A ARQUEOLOGIA HISTÓRICA: EM BUSCA DA NOSSA MEMÓRIA

Fernando Guerra

Resumo


Após os séculos XVI e XVII, a Europa passa a conhecer a cultura dos povos americanos. Para colonizar esses povos e defendê-los, respectivamente, sob os caminhos da fé cristã e dos invasores navegantes, o rei de Portugal nomeava particularmente para a sua colônia americana – Terra de Santa Cruz – os seus representantes legais. Estabelecia e demarcava, assim, a sua conquista e a harmonia entre a população. A produção de açúcar nessa colônia revelou-se a primeira fonte de riqueza daquela vasta região despertando, dessa maneira, o interesse de inúmeros povos estrangeiros. A concentração dessa preciosidade (na colônia) favoreceu, então, a imigração desses povos, dando origem a uma diversidade de cultos, ritos e tradições entre as raças que na colônia se estabeleceram. Diante do imenso desinteresse em cultuar e preservar a nossa memória, ao longo dos anos, temos por hábito nos espelharmos nas memórias européias. E, mais recente, nas africanas. Razão porque recorremos à Arqueologia Histórica para compreendermos as relações culturais desses povos antigos que viveram aqueles primeiros séculos do Brasil, bem como aos inúmeros edifícios civis e religiosos, solares e fortalezas que foram erguidos na imensidão do país. Muitos dos quais ainda em uso e outros já em ruínas ou desaparecidos inteiramente. Dessa forma, revela-se da maior importância a Arqueologia Histórica como uma ciência multidisciplinar na busca da nossa memória, ou seja, da sociabilidade e dos registros arquitetônicos deixados pelas nossas antigas gerações.

 


ABSTRACT

After the 16th and 17th centuries, Europe came to know the cultures of the peoples of the Americas. To colonize and defend their colonies, by way of the Christian faith and maritime invaders, the King of Portugal named legal representatives for his American colony - Terra de Santa Cruz - establishing and demarcating his conquest and thus creating harmony in his American colony. Sugar production became the region's first source of wealth and, therefore, attracted the interest of uncountable foreign nations. The wealth concentration in the colony favored immigration, which gave way to several cults, rituals and traditions among the many races who settled down in the colony. Due to the immense disinterest in fostering our memory, we have, throughout the years, mirrored European and, recently, African memories. This is the reason why historical archaeology has been employed to comprehend the initial inhabitants of Brazil and the subsequent cultural relationships, as well as the countless buildings, noble houses and fortresses built around this vast country, many of them already ruined or disappeared, others still in use. In this way, historical archaeology presents itself as a major multidisciplinary science that seeks to recapture our cultural memory, by way of the architectural records left by our previous generations.

KEYWORDS: Architecture; Historical Heritage; Historical Archaeology



Palavras-chave


Arquitetura; Patrimônio Histórico; Arqueologia Histórica

Texto completo:

PDF

Referências


FONSECA, C. 1968 A economia Européia e a colonização do Brasil. Inst. Arqueológico, Brasil, Rio de janeiro

KOSTER, H. 1992 Viagens ao Nordeste do Brasil, Compahia Editora Nacional

MARTIN, G. 1996 Pré-Histórica do Nordeste do Brasil. Ed. Universitária, Recife

MELO, E. 1998. Olinda restaurada, Guerra e açúcar no Nordeste,1630-1654. Topbooks, Rio de Janeiro

MENEZES, J. 1985 Sé de Olinda, Fundarpe, Recife,

_____1985 A igreja de nossa Senhora da Graça. Fundarpe , Olinda

MOBERG, C. Introdução à Arqueologia. Edições 70. Lisboa. 1968.

PESSANHA, J. 1987. Revista do patrimônio histórico e Artístico Nacional, Brasília, DF

PESSIS, A. 2003 .Imagens da pré-história, Parque nacional Serra da Capivara, Fumdham.

SALDANHA, N. 1995 Artistas, imagens e idéias na pintura do século XVIII. Livros Horizonte, Lisboa




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

ISSN: 2448-2331

© 1984-2020 CLIO Arqueológica 
Universidade Federal de Pernambuco - UFPE
Programa de Pós-Graduação em Arqueologia
Centro de Filosofia e Ciências Humanas, 10º andar
Avenida da Arquitetura, S/N - Cidade Universitária
CEP 50.740-550 Recife (PE), Brasil

 

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License

 

UFPE LOCKSS Open Access

 

Instituições de referência para a CLIO Arqueológica:

Capes ABEC Fumdham INAPAS LatinRev