DESESTABILIZANDO A “RAZÃO”: explorando caminhos possíveis na prática etnográfica contemporânea

Darnisson Viana SILVA

Resumo


O presente ensaio procura refletir, utilizando de exemplos pontuais, sobre alguns caminhos percorridos pela prática etnográfica contemporânea e como antropólogos da atualidade tem procurado reinventar seus procedimentos investigativos a partir de novos posicionamentos de crítica sublinhando aspectos das limitações do fazer etnográfico e da autocrítica. Com efeito, procurou-se assinalar as aproximações da antropologia com outros campos do saber como o da História.

Palavras-chave: Etnografia. Limitações. Caminhos de pesquisa. História. Antropologia.

Texto completo:

PDF

Referências


ASAD, T. “Introduction”. In: Talal Asad (Org.), Anthropology and the Colonial Encounter. London: Athlone Press, 1973.

BALANDIER, Georges. A desordem: elogio do movimento. Tradução de Suzana Martins. Rio de Janeiro. Bertrand Brasil, 1997.

CALDEIRA, Teresa. A presença do autor e a pós-modernidade em Antropologia. Novos Estudos, n.21, julho de 1988.

_______. Antropologia e poder: Uma Resenha de Etnografias Americanas Recentes. BIB, Rio de Janeiro, n.27, pp.1-96, 1º semestre, 1989.

CLYDE-MITCHELL, J. C. A dança Kalela. In Feldman-Bianco, Bela. A Antropologia das sociedades contemporâneas. São Paulo, Ed. Unesp, 1956 [2010]

COMAROFF, John & Jean. “Etnografia e Imaginação Histórica”, PROA - Revista de Antropologia e Arte, vol.1, n.2, 2010.

DARNTON, R. The Great Cat Massacre and Other Episodes in French Cultural History. New York: Vintage Books, 1985.

DERRIDA, Jacques. Writing and Difference. (A. Bass, Trad.). Chicago: University of Chicago Press, 1978.

FOUCAULT, Michel. Arqueologia do Saber. Petrópolis: Vozes, 1969 [1972].

_______. As Palavras e as Coisas: uma arqueologia das ciências humanas. Rio de Janeiro: Martins Fontes, 1966 [1999].

_______. Microfisica do Poder. Rio de Janeiro: Graal, 1979 [2007].

GINZBURG, C. The Night Battles: Witchcraft and Agrarian Cults in the Sixteenth and Seventeenth Centuries. (J. Tedeschi & A. Tedeschi, Trads.). London: Routledge & Kegan Paul. História noturna?, 1983.

_______ . The Cheese and the Worms: The Cosmos of a Sixteenth-Century Miller. (J. Tedeschi & A. Tedeschi, Trads.). Baltimore: Johns Hopkins University Press, 1980.

GLUCKMAN, Max. Análise de uma Situação Social na Zululândia Moderna. In Feldman-Bianco, Bela. A Antropologia das sociedades contemporâneas. São Paulo, Ed. Unesp, 1940 [2010]

LE GOFF, J. The Medieval Imagination. (Goldhammer, Trad.). Chicago: Chicago University Press, 1988.

LE ROY LADURIE, E. Montaillou: The Promised Land of Error. (B. Bray, Trad.). New York: Vintage Books, 1979.

MARCUS, George & FISCHER, Michael. Anthropology as Cultural Critique: An Experimental Moment in the Human Sciences, The University of Chicago Press, 1986.

MARCUS, George. Contemporary Problems of Ethnography in the Modern World System. In J. Clifford & G. E. Marcus (Orgs.), Writing Culture: The Poetics and Politics of Ethnography. Berkeley: University of California Press, 1986.

ORTNER, Sherry. B. Teoria na antropologia desde os anos 60. Mana. 17(2):419-466, 2011.

RABINOW, Paul. Representações são fatos sociais: modernidade e pós-mordenidade na antropologia. In: RABINOW, Paul. Antropologia da razão. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1999.

SAID, Edward. O Orientalismo. São Paulo, Companhia das Letras, 1978 [2010].

SAHLINS, Marshall. Cosmologias do Capitalismo: o saber Trans-Pacífico do “Sistema Mundial”. Conferência apresentada na XVI Reunião Brasileira de Antropologia, Campinas, 27-30 de março, 1988.

_______ . Ilhas de História. Rio de Janeiro, Zahar, 1985 [1990]

SAMUEL, R. Heroes Below the Hooves of History. The Independent, 1989.

TAUSSIG, Michael. Xamanismo, colonialismo e o homem selvagem: um estudo sobre o terror e a cura. Tradução Carlos Eugenio Marcondes de Moura- Rio de janeiro: Paz e Terra, 1987 [1993].

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. O Anti-Narciso: lugar e função da antropologia no mundo contemporâneo. Revista Brasileira de Psicanálise (Impresso), v. 44, p. 15-26, 2010.

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. “O nativo relativo”. In: Mana 8(1), 2002, 113-148.

Outras fontes bibliográficas

Palestra do antropólogo Eduardo Viveiros de Castro no IEB (USP) em 09/10/08, por ocasião de um evento consagrado ao centésimo aniversário de Claude Lévi-Strauss. Disponível em: . Acesso em 18 de jan. de 2016.


Apontamentos





Direitos autorais 2017 Darnisson Viana SILVA

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

 Licença Creative Commons

Esta revista está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

INDEXADORES:

Scientific Indexing Services 

Google Acadêmico

Sumários de Revistas Brasileiras

LivRe Períodico de Livre Acesso


Revista Idealogando da UFPE

Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Av. da Arquitetura, 12º andar. CEP: 50740-550 - Recife-PE

Email: revistaidealogando@gmail.com