Análise Da Distribuição De Recursos Financeiros De PT e PSDB Nas Campanhas Eleitorais Para Os Executivos Em 2012 e 2014

Mércia Alves, Barbara Botassio

Resumo


Em decorrência do caráter federalista brasileiro os partidos políticos disputam eleições em três diferentes níveis: Federal, nos estados e municípios, e captam recursos financeiros de forma autônoma para financiamento de suas atividades de campanha. Visando essa questão, o objetivo do artigo é analisar como as direções de PT e PSDB coordenaram seus recursos financeiros em diferentes níveis durante o período de campanha eleitoral, a fim de ponderar como alocação intrapartidária desses recursos pode influenciar na autonomia das máquinas partidárias estaduais e no desempenho eleitoral dos seus candidatos. Para isso, serão analisadas as prestações de contas elaboradas pelos partidos referentes à campanha eleitoral para prefeito da capital paulista em 2012, para o governo do estado de São Paulo, e Presidência da República em 2014. Duas últimas eleições antes da Minirreforma Eleitoral entrar em vigor. Questionam-se quais as variáveis que fizeram com que as direções partidárias nacionais invistam em determinadas campanhas eleitorais e não em outras. Entre os principais achados, a assimetria na distribuição de recursos decorrente das expectativas eleitorais para ambos os partidos.


Palavras-chave


Campanhas eleitorais; Partidos e eleições; Eleições 2014; Recursos financeiros; Partidos Multinível.

Texto completo:

PDF

Referências


Referências

CAMPOS, M. “Democracia, Partidos e Eleições: os custos do sistema partidário-eleitoral no Brasil.” Belo Horizonte, tese de doutorado em Ciência Política, UFMG, 2009.

CAMPOS, M.; SPECK, B. “The Impact of State Funding On Political Parties on the National and State Level.” In. International Political Science Association (IPSA). University of Sao Paulo, Brazil, February 16-19, 2011.

CARREIRÃO, Y. “O sistema partidário brasileiro: um debate com a literatura recente”. Revista Brasileira de Ciência Política, n. 14, p. 255-295, 2014.

CHEIBUB, J. A.; FIGUEIREDO, A. C.; LIMONGI, F. “Partidos Políticos e Governadores como determinantes do comportamento legislativo na Câmara dos Deputados”. Dados (Rio de Janeiro. Impresso), v. 52, 2009.

KATZ, R; MAIR, P. “Changing models of party organization and party democracy: the emergence of the cartel party”. Party Politics, v. 1, n. 1, p. 5-28, 1995.

RIBEIRO, P. “Dos sindicatos ao governo: a organização Nacional do PT de 1980 a 2005” - São Carlos: UFSCar, 2008.

__________. “Financiamento partidário no Brasil: propondo uma nova agenda de pesquisas”. Sociedade e Cultura, Goiânia, v. 12, n.1, p. 33-44, 2009.

________. “El modelo de Partido Cartel Y el Sistema de Partidos de Brasil” Revista de Ciencia Política, vol. 33, n.3, p.607-629, 2013.

ROMA, C.” A institucionalização do PSDB entre 1988 e 1999”. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 17, n. 49, p. 71-92. 2002.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Mercia Alves, Barbara Botassio

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

I S S N   0 1 0 4  –  7 0 9 4