PERFIL TECNOLÓGICO DO MATERIAL LÍTICO DO SÍTIO TAQUARUÇU, ERMO, SANTA CATARINA

Cláudio Ricken, Juliano Bitencourt Campos

Resumo


Neste trabalho, apresentamos os tipos de rochas e minerais utilizados pelos grupos pré-coloniais formadores do sítio arqueológico Taquaruçu, Ermo, Santa Catarina. Foram recolhidas 40 peças sendo 10 bifaces (seis lâminas de machado e quatro picões), sete fragmentos de artefato, seis seixos, cinco blocos de origem natural e três núcleos unipolares, duas bigornas, uma peça com depressão semi-esférica e duas lascas. A existência de poucas lascas pode indicar a preparação das peças em outro local e a presença de fragmentos de artefatos, peças lascadas ou quebradas e maceradas é evidência suficiente para que o local em questão seja classificado como um ponto de coleta de matéria prima ou acampamento temporário, evidenciando o uso e abandono. Destacamos também o alto percentual de peças com marcas de arado como evidência das modificações pós-deposicionais devido a utilização dos sítios como área de plantio.

 

ABSTRACT

We present the types of rocks and minerals used by inhabitants of the pre-colonial archaeological site of Taquaruçu, Ermo, Santa Catarina. Forty pieces were recovered: 10,bifaces (six axe blades and four trihedral points), seven fragments, six pebbles, five natural blocks, three unipolar cores, two anvils, an artifact with a semi-spherical depression and two flakes. The existence of few flakes may indicate the preparation of artifacts elsewhere and the presence of fragments of artifacts, sliced or broken and macerates pieces is evidence enough for the site in question is classified as a point of collecting raw material or as a temporary camp, indicating its use and abandonment. Also emphasized is the high percentage of fragments with plow marks as evidence of post-depositional changes due to use of sites such as cultivation area.

KEY WORDS: Hunters-Gatherers; Lithic Artifacts; Xokleng


Palavras-chave


Caçadores-Coletores; Artefatos Líticos; Xokleng

Texto completo:

PDF

Referências


BORTOLOTTO. Z.H. 1992 História de Nova Veneza. Nova Veneza: Prefeitura Municipal. 339p.

CABRERA, A.L. & A. WILLINK 1973 Biogeografía de América Latina. Washington, D.C: Organización de los Estados Americanos. 120p.

CAMPOS, B.S. & DALL’ALBA, PE. J.L. 1987. Memórias de Araranguá. Florianópolis: Ed. Lunardelli. 176p.

CARUSO JUNIOR, F. 1995 Mapa geológico e de recursos minerais do sudeste de Santa Catarina, escala 1: 100.000: Texto explicativo e mapa. Brasília: DNPM,

COPÉ, S. M., ANGRIZANI, R. da C. & SILVA, A. F. da. 2002 Estratégias de resgate arqueológico na área de implantação da LT 69 Kv Santa Rosa – Santo Cristo, Rio Grande Do Sul. Revista do CEPA, Santa Cruz do Sul: UNISC, vol. 26, nº 35/36. p. 105-149

DIAS, A. S. & HOELTZ, S. E. 1997 Proposta metodológica para o estudo das indústrias líticas do sul do Brasil. Revista do Cepa, Santa Cruz do Sul: UNISC. vol. 21 n° 25. p.21-62

FARIAS, D. S. E. Distribuição e padrão de assentamento: propostas para os sítios da Tradição Umbu na encosta de Santa Catarina. 2005 Tese de Doutorado. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 159 p.

CAMPOS, J.B. (coord.). Levantamento Arqueológico Linha Rovaris: 2007 Relatório Final. Criciúma: UNESC-IPAT, 45p.

________2008 Levantamento Arqueológico Linha Rovaris: Relatório Final. Criciúma: UNESC- IPAT, 73p.

LAVINA, R. (coord.). 2001 Salvamento Arquelógico Barragem do Rio São Bento: Relatório Final. Criciúma: UNESC-IPAT, 103 p.

________1999 Relatório Final de Levantamento Arqueológico da Barragem do Rio São Bento. Criciúma: UNESC-IPAT, 57p.

________1994 Os Xokleng de Santa Catarina: uma etnohistória e sugestões para os arqueólogos. São Leopoldo: Instituto Anchietano de Pesquisas, 195 p.

LINO, J.T. & CAMPOS, J.B. 2003 Expedições arqueológicas do sul do Estado de Santa Catarina. Rev. Ciências Humanas. Criciúma: UNESC, vol. 9(1), p.17-34

PROUS, A. 1990 Os artefatos líticos: Elementos Descritivos e Classificatórios. Arquivos do Museu de História Natural. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais. v. 11, p. 91-111

ROHR, João A. 1982 Pesquisas Arqueológicas no Município Catarinense de Urussanga. Anais do Museu de Antropologia da UFSC. Florianópolis: UFSC, ano XI-XIV, n° 12,13,14 e 15, p. 48-59

SIMÃO, K.P.R. 2006 Ermo: recontando sua história. Ermo: Escola de Educação Básica Pedro Simon. 126p.

VELOSO, H.P.; RANGEL-FILHO, A.L.R.; LIMA, J.C.A. 1991 Classificação da vegetação brasileira, adaptada a um sistema universal. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 213p.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

ISSN: 2448-2331

© 1984-2020 CLIO Arqueológica 
Universidade Federal de Pernambuco - UFPE
Programa de Pós-Graduação em Arqueologia
Centro de Filosofia e Ciências Humanas, 10º andar
Avenida da Arquitetura, S/N - Cidade Universitária
CEP 50.740-550 Recife (PE), Brasil

 

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License

 

UFPE LOCKSS Open Access

 

Instituições de referência para a CLIO Arqueológica:

Capes ABEC Fumdham INAPAS LatinRev