ARQUEOLOGIA HISTÓRICA E SERTANEJA NO SERIDÓ POTIGUAR: O Sítio Culumins, Caicó, Rio Grande do Norte, Brasil

Abrahão Sanderson Nunes Fernandes da Silva, Hozana Danize Lopes de Souza, Kayann Gomes Batista

Resumo


As casas de fazenda, suas estruturas associadas e demais vestígios presentes nesses lugares, foram escolhidos como forma de desenvolver visões sobre as populações sertanejas que habitaram territórios do atual Seridó norte-riograndense, desde as últimas décadas do século XVIII até a primeira metade do século XX. A partir de pesquisas arqueológicas produziram-se dados sobre a tralha doméstica que relacionam o sítio arqueológico Culumins com outros sítios de populações sertanejas, mas ao mesmo tempo o diferencia entre esses devido ao contexto de casa sede de fazenda, abrindo espaço para hipóteses de trabalho sobre o sertão e os sertanejos no Seridó Potiguar.

 

HISTORICAL ARCHEOLOGY AND BACKGROUND IN SERIDÓ POTIGUAR: The Sítio Culumins, Caicó, Rio Grande do Norte, Brazil

ABSTRACT

Farmhouses and their spaces, their associated structures and other traces present, were chosen as a way to develop visions on the “sertanejos” that inhabited territories of the current Seridó “norte-riograndens”, from the last decades of the 18th century to the first half of the 20th century. Based on archaeological research, the data on domestic waste at the Culumins archaeological site relate this space to other sites of “sertanejos”, but also different them among them in view of their household context, opening space for working hypotheses about the “sertão” and the “sertanejos” in Seridó Potiguar.

Keywords: Seridó; Farmhouse; Archaeology; History; Sertão


Palavras-chave


Seridó; Casas de fazenda; Arqueologia; História; Sertão

Texto completo:

PDF

Referências


ADICHIE, Chimamanda Ngozi. 2009. O perigo de uma História Única. São Paulo: Companhia das Letras.

ALLISON, Penelope M.. The Household in Historical Archaeology. Australasian Historical Archaeology. n. 16, 1998.

AMADO, Janaína. 1995. “Região, sertão, nação”. Revista Estudos Históricos, v. 8 (15). Rio de Janeiro: CPDOC/FGV; Ed. FGV, 145-152.

AMARAL, Daniella Magri. 2012. Loiça de barro do Agreste: um estudo etnoarqueológico de cerâmica histórica pernambucana. Dissertação de Mestrado, Programa de PósGraduação em Arqueologia, Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo, São Paulo.

AMARAL, Daniella Magri. 2019. Loiceiras, potes e sertões: um estudo etnoarqueológico de comunidades ceramistas no agreste central pernambucano. Tese de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em Arqueologia, Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo, São Paulo.

ARAUJO, Soraya Geronazzo. 2007. O Muro do Demônio: economia e cultura na Guerra dos Bárbaros no nordeste colonial do Brasil – séculos XVII e XVIII. 2007. 122 f. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-graduação em História, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza/CE.

BARTELT, Dawid Danilo. 1999. “O custo da Modernização: Dissociação, Homogeneização e Resistência no Sertão do Nordeste Brasileiro”. Revista Canudos. Salvador/BA. n. 1, v. 3.

BONATO, Tiago. 2010. O olhar, a descrição: a construção do sertão do Nordeste brasileiro nos relatos de viagem do final do período colonial (1782-1822). Dissertação de Mestrado, Universidade Federal do Paraná, Programa de Pós-graduação em História.

BORGES, Ariane Magda. 2015. Vernaculares: a casa de fazenda seridoense do século XIX como exemplo de adaptação ao clima semiárido. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Arquitetura, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal.

BRAUDEL, Fernand. 2014. Escritos sobre a História. São Paulo: Perspectiva.

BRUNO, Maria Cristina Oliveira. 1995. Musealização da Arqueologia: um estudo de modelos para o Projeto Paranapanema. Tese de Doutorado, Universidade de São Paulo/USP, Programa de Pós-Graduação Interdepartamental em Arqueologia.

CARRÉRA, Mércia; SURYA, Leandro. 2008. A organização espacial de uma fazenda colonial beditina: reflexo da estruturação social vigente. Mneme – Revista de Humanidades. v. 9, (24).

DINIZ, Nathália Maria Montenegro. 2008. Velhas fazendas da Ribeira do Seridó Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Arquitetura, Universidade de São Paulo.

DINIZ, Nathália Maria Montenegro. 2013. Um Sertão entre tantos outros: fazendas de gado nas ribeiras do Norte. Tese de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em Arquitetura, Universidade de São Paulo, São Paulo.

FEIJÓ, Paulo Heider Forte. 2002. A arquitetura tradicional de Acari no século XIX: estudo comparativo entre a casa grande de fazenda e a casa urbana. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-graduação em Arquitetura da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal.

FERREIRA, Jônatas Alves; FREITAS, Mariana; MATOS, Manoela Xavier Gomes de; SOUTO MAIOR, Paulo Martin. 2017. “Além da pedra: utilização de rochas em alvenarias nas zonas rurais no Nordeste do Brasil, séculos XVIII ao XX”. FUMDHAMENTOS, v. 17. São Raimundo Nonato/PI.

HERBERTS, Ana Lucia. 2019. “Arqueologia das populações sertanejas no Nordeste brasileiro”. In: Anais do XX Congresso da Sociedade de Arqueologia Brasileira: Memória, Patrimônio Cultural e Direitos Humanos. Pelotas/RS.

LEAL, Victor Nunes. 2012. “Indicações sobre a estrutura e o processo do ‘coronelismo’”. In: LEAL, Victor Nunes. Coronelismo, enxada e voto: o município e o regime representativo no Brasil. O município e o regime representativo no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 43-51.

LIMA, Tânia Andrade. 1993. “Arqueologia histórica no Brasil: balanço bibliográfico (1960-1991)”. Anais do Museu Paulista. São Paulo. v. 1 (1).

MACÊDO, Muirakytan Kennedy de. 2007. Rústicos Cabedais: patrimônio e cotidiano familiar nos sertões do Seridó (séc. XVIII). Tese de Doutorado, Programa de Pósgraduação em Ciências Sociais, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal.

MACÊDO, Muirakytan K. de. 2012. A penúltima versão do Seridó: Uma história do regionalismo seridoense. Natal-RN/Campina Grande/PB: Editora da Universidade Estadual da Paraíba.

MARTIN, Gabriela. 2013. Pré-História do Nordeste do Brasil. Recife: EDUFPE.

MEDEIROS FILHO, Olavo de. 1983. Velhas Inventários do Seridó. Brasília: Centro Gráfico do Senado Federal.

MILLER, Daniel. 2013. Trecos, Troços e Coisas: estudos antropológicos sobre a cultura material. Rio de Janeiro: Zahar.

MONTEIRO, John Manuel. 2001. Tupis, Tapuias e Historiadores: estudos de História Indígena e do Indigenismo. Tese de Livre Docência. Universidade Estadual de Campinas.

MONTEIRO, Denise. 2002. Introdução à história do Rio Grande do Norte. Natal: EDUFRN.

MORAES, Antonio Carlos Robert. 2003. “O Sertão. Um outro geográfico”. In: Terra Brasilis [Online]. n. 4 – 5. Disponível em: http://journals.openedition.org/terrabrasilis/341– Acessado em 11/06/2020.

MOTT, Luiz R. B. 1985. Piauí colonial. População, economia e sociedade. Teresina: Projeto Petrônio Portella.

MOURA, Herbert; ALLEN, Scott J. 2015. “O Gosto do Barro: Memória culinária e Morfológica das Cerâmicas utilitárias de Pernambuco”. Vestígios – Revista Latinoamericana de Arqueologia Histórica, Belo Horizonte, v. 9 (2), 10-32.

NEVES, Erivaldo Fagundes. 2003. “Sertão como recorte espacial e como imaginário cultural”. Politeia: Hist. e Soc, Vitoria da Conquista. v. 3, (1), 153-162.

POLLAK, Michel. 1992. Memória e identidade social. Estudos Históricos. Rio de Janeiro. v. 5, (10).

QUEIROZ, Luiz Antonio Pacheco de. 2015. Água fria é no pote do Cariri Cearense. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Sergipe, Programa de Pós-Graduação em Arqueologia.

REGO, Herbert Moura. 2013. As panelas de barro de Pernambuco – do século XIX ao XXI. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Arqueologia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife.

SÁ, Antônio Fernando de Araújo. 1997. “Canudos Plural: Memórias em confronto nas comemorações dos centenários de Canudos (1993-1997)”. Textos de História (UnB), Brasília/DF, v. 5 (1).

SANTOS, Milton. 2007. “O Dinheiro e o Território”. In: SANTOS, Milton; BECKER, Bertha K. (org.). Território, Territórios: ensaios sobre o ordenamento territorial. Ensaios sobre o ordenamento Territorial. Rio de Janeiro: Lamparina. 13-21.

SILVA, Roberto Airon. 2005. “Arqueologia Colonial: as Casas Fortes (de Pedra) como unidades de defesa e ocupação no Rio Grande do Norte no Século XVII”. Mneme-Revista de Humanidades, v. 6 (13), 111-122.

SILVA, Roberto Airon. 2010. Uma arqueologia das casas fortes: organização military, território e guerra na Capitania do Rio Grande – Século XVII. Tese de Doutorado, Universidade Federal da Bahia, Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais.

SILVA, Fabíola Amaral Jansen da. 2006. O cativeiro rural colonial: reconstituição arqueológica da senzala da fazenda São Bento de Jagauaribe, município de Abreu e Lima – Pernambuco. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Pernambuco, Programa de Pós-Graduação em Arqueologia.

SOUZA, Rafael de Abreu e. 2015. “Globalização, Consumo e Diacronia: populações sertanejas sob a ótica Arqueológica”. Revista Latino-americana de Arqueologia Histórica, Belo Horizonte, v. 9 (2), 38-62.

SOUZA, Rafael de Abreu e. 2017. Um Lugar na Caatinga: consumo, mobilidade e paisagem no semiárido do Nordeste Brasileiro. Tese de Doutorado, Universidade Estadual de Campinas. Campinas.

SYMANSKI, Luís Cláudio P. 2008. “Práticas econômicas e sociais no sertão cearense no século XIX: um olhar sobre a cultura material de grupos domésticos sertanejos”. Revista de Arqueologia, v. 21 (2)

SYMANSKI, Luís Cláudio P. 2009. “Arqueologia histórica no Brasil: uma revisão dos últimos vinte anos”. In: MORALES, Walter Fagundes (Org.); MOI, Flávia Prado (Org.). Cenários regionais em arqueologia brasileira. São Paulo: Annablume; Porto Seguro/BA: ACERVO – Centro de Referência em Patrimônio e Pesquisa.

VIEIRA JR., Antonio Otaviano. 2004. Entre paredes e bacamartes: história da família no sertão (1780-1850). Fortaleza: Edições Demócrito Rocha; Hucitec.

ZANETTINI, Paulo Eduardo. 2003. “Arqueologia na caatinga: arqueologia de Canudos, em Canudos ou para Canudos?”. In: Comciência. Dossiê: Arqueologia. nº 47. Disponível em: http://www.comciencia.br/ – Acessado em 09/06/2020.

ZANETTINI, Paulo Eduardo. 1996. “Por uma arqueologia de Canudos e dos brasileiros iletrados”. Revista Canudos. Salvador/BA. n. 1, v. 1.




DOI: https://doi.org/10.20891/clio.V35N3p234-285

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

ISSN: 2448-2331

© 1984-2020 CLIO Arqueológica 
Universidade Federal de Pernambuco - UFPE
Programa de Pós-Graduação em Arqueologia
Centro de Filosofia e Ciências Humanas, 10º andar
Avenida da Arquitetura, S/N - Cidade Universitária
CEP 50.740-550 Recife (PE), Brasil

 

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License

 

UFPE LOCKSS Open Access

 

Instituições de referência para a CLIO Arqueológica:

Capes ABEC Fumdham INAPAS LatinRev