A ARTE RUPESTRE DO CARACARÁ, PANTANAL, BRASIL

José Luís dos Santos Peixoto, Pedro Ignácio Schmitz

Resumo


Os grupos indígenas pré-coloniais que ocuparam a região da Lagoa Gaíba, na borda oeste do Pantanal, deixaram registros rupestres que sugerem dois momentos de representações dos grafismos definidos como Momento de Representação Naturalista e Momento de Representação Geométrica. Esses momentos foram caracterizados a partir dos procedimentos técnicos na confecção dos grafismos, na apresentação gráfica e nos temas abordados. A construção dos signos zoomorfos, antropomorfos e geométricos revelaram uma forte habilidade manual nas representações dos animais e um poder de abstração e de invenção na construção e na associação dos grafismos geométricos. São representações autóctones, que têm uma importância no universo gráfico do grupo e são símbolos compartilhados por grupos de pessoas que se identificam como parceiros de uma mesma história e representam informações construídas ao longo do tempo.

 

ABSTRACT

The pre-colonial indigenous groups who occupied the region of Lake Gaiba, on the western edge of the Pantanal, left rock arts suggestive of two instances of representations of the artwork, defined as the time of the Naturalistic Representation and the time of the Geometric Representation. These moments were characterized by the technical procedures used in the preparation of the artwork, the graphic presentation and the topics covered. The construction of zoomorphic, anthropomorphous and geometric signs revealed a strong manual dexterity in the representations of animals and a power of abstraction and invention in the construction and combination of geometric graphics. These indigenous representations were important in the graphic universe of the group and are symbols shared by people who identify themselves as partners of the same history and recover information constructed over a long time.

KEYWORDS: Rock Art; Pre-colonial; Pantanal


Palavras-chave


Arte Rupestre; Pré-colonial; Pantanal

Texto completo:

PDF

Referências


BARTH, F. 1998. Ethnic group anda boundaries: the social organization of culture difference. Illinois: Waveland Press.

BRASIL.1982. Ministério das Minas e Energia. Secretaria-Geral. Projeto RADAMBRASIL.-. Folha SE. 21 Corumbá e Parte da Folha SE. 20. Vol. 27. Rio de Janeiro: Ministério das Minas e Energia.

FONSECA, J.S. 1880. Viagem ao Redor do Brasil. Rio de Janeiro: Typographia de Pinheiro & C.

GIRELLI, M. 1994. Lajedos com gravuras na região de Corumbá - MS. (Dissertação Mestrado em História), Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo.

HACKBART, P.S. 1997. Análise do petroglifo MS-CP-41, Corumbá-MS. (Trabalho de Conclusão do Curso de História, Licenciatura Plena), Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo.

MARTIN, G. 1994 O universo simbólico do homem pré-histórico nordestino. In: ______. Pré-História do Nordeste do Brasil. Recife: Ed. Universitária da UFPE. p. 209-279.

MUNSELL SOIL COLOR CHARTS. 1994. New York: Macbeth Division of Kollmorgen Instruments Corporation.

OLIVEIRA, J.E. 2002. Da Pré-história à história indígena: (re)pensando a Arqueologia e os povos canoeiroos do Pantanal. (Tese de Doutorado) Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

PASSOS, J.A.M.B. 1975. Alguns petroglifos em Mato Grosso com apêndice sobre outros do Paraguai e Bolívia. (Tese de livre-docência) Universidade de São Paulo.

PEIXOTO, J. L. S., FELICÍSSIMO, M. P. 2007 A Indústria Cerâmica dos Povos Indígenas Pré-Coloniais das Lagoas do Castelo e Vermelha, Pantanal (MS). In: CONGRESSO DA SOCIEDADE DE ARQUEOLOGIA BRASILEIRA, 14., 2007, Florianópolis. "OBJT Florianópolis: SAB, 2007. 15 f. (CD-Rom).

PEIXOTO, J.L.S. 2002. A Ocupação dos povos indígens pré-coloniais nos grandes lagos do Pantanal Sul-Mato-Ggrossense. 290 p. (Tese de Doutorado) Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

PESSIS, A.M. 1984. “Método de interpretação da arte rupestre: análises preliminares por níveis”. Clio (Série Arqueológica), Recife, v. 1, n. 6, p. 99-107.

______. 1992. “Identidade e classificação dos registros gráficos pré-históricos do nordeste do Brasil”. Clio (Série Arqueológica), Recife, v. 1, n. 8, p. 35-68.

______. 1993. Registro rupestre, perfil gráfico e grupo social. Clio (Série Arqueológica), Recife, v. 1, n. 9, p. 7-14.

______. 2003. Imagens da Pré-História. São Paulo: A & A Comunicação.

PESSIS, A.M.; GUIDON, N. 1992. Registros rupestres e caracterização das etnias préhistóricas. In: VIDAL, Lux. (SBĕTNPTJOEÓHFOBT: estudos de Antropologia estética. São Paulo: Studio Nobel, FAPESP, Edusp2. p. 19-33.

RIBEIRO, B. 1992. A mitologia pictórica dos Desâna. In: VIDAL, Lux (Org.). Grafismos Indígenas: estudos de antropologia estética. São Paulo: Studio Nobel, Editora da USP, Fapesp, p. 35-52.

SCHMIDT, M. 1912. Reisen in Matto Grosso in Jahren 1910. ; Zeitshrift für Ethnologie, Berlin, v. 44, n. 1, p. 130-174.

______. 1914. Die Felszeichnungen am Caracara-Hügel. Baessler-Aechiv, Berlin, v. 4, n. 6,p. 251-283.

______. 1940. Nuevos hallazgos de grabados rupestres em Matto Grosso. Revista de la Sociedad Científica del Paraguay, Asunción, Tomo V, p. 63-72.

SCHMITZ, P. I. et alli. 1998. Aterros indígenas no Pantanal do Mato Grosso do Sul.Pesquisas, Antropologia, n. 54, p. 1-271, 1998.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

ISSN: 2448-2331

© 1984-2020 CLIO Arqueológica 
Universidade Federal de Pernambuco - UFPE
Programa de Pós-Graduação em Arqueologia
Centro de Filosofia e Ciências Humanas, 10º andar
Avenida da Arquitetura, S/N - Cidade Universitária
CEP 50.740-550 Recife (PE), Brasil

 

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License

 

UFPE LOCKSS Open Access

 

Instituições de referência para a CLIO Arqueológica:

Capes ABEC Fumdham INAPAS LatinRev