COMPARAÇÃO ENTRE COMPORTAMENTO DEPRESSIVO E A APTIDÃO FÍSICA EM PARTICIPANTES DE UM PROGRAMA DE ATIVIDADES DESPORTIVAS COLETIVAS

Etiene da Silva Martins, Alisson Lucas dos Santos Pereira, Erick Leon Schmukler Oliveira, Iuri Santos Assis, Rodrigo da Silva Santos

Resumo


Os processos que envolvem as atividades desportivas e suas contribuições nos aspectos psicossociais, contemporaneamente são discutidos no ambiente acadêmico na perspectiva de compreender as influências destes tipos de atividades em diferentes ambientes, inclusive aqueles que envolvem práticas esportivas. Objetivo: Comparar a aptidão física e a vivencia em atividades desportivas como fator de proteção para transtornos depressivos em indivíduos participantes do PROFORPE. Método: Este é um estudo de campo, com análise quantitativa, realizado na UNIME – Lauro de Freitas / Bahia, em um programa de atividades desportivas chamado de PROFORPE, que acontece na referida instituição três vezes na semana das 16:00 as 19:00, com duas turmas que participam das modalidades voleibol e handebol, em ambos os sexos. Estes alunos foram avaliados durante a participação no projeto, tanto nos aspectos físicos, quanto nos aspectos psicológicos inerentes aos transtornos depressivos. Resultados e discussão: Os indivíduos que apresentaram níveis de aptidão física abaixo da média do grupo em até dois fatores não apresentaram traços de comportamento depressivo. Já os indivíduos à proporção que foram aumentando os baixos níveis de aptidão física, conseqüentemente refletiram respostas positivas para traços de comportamento depressivo. Pode-se destacar algumas possibilidades que possam relacionar-se com estes resultados, o fato do indivíduo está com baixa aptidão física interfere diretamente nas suas atividades diárias, que restringe a autonomia para a realização de diferentes formas de deslocamento e mobilidade, provocando às vezes a sensação de depressão. Conclusão: Melhores níveis de aptidão física podem contribuir na redução de fatores que podem estimular comportamentos depressivos, a partir da compreensão de que os indivíduos com boa aptidão física conseqüentemente são fisicamente ativos, e o fato de realizar exercício físico rotineiramente contribui com fatores de proteção essenciais para a redução do risco de tais comportamentos.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.