Perspectivas Teóricas E Metodológicas Na Análise De Políticas Públicas: usos e abordagens no Brasil

Telma Menicucci

Resumo


O artigo faz um levantamento das abordagens teóricas mais utilizadas no Brasil para a análise de políticas públicas, particularmente enquanto subárea da ciência política, tendo como referência principal os trabalhos apresentados nos encontros anuais da ANPOCS e, secundariamente, nos encontros da ABCP. É destacado o crescimento da produção da área nos últimos trinta anos, acompanhando o crescimento das políticas públicas no país. Destaca-se ainda a maior densidade dessa produção, crescentemente mais bem informada teoricamente, e seus desafios teórico-metodológicos.


Palavras-chave


Políticas públicas; modelos teóricos; ciência política; Brasil

Texto completo:

PDF

Referências


ARRETCHE, Marta. (2012). Democracia, federalismo e centralização no Brasil. Rio de Janeiro: Editora FGV; Editora Fiocruz. < CAPES. http://www.capes.gov.br/avaliacao/sobre-as-areas-de-avaliacao>. Acesso em 19 de junho de 2018.

CAPELLA, Ana Cláudia. Perspectivas teóricas sobre o processo de formulação de políticas públicas. In: HOCHMAN, Gilberto, ARRETCHE, Marta e MARQUES, Eduardo (org.). Políticas públicas no Brasil. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2007.

CARDOSO, Vera Alice et al. (2018), “Estado e políticas públicas no DCP - Um compromisso histórico”. D.B. Lopes; M. Soares (orgs). Sonhos e Labores - O Cinquentenário do Primeiro Departamento de Ciência Política do Brasil, Belo Horizonte, Editora UFMG, no prelo.

CORTES, Soraya Vargas. (2003), “Sociologia e políticas públicas”, E. Marques; C.A.P de Faria (orgs), A política pública como campo multidisciplinar, Rio de Janeiro, Fiocruz.

DENIS, Jean-Louis; CHAMPAGNE, François (1997), “Análise da implantação”, Z. Hartz (org), Avaliação em Saúde: dos modelos conceituais à prática na análise da implantação de programas, Rio de Janeiro, Editora FIOCRUZ.

HAAS, Peter M. (1992), “Introduction: epistemic communities and international policy coordination”. International Organization, 47 (1).

JOHN, Peter. (2013), “Is there life after policy streams, advocacy coalitions, and punctuations: using evolutionary theory to explain policy change”, The Policy Studies Journal, Vol. 31, Nº 4, p.481-498.

KINGDON, John W. (1995), Agendas, Alternatives, and Public Policies. Segunda edição. Nova York, Harper Collins College Publishers.

LOWI, Theodore. (1964). “American Business, Public Policy, Case-Studies, and Political Theory”. World Politics, 16(4). 1964:677-715.

MARQUES, Eduardo; FARIA, C.A.P. (2013), A política pública como campo multidisciplinar, Rio de Janeiro, Fiocruz.

MARQUES, Eduardo; SOUZA, Celina. (2016), “Políticas públicas no Brasil: avanços recentes e agenda para o futuro”, L. Avritzer; C. Milani, Carlos; M. S. Braga, (Org). A ciência política no Brasil: 1960-2015. São Paulo. FGV, 2016. Cap. 10. p. 321-345.

MELO, Marcus André. Estado, governo e políticas públicas. 1999. IN: Sergio Miceli (org.). O que ler na ciência social brasileira (1970-1995). São Paulo/Brasília, Sumaré/Capes. Disponível em: . Acesso em 26 de maio de 2017.

MENICUCCI, Telma; LOTTA, Gabriela. “A trajetória das políticas sociais nos 30 anos desde a Constituição de 1988”, C. Buarque; L. Veiga (org), 30 anos da constituição de 1988. ABCP. Curitiba: Editora UFPR, 2018. No prelo.

MENICUCCI, Telma. (2018), “Prefácio”. D. de A. Ximenes (org), Implementação de Políticas Públicas - questões sistêmicas, federativas e intersetoriais. Brasília; Enap.

MENICUCCI, Telma; BRASIL, Flávia. (2010), “Construção de agendas e inovações institucionais: análise comparativa da reforma sanitária e da reforma urbana”, Estudos de Sociologia. Vol. 15, N. 29, p. 369-396, 2010.

PIRES,Valdemir; MIDLEJ E SILVA, Suylan de A.; FONSECA, Sérgio Azevedo; VENDRAMINI, Patrícia; COELHO, Fernando de Souza. (2014), “Dossiê - Campo de Públicas no Brasil: definição, movimento constitutivo e desafios atuais”, Administração Pública e Gestão Social, 6(3), jul-set 2014, 110-126.

SOUZA, Celina. (2003), “Estado da arte” da área de Políticas Públicas: conceitos e principais tipologias. XXVII Encontro Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais (ANPOCS). Caxambu, Minas Gerais. 2003. Disponível em: . Acesso em: 26 de maio 2017.

WEIR, Margareth. (1994), “Ideas and the politics of bounded innovation”, S. Steinno; K. Thelen; F. Lonstreth (eds), Structuring Politics: historical institutionalism in comparative analysis, Cambridge, Cambridge University Press.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Telma Menicucci

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

I S S N   0 1 0 4  –  7 0 9 4