A subjetividade a partir da reflexão filosófico de Deleuze e Guattari

Patrícia Oliveira Lira, Yasmin Janaína Ferreira Marcos

Resumo


A subjetividade tem sido concebida na tradição filosófica, nas ciências humanas de modo geral e na psicologia em particular com uma substancialidade que define uma suposta natureza humana. Através do pensamento de Gilles Deleuze e Félix Guattari, o conceito é reinventado e posto numa órbita de processualidade maquínica de produção de territórios, colocando em movimento uma ética do devir que provoca desvios nos padrões individuais e identitários. Cabe, então, interrogar o verbo Ser dos supostos sujeitos, subvertendo as lógicas dicotômicas que fazem da subjetividade uma fronteira demarcadora de uma interioridade em oposição a uma exterioridade. Os conceitos de Rizoma, Ritornelo e Devir suscitam uma desterritorialização da própria noção hegemônica de subjetividade de modo a operá-la como superfície vibrátil ao mesmo tempo não-visível e não-oculta.

Palavras-chave


subjetividade; agenciamentos; rizoma; ritornelo; devir

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Patrícia Oliveira Lira, Yasmin Janaína Ferreira Marcos

Esta é uma revista de acesso aberto. Isto significa que todo o conteúdo está disponível de maneira livre e gratuita para o usuário (a) ou para sua instituição. Aos usuários (as) é permitido ler, fazer download, copiar, distribuir, imprimir, fazer buscas e usar o link para os textos completos de artigos ou usá-lo para qualquer outra finalidade legal, sem ter que pedir permissão para editores ou autores. 

Licença Creative Commons
Esta revista está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Perspectiva Filosófica está indexada atualmente pelo DIADORIM, pelo Sumário.org, pelo Google Scholar, pela REDIB e pelo LATINDEX.