ESPORTE NO CONTEXTO ESCOLAR ESPORTE E ESCOLA

Bruno Freitas Santos

Resumo


A educação esportiva é uma excelente aliada para um ensino muito mais amplo e integral  sendo, indispensável para o resgate da cidadania e dos valores éticos e sociais. Objetivo: Apresentar a relevância do esporte dentro da realidade escolar, visando construir um trabalho  uito mais produtivo e atraente. Método: Foi realizada uma revisão de literatura,  fazendo um apanhado de autores que apontam caminhos a serem trilhados por meio do esporte rumo a  uma educação muito mais significativa. Resultados: Verificou que a escola e o esporte são dois  elementos de grande pertinência para a formação e construção da cidadania, do caráter e da  identidade humana. Discussão: Foi fundamentada na obra de autores como Avelar (2015),  Galatti (2010) e Focault (2012) dentre outros. Conclusões: Concluímos que a educação aliada  com o esporte possibilita uma aprendizagem muito mais significativa e integradora.

Texto completo:

PDF

Referências


AGUIAR, Flávio. Notas sobre o futebol como situação dramática. In: BOSI, A. (Org.). Cultura

Brasileira: temas e situações. 4a ed. São Paulo: Ática, p. 151-166, 2010.

ARANHA, Maria Lúcia Arruda, filosofia da educação – São Paulo: Moderna 2008.

AVELAR, A. C. A motivação do aluno no contexto escolar. Anuário de produções acadêmico--

científicas dos discentes da Faculdade Araguaia. v. 3, p. 71-90, 2015.

AURÉLIO, O minidicionário da língua portuguesa. 4° edição revista e ampliada do minidicionário

da língua portuguesa Aurélio. 7a impressão. Rio de janeiro 2002.

BRASIL, REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL (RCNEI),

MEC/SEF, v. 1, p. 76,1998.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental, Coordenação

Geral de Educação Infantil. Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil,

Conhecimento de Mundo, v. 3, Brasília-DF, 1998.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros Básicos de Infraestrutura para Instituições de Educação

Infantil.

Brasília,

MEC/Secretaria

de

Educação

Básica,

Disponívelem:http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/Educinf/eduinfparinfestencarte.pdf. Acesso em

11.207.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação/ Conselho Pleno. Resolução no. 01

de 18 de fevereiro de 2002. Institui diretrizes curriculares nacionais para a formação de professores

da educação básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Disponível em:

. Acesso em: 09 jun. 2010.

CAMPOS, M. M. Critérios para um atendimento em creches que respeite os direitos fundamentais

das crianças. 6. ed. Brasília: MEC, SEB, 2009.

CARVALHO, M. F. N. Motivação da aprendizagem de alunos de escola pública de ensino

fundamental I: quais os fatores envolvidos. Acesso em12-09-2015, v. 5, 2015.

CAVALARO, A. G.; MULLER, V. R. A educação física na educação infantil: uma realidade almejada.

Educar em Revista, Curitiba, n. 34, p. 241-250, 2009.

CHELLADURAI, P. Managing organizations for sport and physical activity: a systems perspective.

Scottsdale: Holcomb Hathaway, 2001. 3. ed. Scottsdale: Holcomb Hathaway, v.1, p.7-21, 2009.

CHIZZOTTI, A. Pesquisa qualitativa em ciências humanas e sociais. 3. ed. Petrópolis, RJ: Vozes,

p.144, 2010.

COLETIVO DE AUTORES. Metodologia do ensino da Educação Física. 2. ed. São Paulo: Cortez,

DERBLY, Rogério José Pereira. Direito de Superfície. Rio de Janeiro: Femperj. Disponível em

Acesso em: 21 de agosto de 2017.

DIMAS. R, O que mais impede o avanço na qualidade da educação. Revista Instituto Federal de

educação e tecnologia. PARAIBA. n.43, p.145, 2013.

DUAILIB. K. Transtornos mentais são a terceira causa de afastamento do trabalho (2010).disponível

em

http://g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2010/08/transtornos-mentais-sao-terceira-causa-de-

afastamento-do-trabalho.html Acesso em: 28 de ago.2010.

FARIAS JUNIOR, JC. Health risk behaviors among adolescents in the south of Brazil: prevalence and

associated factors. Revista Panamericana de Salud Pública / Pan American Journal of Public

Health, v. 25, p. 344‐352, 2009.

FERNANDES, R. C.; EHRENBERG, M. C. Motivação nas aulas de educação física no ensino médio:

uma análise na perspectiva dos discentes.In. Anais... XVI ENDIPE - Encontro Nacional de Didática

e Práticas de Ensino – UNICAMP. Campinas. 2012.

FLICKINGER, Hans-Georg. A caminho de uma pedagogia hermenêutica. Campinas, SP:Autores

Associados, 2010.

FOUCAULT, M. História da sexualidade 2: o uso dos prazeres. Rio de Janeiro: Graal, 2012

GALATTI, L. R. Pedagogia do esporte: esporte e clube sócio-esportivo: percurso, contextos e

perspectivas a partir de estudo de caso em clube esportivo espanhol. 2010. Tese

(Doutorado em Educação Física) – Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de

Campinas, Campinas, 2010.

GUEDES, D. P. Fundamentos e princípios pedagógicos da Educação Física: uma perspectiva no

campo da educação para a saúde. In: DARIDO, S. C.; MAITINO, E. M. (orgs). Pedagogia cidadã:

cadernos de formação: Educação Física. São Paulo: UNESP/Pró-reitoria de Graduação, p.33-

2008.

GUEDES, D. P; NETO. Aptidão física relacionada à saúde de escolares: programa fitnessgram.

Revista Brasileira de Medicina do Esporte. v. 18, n. 2, 2012.

KRAVCHICHIN, C. Projetos e programas sociais esportivos no Brasil: histórico, estado da arte e

contribuições do programa segundo tempo. Tese apresentada no Programa de Pós-Graduação

Associado em Educação Física do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Estadual de

Maringá e da Universidade Estadual de Londrina, Maringá, 2014.

LAKATOS, E. M. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2007

LENZA, P. Direito constitucional esquematizado. 15. ed. São Paulo: Saraiva. p.118-

, 146, 157-8.2010.

LIMA, C. Educação e Esporte: Poderosas ferramentas de inclusão social. Disponível no

endereço: http://elo.com.br/portal/colunistas/ver/225075/educacao-e-esporte--poderosas-ferramentas-

de-inclusao-social.html. Acessado dia 22 de outubro de 2010

MARTINS, H. H. T. de Souza. Metodologia qualitativa de pesquisa. Educação e Pesquisa, São

Paulo, v.30, n.2, p. 289-300. 2004.

MARTINS, F. D.; FENSTERSEIFER, P. E. Educação Física Escolar como componente curricular:

intenções e impasses. Efdeportes, Buenos Aires, Año 13, – n. 128, jan. 2004.

MEIRELLES, R. O infinito do meu quintal. In: Brincar, um baú de possibilidades. São Paulo: Instituto

Sidarta, 2009.

MINISTÉRIO DO ESPORTE. Dimensões pedagógicas do esporte. Brasília: UnB/CEAD, 2004.

MINISTÉRIO DO ESPORTE – Secretaria Nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão

Social/Saúde e Vida. Departamento de Formulação de Políticas e Estratégias. Esporte e Lazer da

Cidade

PELC.

Diretrizes.

Edital,

Disponível

em:

http://www.esporte.gov.br/arquivos/snelis/PELC2015/diretrizes Edital2015V4.pdf Acesso em: 20 jan.

MOSER, A; D’ANGELO, F. L. (orgs.) Guia da Prática Pedagógica das Oficinas do Esporte. Porto

Alegre: Mediação, 2014.

McNAMEE, M. Introduction. In: McNAMEE, M. (Ed.). The ethics of sports. New York: Routledge,

OLIVEIRA, F. A. Os benefícios da atividade física no envelhecimento - uma revisão

literária. Educação Física em Revista. v.5 n.1 jan/fev/mar/abr – 2011.

PAES, R. R. Pedagogia do Esporte: iniciação e treinamento em basquetebol. Rio de Janeiro:

Guanabara Koogan, 2009.

PEREIRA, R. S.; MOREIRA, E. C. A participação dos alunos de Ensino Médio em aulas de Educação

Física: algumas considerações. Revista da Educação Física/UEM, Maringá, v.16, n.2, p.121-127,

PIMENTEL, E. F. A. Os educandos da educação de jovens e adultos e as estratégias motivacionais

utilizadas no processo ensino aprendizagem. Revista Latino-Americana de Educação Cultura e

Saúde, v.1, n. 1, p. 189-200, 2017.

SANTOS, J. C. F. dos. Aprendizagem Significativa: modalidades de aprendizagem e o papel do

professor. Porto Alegre: Mediação, 2008.

SILVA, R. M. P.; GALATTI, L. R.; PAES, R. R. Pedagogia do Esporte e Iniciação Esportiva Tardia:

perspectivas a partir da modalidade basquetebol. Pensar a Prática, Goiânia, v.13, n.1, p. 1-15, 2010.

SILVA. Esporte da Liderança. Revistas eletrônicas da USP, São Paulo, v.18, p.58, 2014.

SCAGLIA, A. J. A organização do processo de ensino em função da lógica do jogo e das

competências essenciais para a aprendizagem dos jogos coletivos de invasão. Revista Portuguesa

de Ciências do Desporto, Porto, v. 11, supl. 4, p. 89, 2009.

TABORDA DE OLIVEIRA, M; OLIVEIRA, L.; VAZ, A. F. Sobre corporalidade e escolarização:

contribuições para a reorientação das práticas escolares da disciplina de Educação Física. Pensar a

Prática, Goiânia, v. 11, p. 100-110, 2008.

TUBINO, M. Pesquisa e análise crítica sobre o conceito atual das manifestações esportivas. In:

TUBINO, M. (Org.). Estudos brasileiros sobre o esporte: ênfase no esporte-educação. Maringá:

Editora da Universidade Estadual de Maringá, 2010.

WITTIZORECKI, E. S. Jogos, Recreação e Lazer. 2009. (Desenvolvimento de material didático ou

instrucional - Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Vídeo-aulas). Disponível no

site:.Acesso em; 15 setembro 2017.

ZAFFALON, J. R.; MEDEIROS, F. F. O esporte como fenômeno social. EFDeportes.com, Revista

Digital. Buenos Aires, 17, No 172, 2012. Disponível em < http://www.efdeportes.com/efd172/o-

esporte-como-fenomeno-social.htm> Acesso em 04 abr 2017


Apontamentos

  • Não há apontamentos.