ELEMENTOS FINITOS

Paulo Martin Souto Maior, Silvio Ricardo de Sampaio Ribeiro

Resumo


Esta pesquisa, financiada pelo CNPQ, analisou a plataforma da Estação Central no Recife, construída em 1888. Essa estrutura foi a primeira treliça Polonceau Composta montada no país e, das três treliças importadas à capital da antiga Província de Pernambuco até aquela época, é a única que apresenta uma patologia estrutural visível, inclusive, a olho nu. O estudo reside no fato de que em todas as treliças se observa flambagem em um tirante, portanto, uma barra submetida à tração e que não poderia apresentar esse tipo de deformação. Além do mais a análise considerou que a estrutura possui vários tipos de seções, compostas por elementos laminados, fundidos e forjados, e pontos nodais articulados. Com essas variáveis e levando em consideração a complexidade do sistema identificou-se a patologia da deformação através do método de elementos finitos em conjunto com consultas aos manuais de construção do século XIX. Para isso foi necessário estudar isoladamente como cada elementos absorve os esforços normais, como funciona todo o sistema e quais as solicitações que geraram a patologia da estrutura.

 

ABSTRACT

The present research work was financed by CNPQ and analyzes the platform of the Recife Central Station built in 1888. Its structure was the first compound Polonceau truss framework assembled in the country and of the three truss frameworks imported to the capital of the former Province of Pernambuco, it was the only one presenting a structural pathology visible to the naked eye. The investigation resides in the fact that a tug buckling is found in every truss framework, thus a bar enduring traction and which could not present this kind of deformation. Moreover, the present analysis assumed the structure to have different section types formed by forged, molten and laminated elements as well as nodal articulated points. From these variables, and taking into consideration the system complexity, the deformation pathology was identified through the finite elements method along with consulting building handbooks from the 19th century. Hence, it was needed to separately study the way each element absorbs normal forces, how the total system works and what applications cause the structural pathology.

KEY WORDS: Structural Analysis; Finite Elements; Building with cultural/historical value


Palavras-chave


Análise estrutural; Elementos finitos; Edificação de valor histórico/cultural

Texto completo:

PDF

Referências


Diario de Pernambuco, 02 de abril de 1885.

Diario de Pernambuco, 28 de maio de 1887.

Idem.

Idem.

Citação de Entretiens sur l’architecture, de Viollet-le-Duc, publicado por primeira vez em dois volumes entre 1858 e 1872 e transcrita em artigo no Diario de Pernambuco, 28 de maio de 1887.

Diario de Pernambuco, quinta-feira, 21 de julho de 1887.

Diario de Pernambuco, 3 de novembro de 1888.

Diario de Pernambuco, 31 de outubro de 1888.

Diario de Pernambuco, Sábado, 3 de novembro de 1888.

Diario de Pernambuco, Sábado, 3 de novembro de 1888.

Em 2004, a FUNDARPE (Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco), aprovou um projeto de intervenção que altera drasticamente a fisionomia e o uso do edifício transformando-o em centro cultural. O projeto foi apresentado pelo Banco do Brasil e incorpora novos blocos anexos ao prédio da estação. Por exigência da FUNDARPE, a gare não sofreu intervenção e manteve-se como espaço aberto que serve, atualmente, de circulação entre a estação do metrô e acesso ao exterior.

Existem, no prédio da Estação Central, oito esculturas de águias em ferro fundido que, mesmo não se encaixando literalmente na definição de um “animal fabuloso genericamente representado com cabeça de águia e corpo de leão alado” podem, ainda assim ser consideradas grifos”, RUNES, Dagobert D., SCHRICKEL G. Harry. Enciclopedia de las Artes. Éxito, Barcelona, 1956, p. 843.

NAVIER, C. L. M. H, Resumé des Leçons Donnés a L’Ecole des Ponts et Chaussees sur L’Aplication de la Mécanique a L’Etablissement des Constructions et des Machines, París, 1833, in: GASPARINE, D. A; PROVOST, Caterina, Early nineteenth century developments in truss design in Britain, France and the United States, p. 257-269, in: AA. VV. Structural Iron, 1750-1850.

POLONCEAU, A. R, Notice sur le nouveau système de ponts en font suivi dans la construction du pont du carrousel, par A. R. Polonceau, officier de la Lègion d’Honneur, inspector-divisionnaire des ponts et chaussèes, vol. 1, Ed. por Carilian-Goeury et V. Dalmont, 1839.

ECK, Ch. Ls. Gve. Application Générale du Fer, de la Fonte, de la Tôle et des Poteries – Traité de L’Application du Fer, de la Fonte de la Tôle dans Toutes les Constructions. Libraires des Corps Royaux des Ponts et Chausées et des Mines, París, 1841, p. 86.

PERDONET, M. Auguste y POLONCEAU, M. Camile. Portefeuil fr L’Ingenieur des Chemis de Fer, Editorial E. La Croix, Paris, 1861.

EMY, Amand Rose. Traite de L’Art de la Charpenterie. Anselin Libraire, Paris 1841, p. 285.

Entre 1841 e 1842, portanto, apenas dois anos após a publicação de Polonceau, se construiu em St. Petersburgo, para a coberta do hall do Palácio de Inverno de Jorge V, uma treliça tracionada que vencia um vão de 21 metros. O projeto, do inglês de família russa Mathew Clarkde, possuía dez bielas e expõe como o modelo criado por Polonceau permitiu o surgimento de novas propostas estruturais, in: Mathew Clark and the Orginis of Russian Structural Engineering 1810-40s: An introductory biography, p. 69, 1992, in: Construccion History – Journal of the Construction History Society, vol. 8, 1992.

GIORLI, ENZIO. Il Mecánico, Milano, Ed. Hoelpi, 1904, p. 137.

M. PASCAL. Traité Pratique des Pontes Métallique, Paris, Ed. Béranger, 1891, p. 93. AA. VV. Structural Iron, 1750-1850 – Studies in The History of Civil Engineering, vol. 9, Ed. R. J. M., Sutherland, 1997.

Diario de Pernambuco, 02 de abril de 1885.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

ISSN: 2448-2331

© 1984-2020 CLIO Arqueológica 
Universidade Federal de Pernambuco - UFPE
Programa de Pós-Graduação em Arqueologia
Centro de Filosofia e Ciências Humanas, 10º andar
Avenida da Arquitetura, S/N - Cidade Universitária
CEP 50.740-550 Recife (PE), Brasil

 

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License

 

UFPE LOCKSS Open Access

 

Instituições de referência para a CLIO Arqueológica:

Capes ABEC Fumdham INAPAS LatinRev