Impactos das Opiniões a Respeito da Democracia Brasileira sobre as Escolhas do Eleitor "Terceira Via" nas Eleições Presidenciais (2002-2014)

Bruno Mello Souza

Resumo


As eleições presidenciais brasileiras se pautaram, desde os anos 1990 até 2014, pela polarização entre PT e PSDB. Porém, em 2018 essa lógica se rompeu com a eleição de Jair Bolsonaro (PSL), à presidência do país. Assim, este trabalho objetiva analisar, nos últimos anos, com dados dos Estudos Eleitorais Brasileiros (ESEB), os impactos das variáveis de representatividade e avaliação dos partidos, satisfação com a democracia e opinião sobre obrigatoriedade do voto, percepções acerca de PT e PSDB, além de escolaridade e faixa de renda domiciliar. sobre a escolha dos eleitores brasileiros de terceira via nos anos de 2002 (Anthony Garotinho), 2006 (Heloísa Helena), 2010 e 2014 (em ambos os anos, Marina Silva). Para tal, foi utilizado um modelo de regressão logística. Os dados examinados indicam que alguns aspectos importantes da democracia, como a satisfação com o sistema e a predisposição ao voto, e mais recentemente a avaliação que os cidadãos fazem dos partidos, poderiam vir a impactar nas escolhas de eleitores que viessem a romper com a polarização entre PT e PSDB.


Palavras-chave


Eleições; Cultura Política; Partidos; terceira via.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Jorge. (1999), “Lugar de fala, polissemia e paráfrase nos discursos de FHC e Lula sobre o Plano Real”, Ícone, I (4), pp. 168-202.

ALMOND, Gabriel; VERBA, Sidney. (1965), The civic culture: political attitudes and democracy in five nations. Boston: Little, Borwn and Company (Inc.).

AMARAL, Oswaldo; RIBEIRO, Pedro Floriano. (2015), “Por que Dilma de novo? Uma análise exploratória do Estudo Eleitoral Brasileiro de 2014”. Revista de Sociologia e Política, v. 23, n. 56, dezembro, pp. 107-123.

BAQUERO, Marcello. (2006), “Globalização e democracia inercial: o que o capital social pode fazer na construção de uma sociedade participativa?” In: BAQUERO, Marcello; CREMONESE, Dejalma (Orgs.). Capital Social: teoria e prática. Ijuí: Ed. Unijuí.

BAQUERO, Marcello. (2007), “Eleições e capital social: uma análise das eleições presidenciais no Brasil (2002-2006)”. Opinião Pública, v. 13, n. 2, pp. 231-259.

BORBA, Felipe. (2015), “Propaganda negativa nas eleições presidenciais brasileiras”. Opinião Pública, v. 21, n. 2, agosto, pp. 268-295.

BORBA, Julian. (2005), “Cultura política, ideologia e comportamento eleitoral: alguns apontamentos teóricos sobre o caso brasileiro”. Opinião Pública, v. 11, n. 1, março, pp. 147-168.

CARREIRÃO, Yan. (2004), “A eleição presidencial de 2002: uma análise preliminar do processo e dos resultados eleitorais”. Rev. Sociol. Polít., 22, junho, pp. 179-194.

CARREIRÃO, Yan. (2007), “Identificação ideológica, partidos e voto na eleição presidencial de 2006”. Opinião Pública, v. 13, n. 2, pp. 307-339.

FIGUEIREDO, Rubens; COUTINHO, Ciro. (2003), “A eleição de 2002”. Opinião Pública, v. IX, n. 2, outubro, pp. 93-117.

FREIDENBERG, Flávia. (2007), “Análisis de las elecciones en América Latina: septiembre 2005 a diciembre 2006”. Disponível em: http://americo.usal.es/oir/opal/elecciones/elecciones_Freidenberg06.pdf.

GUARNIERI, Fernando. (2014), “Comportamento eleitoral e estratégia partidária nas eleições presidenciais no Brasil (2002-2010)”. Opinião Pública, v. 20, n. 2, agosto, pp. 157-177.

GUGLIANO, Alfredo; JEREZ, Ariel. (1996), “Las elecciones brasileñas de 1994: ¿continuidad o cambio?”. América Latina Hoy, 13, pp. 73-79.

HOLZHACKER, Denilde; BALBACHEVSKY, Elizabeth. (2007), “Classe, ideologia e política: uma interpretação dos resultados das eleições de 2002 e 2006”. Opinião Pública, v. 13, n. 2, pp. 283-306.

INGLEHART, Ronald. (1990), Culture shift in advanced industrial society. New Jersey: Princeton University Press.

LAMOUNIER, Bolivar; FIGUEIREDO, Rubens (Orgs.). (2002), A era FHC: um balanço. São Paulo: Cultura Editores Associados.

LIMONGI, Fernando; CORTEZ, Rafael. (2010), “As eleições de 2010 e o quadro partidário”. Novos Estudos, 88, novembro, pp. 21-37.

MACHADO, Maria das Dores Campos. (2012), “Aborto e ativismo religioso nas eleições de 2010”. Revista Brasileira de Ciência Política, n. 7, pp. 25-54.

MANIN, Bernard. (1995), “As metamorfoses do governo representativo”. Revista Brasileira de Ciências Sociais, n. 29, pp. 5-34.

MARTINS, Joyce Miranda Leão. (2012), Política para eleitor ver: imaginários sociais e performances de Serra e Dilma no horário eleitoral de 2010. Dissertação de Mestrado, Fortaleza, UFC.

MARTINS, Paulo Henrique. (2002), “Cultura autoritária e aventura da brasilidade”. In BURITY, Joanildo, Cultura e identidade: perspectivas multidisciplinares, Rio de Janeiro, XX Editora, pp. 65-104.

MIGUEL, Luis Felipe. (1999), “Mídia e eleições: a campanha de 1998 na Rede Globo”. Dados, v. 42, n. 2.

MOISÉS, José Alvaro. (1995), Os brasileiros e a democracia: bases sócio-políticas da legitimidade democrática. São Paulo: Ática.

MUNDIM, Pedro Santos. (2012), “Imprensa e voto nas eleições presidenciais brasileiras de 2002 e 2006”. Rev. Sociol. Pol. v. 20, n. 41, fevereiro, pp. 123-147.

NICOLAU, Jairo. (2014), “Determinantes do voto no primeiro turno das eleições presidenciais brasileiras de 2010: uma análise exploratória”. Opinião Pública, v. 20, n. 3, dezembro, pp. 311-325.

NICOLAU, Jairo. (2015), “Eleições presidenciais nos municípios brasileiros: uma breve comparação dos resultados do primeiro turno de 2010 e 2014”, Em Debate, v. 7, n. 2, abril, pp. 29-41.

OLIVEIRA, Luiz Ademir. (2010), “A importância da mídia nas disputas eleitorais: as estratégias para 2010”. Em Debate, v. 2, n. 8, agosto, pp. 18-23.

PEIXOTO, Vitor; RENNÓ, Lúcio. (2011), “Mobilidade social ascendente e voto: as eleições presidenciais de 2010 no Brasil”. Opinião Pública, v. 17, n. 2, novembro, pp. 304-332.

PORTO, Mauro; GUAZINA, Liziane. (1999), “A política na tv: o horário eleitoral da eleição presidencial de 1994”. Revista Contracampo, v. III.

RANULFO, Carlos. (2010), “Os partidos e as eleições presidenciais no Brasil”. Em Debate, v. 2, n. 6, junho, pp. 6-11.

REIS, Fábio Wanderley. (2014), “Eleição de 2014: “país dividido” e questão social”. Em Debate, v. 6, n. 6, outubro, pp. 8-16.

SOUZA, Bruno Mello; MARTINS, Joyce Miranda Leão. (2015), “PT x PSDB: a atualização do embate político na eleição presidencial de 2014”. Revista Eletrônica de Ciência Política, v. 6, n. 1, pp. 26-47.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Bruno Mello Souza

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

I S S N   0 1 0 4  –  7 0 9 4