Suspensão e neutralidade evidencial

Luis Rosa

Resumo


Neste artigo discuto uma tese sobre a racionalidade da suspensão de juízo—de que suspensão de juízo racional requer neutralidade evidencial. Após traçar alguns pontos sobre as noções probabilísticas de neutralidade e suporte evidencial, aponto uma consequência importante de tais noções, isto é: de que acarretamento pela evidência implica ausência de neutralidade evidencial. Considero objeções ao princípio mencionado baseados em tal consequência. No entanto, há um conceito relevante de racionalidade epistêmica que deve ser imune a tais objeções. Para finalizar, farei algumas considerações sobre o papel funcional e o valor instrumental da suspensão de juízo. Tais considerações servem para explicar o que há de bom em suspender o juízo sobre a verdade de uma proposição mesmo quando a evidência do sujeito decide completamente se a proposição em questão é verdadeira ou falsa.

Palavras-chave


Suspensão de Juízo; Racionalidade Epistêmica; Neutralidade Evidencial

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Luis Rosa

Esta é uma revista de acesso aberto. Isto significa que todo o conteúdo está disponível de maneira livre e gratuita para o usuário (a) ou para sua instituição. Aos usuários (as) é permitido ler, fazer download, copiar, distribuir, imprimir, fazer buscas e usar o link para os textos completos de artigos ou usá-lo para qualquer outra finalidade legal, sem ter que pedir permissão para editores ou autores. 

Licença Creative Commons
Esta revista está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Perspectiva Filosófica está indexada atualmente pelo DIADORIM, pelo Sumário.org, pelo Google Scholar, pela REDIB e pelo LATINDEX.