EVIDÊNCIAS PALINOLÓGICAS DO PROCESSO DE OCUPAÇÃO HUMANA NA REGIÃO DO PARQUE NACIONAL DO CATIMBAU, BUÍQUE, PERNAMBUCO

Luiz Ricardo da S. L. Nascimento, Paulo E. De Oliveira, Alcina Magnólia F. Barreto

Resumo


O presente artigo foi desenvolvido com base na descrição da história da vegetação holocênica da caatinga e tem como objetivo descrever algumas evidências do processo de ocupação humana no Nordeste. A área situada na Fazenda Brejo de São José (8º 32’ 45’’S, 37º 13’ 14’’W) região do Parque Nacional do Catimbau, Buíque - PE, apresenta clima semi-árido com uma vegetação diferenciada florestada, marcada por uma linha de babaçu que se estende por cerca de 3 km e com largura em torno de 200m. Foram realizadas análises palinológicas e datações radiocarbônicas em amostras ricas em argila e matéria orgânica, coletadas em intervalos de 10 cm ao longo de um perfil com 1.10 cm de profundidade, localizada na baixa encosta da Serra de Jerusalém. Em laboratório, as amostras foram tratadas segundo o protocolo palinológico padrão. A partir da análise do sinal polínico ao longo do perfil, foram estabelecidas três zonas polínicas (CAT1, CAT2, CAT3) que permitiram inferir modificações na composição da vegetação durante o Holoceno, desde 8.410 + 40 anos AP até o Presente. A zona polínica Catimbau 1 (CAT1) compreendida entre 8.410 ± 40 anos AP até 5.970 anos AP (idade interpolada) corresponde a uma formação vegetacional aberta, com indícios de um ambiente com um pequeno gradiente de umidade, quando começa o aparecimento de elementos característicos de ambientes úmidos Anthoceros, Cyathea, monolete II e as algas Debarya e Zygnema. A zona polínica Catimbau 2 (CAT 2) que corresponde ao intervalo de 5.970 até 1.694 anos (idade interpolada), caracteriza-se por uma diversidade de elementos com hábitos variados em relação a zona polínica anterior e fitofisionomia mais densa. Nesta zona foram observadas evidências do processo de ocupação humana, através da presença do elemento exótico Orbignya (babaçu), com uma idade interpolada de 4.500 anos AP. Além disso, outro fato marcante é a presença de elementos de hábitos úmidos e aquáticos com valores percentuais significativos, o que sugere uma maior umidade e disponibilidade de água, o que pode ter favorecido a expansão do processo de ocupação da área por grupos humanos. A zona polínica Catimbau 3(CAT3) que compreende o intervalo de ca 1.694 anos AP (idade interpolada ) até o presente, sugere uma diminuição relativa da umidade com o estabelecimento das condições climáticas atuais.

 

ABSTRACT

The present article was developed on the basis of the description of the history of the holocenic vegetation of caatinga and has as objective to describe some evidences of the process of northeastern occupation human. The situated area in the farm’s Brejo de São Jose (8º 32 ‘ 45 ‘ ‘S, 37º 13 ‘ 14 ‘ ‘W) region of the National Park of the Catimbau, Buíque - PE, presents semi-arid climate with a differentiated florested vegetation, marked for a line of babaçu that it is extended for about 3 km and with width around 200m. Palynologic analyses and radiocarbonic datings in rich samples in clay and organic substance had been carried through, collected in intervals of 10 cm throughout a profile with 1.10 cm of depth, located in low the hillside of the Mountain range of Jerusalem. In laboratory, the samples had been treated according to palynologic protocol standard. From the analysis of the polinic signal throughout the profile, three polinic zones had been established (CAT1, CAT2, CAT3) that they had allowed to infer modifications in the composition of the vegetation during the Holocene, since 8.410 + 40 years AP until the Gift. The polinic zone Catimbau 1 (CAT1-01) between 8.410 ± 40 years AP up to 5.970 years AP (interpolated age) corresponds to an open vegetation formation, with indications of an environment with a small gradient of humidity, when the appearance of characteristic humid environment elements starts Anthoceros, Cyathea, monolete II and the seaweed Debarya and Zygnema. The polinic zone Catimbau 2 (CAT 2) that it corresponds to the interval of 5.970 up to 1.694 years (interpolated age), characterizes for a diversity of elements with habits varied in relation previous the polinic zone and denser fitofisionomic. In this zone evidences of the occupation process had been observed human being, through the presence of the exotic element Orbignya (babaçu), with an interpolated age of 4.500 years AP. Moreover, another important fact is the presence of elements of humid and aquatic habits with significant percentile values, what it suggests a bigger humidity and availability of water, what can have favored the expansion of the process of occupation of the area for human groups. The polinic zone Catimbau 3 (CAT3) that it understands the interval of here 1,694 years AP (interpolated age) until the gift, suggests a relative reduction of the humidity with the establishment of the current climatic conditions.

KEY WORDS: Catimbau National Park; Archaeological Palynology


Palavras-chave


Parque Nacional do Catimbau; Palinologia Arqueológica

Texto completo:

PDF

Referências


Clement, C.R.; Lleeras Pérez, E.; Van Leeuwen, J. 2005. O potencial das palmeiras tropicais no Brasil: acertos e fracassos das últimas décadas. Agrociências, Montivideu,9 (1-2): 67-71.

Conlivaux, P., De Oliveira, P.E. & Patino, J.M. 1999. Amazon pollen Manual and Atlas = Manual e Atlas palinológico da Amazônia. Harwood academic publishers, The Netherlands, 332p.Erdtman, G. 1952. Pollen morphology and plant taxonomy. Uppsala: Almquist & Wiksells, 539p.

Garcia, M.J. 1994. Palinologia de turfeiras quaternárias do Médio Vale do rio Paraíba do Sul, Estado de São Paulo. Instituto de Geociências, Universidade de São Paulo. Tese de Doutorado, 3vol, 354p.

Grimm, E. C. 1987. CONISS: A Fortan 77 program for stratigraphically constrained cluster analysis by the method of the incremental sum of squares. Pergamon Journal,13:13-35.

Hooghiemstra, H. 1984. Vegetational and climatic history of the high plain of Bogotá, Colômbia: A Continuous record of the last 3.5 million years. Germany: Cramer & Vaduz. Dissertationes Botanicae, 368p.

Leonhardt, A. & Lorscheitter, M.L. 2007. Palinomorfos do perfil sedimentar de uma turfeira em São Francisco de Paula, Planalto Leste do Rio Grande do Sul, Sul do Brasil. Revista Brasileira de Botânica, 1: 47-59.

Lima-Ribeiro, M, S. & Barberi, M. 2005. Análise palinológica: fundamentos e perspectivas na pesquisa arqueológica. Habitus, 3(2): 261-290.

Magalhães e Silva, F. H. 2007. Contribuição à palinologia da caatinga. Universidade Estadual de Feira de Santana. Tese de Doutorado, 178p.

Melhem, T.S., Cruz-Barros, M.A., Corrêa, A.M.S., Makino-Watanabe, H., Silvestre-Capelato, M. S. F. & Esteves, V. L.G. 2003. Variabilidade polínica em plantas de Campos Jordão (São Paulo, Brasil). Boletim do Instituto de Botânica, 16: 101p.

Miranda, M.M. & Andrade, T.A. 1990. Fundamentos de palinologia: Principais tipos de pólen do litoral cearense. Editora da Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 99p.

Oliveira, A.L.N. 2001. O sítio arqueológico do Alcobaça: Buíque, Pernambuco. Estudo das estruturas arqueológicas. Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Pernambuco. Tese de Doutorado, 186p.

Roubik, D.W. & Patiño, J.E.M. 1991. Pollen and spores of Barro Colorado Island. Monographs in Systematic Botany ,v.36. Missouri Botanical Garden: EUA, 268p.

Salgado-Labouriau, M. L. 1973. Contribuição à palinologia do cerrado. Editora da Academia Brasileira de Ciências, São Paulo, 291p.

Salgado-Labouriau, M.L. 2007. Critérios e técnicas para o Quaternário. Edgard Blücher, São Paulo, 387p.

Santos, J.C. 2007. O Quaternário do Parque Nacional da Serra da Capivara, Piauí, Brasil: Morfoestrutura, Sedimentologia, Geocronologia e Paleoambientes. Centro de Tecnologia e Geociências, Universidade Federal de Pernambuco. Tese de Doutorado, 172p.

São Thiago, L.E.U. 2007. Deposição palinológica atual em sedimentos de superfície de solo no médio vale do rio Paraíba do Sul (estados de São Paulo e Rio de Janeiro). Anuário do Instituto de Geociências, 30 (2): 56-65.

Stockmar, J. 1971. Tablets with spores used in absolute pollen analysis. Pollen et Spores, 13: 615-621.

Veloso, H.P., Rangel Filho, L.R. & Lima, J.C.A. 1991. Classificação da vegetação brasileira, adaptada a um sistema universal. IBGE, Rio de Janeiro, 124p.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

ISSN: 2448-2331

© 1984-2020 CLIO Arqueológica 
Universidade Federal de Pernambuco - UFPE
Programa de Pós-Graduação em Arqueologia
Centro de Filosofia e Ciências Humanas, 10º andar
Avenida da Arquitetura, S/N - Cidade Universitária
CEP 50.740-550 Recife (PE), Brasil

 

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License

 

UFPE LOCKSS Open Access

 

Instituições de referência para a CLIO Arqueológica:

Capes ABEC Fumdham INAPAS LatinRev