A CONTEXTUALIZAÇÃO DO VOLEI SENTADO EM LIVRO PARADIDÁTICO: UM EXERCÍCIO À INCLUSÃO ESCOLAR E ESPORTIVA

Keoma Tabosa Guimarães Matias, Jamiedson José da Silva, Manoel Etelberto Borba Neto, Ernani Nunes Ribeiro, Kênio Erithon Cavalcante Lima

Resumo


Introdução: A educação é um direito de todos, em que a escola e seus professores disseminarão conhecimentos historicamente construídos, criando as condições que incluam seus estudantes com deficiência nas mais diversas situações de aprendizagem, a exemplo dos esportes coletivos, mediados por recursos diversos como livros paradidáticos, os quais melhor contextualizam situações à aprendizagem do leitor. Objetivo: O objetivo foi compreender as contribuições de livros paradidáticos à inclusão escolar e esportiva de estudantes com e sem deficiência sobre os esportes coletivos na vivência prática do voleibol sentado. Método: A pesquisa é participante e observacional em que se analisou a vivência de um esporte coletivo “voleibol sentado” com participação de estudantes com deficiência física, mediado pela leitura e discussão de um livro paradidático
que contextualizava situação semelhante. Constata-se que a leitura prévia e a discussão sobre o enredo trabalhado no livro paradidático colaboraram com as situações do jogo, auxiliando os estudantes na retomada de regras do voleibol sentado durante a atividade prática. As situações de jogo também ensinaram a aplicação das regras da modalidade, além de exercitar o lado cidadão da inclusão escolar e esportiva. Resultados: Nossas análises confirmam a eficácia do recurso à aplicação dos saberes de forma contextualizada, contribuindo com a melhor apropriação de regras e situações reais de jogo que vivenciaram posteriormente na atividade esportiva. Conclusão: Confirma-se que a leitura prévia do livro e a vivência prática contribuíram com o aprendizado sobre o esporte coletivo e a inclusão, afirmando que o recurso foi significativo ao processo de aprendizagem de regras e da contextualização para situações reais que os estudantes vivenciaram na prática. Palavras-Chave: Inclusão escolar, Pessoa com Deficiência Física, Livro Paradidático, Voleibol Sentado.

Texto completo:

PDF

Referências


ARANTES, A. R. Elaboração de um material didático de Física: Textos e Experimentos. Dissertação de

Mestrado

do

Instituto

de

Física

de

São

Carlos

(IFSC-USP),

Disponível

em:

www.teses.usp.br/teses/disponiveis/.../tde-04022014. Acesso em: 22 fev. 2017.

ARAÚJO JR, D. A. Educação Física na escola inclusiva: Estudo de caso de uma escola regular em

Salvador,

Bahia,

Brasil.

Revista

Unijorge,

v.

,

n.

,

Disponível

em:

http://revistas.unijorge.edu.br/.../artigo13_34.pdf. Acesso em: 13 fev. 2017.

BENFICA, D. T. Esporte Paralímpico: analisando suas contribuições nas (re)significações do atleta com

deficiência. 2012, 128f. Dissertação (Mestrado) Universidade Federal de Viçosa – MG.

BIANCONI, E. C.; MUNSTER, M. A. “Educação Física e pessoas com deficiências: considerações sobre as

estratégias de inclusão no contexto escolar". In. IX Congresso Nacional de Educação- EDUCERE III

Encontro Sul Brasileiro de Psicopedagogia, de 26 a 29 de outubro de 2009 – PUCPR. Disponível em:

www.pucpr.br/eventos/educere/.../pdf. Acesso em: 22 fev. 2017.

BRASIL, A inclusão escolar de alunos com necessidades educacionais especiais - DEFICIÊNCIA FÍSICA.

Brasília, 2006. Disponível em: portal.mec.gov.br/seesp/... /pdf/ deffisica.pdf. Acesso em: 08 jun. 2017.

BRANDÃO, C. R.; BORGES, M. C. A pesquisa participante: um momento da educação popular. Revista de

Educação Popular, Uberlândia, v. 6, 2007, p.51-62. Disponível em: www.seer.ufu.br/index.php/...

/article/view/19988/10662. Acesso em: 09 set. 2017.

BRASIL, A educação física escolar especial, a inclusiva e as paraolimpíadas. – Brasília: Câmara dos

Deputados, Edições Câmara, 2011. 191p. – (Série ação parlamentar; n.435). Disponível em:

C:/Users/US/.../educacao_inclusiva.pdf. Acesso em: 22 fev. 2017.

BRASIL, Constituição da república federativa do brasil de 1988. Acesso em: 06 de jul. de 2017. Disponível

em: www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/...

BRASIL,

LEI

No

394

de

de

dezembro

de

portal.mec.gov.br/seesp/.../pdf/lei9394_ldbn1.pdf. Acesso em: 06 jul. 2017.

Disponível

em:

CARDOSO, V. D. A reabilitação de pessoas com deficiência através do desporto adaptado. Revista Brasileira

de Ciências do Esporte, Florianópolis, v. 33, n. 2, p. 529-539, abr./jun. 2011. Disponível em:

www.scielo.br/pdf/rbce/v33n2/17.pdf. Acesso em: 10 set. 2017.

COSTA, V. B. Inclusão escolar na educação física: reflexões acerca da formação docente. Revista Motriz,

v.16

n.4,

,

p.889-899.

Disponível

em:

www.scielo.br/scielo.php?

pid=S1980-

&script=sci...tlng. Acesso em: 10 set. 2017.

CUNHA, L. M. O esporte adaptado como conteúdo nas aulas de educação física. 2013. 176f. Dissertação

(Mestrado) na área de concentração: Educação Física, Currículo e Cotidiano Escolar do Programa de Pós-

Graduação em Educação Física do Centro de Educação Física e Desportos da Universidade Federal do Espírito

Santo, Vitória – ES.

CURY, C. R. J. Direito à Educação: direito à igualdade, direito à diferença. Cadernos de Pesquisa, n. 116, 2002,

p. 245-262. Disponível em: www.scielo.br/scielo.php? script=sci_/.../ =S0100-15742002000200010. Acesso em:

ago. 2017.

DÍAZ, F.; BORDAS, M.; GALVÃO, N.; MIRANDA, T. (Org.) Educação inclusiva, deficiência e contexto social:

questões contemporâneas – Salvador: EDUFBA, 2009. 354p.

DUARTE, E.; WERNER, T. Conhecendo um pouco mais sobre as deficiências. In: COSTA, V. L de M.

(Coord.). Curso de atividade física e desportiva para pessoas portadoras de deficiência: Educação à distância.

Rio de Janeiro: ABT/UGF, 1995.

LIMA, G. H.; et al., Livros Paradidáticos produzidos por estudantes como proposta de avaliação na

perspectiva da Taxonomia de Bloom. Revista da SBEnBio, n.9, 2016. Disponível em: www.sbenbio.org.br/...

/uploads/renbio-9/pdfs. Acesso em: 08 set. 2017.

MANTOAN, M. T. E. Inclusão escolar : o que é? por quê? como fazer? Coleção cotidiano escolar. São Paulo:

Moderna, 2003.

MELO, E. A. A. Livros paradidáticos de língua portuguesa para crianças: uma fórmula editorial para o

universo escolar. 2004. Dissertação (Mestrado) – Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de

Educação, Campinas.

MUNAKATA, K. Produzindo Livros didáticos e paradidáticos. Tese (Doutorado) História e Filosofia da

Educação (PUC-SP), 1997. Disponível em: http://www.academia.edu/.../ A1ticos. Acesso em: 22 fev. 2017.

RIBEIRO, S. M. O esporte adaptado e a inclusão de alunos com deficiências nas aulas de Educação

Física. 2009, 169f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação da

Universidade Metodista de Piracicaba – SP.

RODRIGUES, M. A. A leitura e a escrita de textos paradidáticos na formação do futuro professor de Física.

Ciência & Educação, Bauru, v. 21, n. 3, p. 765-781, 2015.

SOARES, F. R.; ALVES, C. M. Teoria e prática a caminho da inclusão na educação física escolar. In.: II

Seminário de Estudos em Educação Física Escolar, 2008, São Carlos. Anais... São Carlos: CEEFE/UFSCar,

, p.222-254. Disponível em: www.eefe.ufscar.br/upload/6.pdf. Acesso em: 10 ago. 2017.

SOUZA, J. P. Uma introdução dos livros paradidáticos no ensino de matemática. In: VI Congresso

Internacional de Ensino da Matemática, ULBRA – Canoas – Rio Grande do Sul- Brasil 16, 17 e 18 de outubro

de 2013. Disponível em: www.conferencias.ulbra.br/... /ciem/vi/.../826/320. Acesso em: 13 fev. 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.