POR QUE E PARA ONDE OS GUINEENSES ESTÃO MIGRANDO? Uma proposta de análise do estado da arte sobre estudos das migrações na Guiné-Bissau

Juliana Vitorino, Mamadu Cissé

Resumo


Este artigo foi construído a partir da necessidade de sistematização e compreensão acerca das grandes tendências nos trabalhos que abordam a mobilidade humana da Guiné-Bissau. Partindo de uma contextualização histórica do país e de seus estudos sobre migração, criamos nexos teóricos e epistemológicos que guiaram e ainda guiam o entendimento sobre os deslocamentos humanos da Guiné-Bissau. A revisão sistemática de literatura foi o método escolhido e, assim, foi feita a coleta de 60 títulos que forneceram dados acadêmicos e dados de Organismos Internacionais e Estados. Este artigo tem como objetivo geral, descrever e analisar o estado da arte de estudos sobre processos da mobilidade dos guineenses. De forma complementar, buscamos também responder, por qual motivo e para onde os guineenses estão migrando.


Palavras-chave


Guiné-Bissau; Estudos migratórios africanos; Migrações guineenses

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, Alexandre. Mobilidade e migração na Guiné-Bissau: dinâmicas históricas e determinantes estruturais. Revista Internacional em Língua Portuguesa, Lisboa, Portugal. III Série, nº 24, pp. 145-161, 2011.

ALMEIDA, Jalcione; ROSENFIELD, Cinara L. A Sociologia e as migrações (editorial). In: Sociologias, Porto Alegre, v. 20, n. 49, p. 9-15, set-dez. 2018. Disponível em: . Acesso em: 27 jan. 2020.

BAENINGER, Rosana; DEMÉTRIO, Natália Belmonte; DOMENICONI, J. O. S. Espaços das Migrações Transnacionais: perfil sociodemográfico de imigrantes da África para o Brasil no século XXI. REMHU (BRASÍLIA), v. 27, 2019p. 35-60.

BIVAR, Vanessa dos Santos Bodstein. O Universo Familiar de Relações: a base cotidiana dos estrangeiros (São Paulo, 1827-1878). In: XIII Encontro Nacional de Estudos Populacionais - Violências, o Estado e a Qualidade de Vida da População Brasileira, 2002, Ouro Preto/MG. Anais do XIII Encontro Nacional de Estudos Populacionais, 2002.

BORGES, Manuela. Migrações e gênero: acerca das migrações guineenses em Portugal. 7º Congresso Ibérico de Estudos Africanos; painel 18: Vidas transnacionais: África/Península Ibérica; pp. 1-20. Lisboa, 2010.

BRANCANTE, Pedro Henrique; REIS, Rossana Rocha. A "securitização da imigração": mapa do debate. Lua Nova, São Paulo, n. 77, p. 73-104, 2009. Disponível em: . Acesso em: 28 dez. 2019.

CANDÉ MONTEIRO, A. O. Guiné Portuguesa versus Guiné-Bissau: a luta da libertação nacional e o projeto de construção do estado guineense. Revista A Cor das Letras (UEFS), v. 12, p. 223-238, 2011.

CARDOSO, Leonardo Fernando. Subsídios para o estudo do movimento migratório na Guiné-Bissau. Soronda - Revista de Estudos Guineenses", nº 003, janeiro de 2002; pp. 29-50. Fundação Mário Soares/DIP - Documentos INEP, Disponível em: < http://hdl.handle.net/11002/fms_dc_11331 >. Acesso em: 21 fev. 2020.

CASTLES, Stephen. ENTENDENDO A MIGRAÇÃO GLOBAL: Uma perspectiva desde a transformação social. Revista Journal of Ethnic and Migration Studies, v. 36, n. 10, 2010. Tradução de: Luana Faria.

CEDEAO et al. Estudo sobre as políticas de migração na África Ocidental. Realizado por: BACCHI, Alessia; DEVILLARD, Alexandre; NOACK, Marion. 2. ed. Áustria, Druckerei DGS Wien, jan. de 2016. Disponível em: < https://fmmwestafrica.org/wp-content/uploads/2017/02/pt-A_Survey_on_Migration_Policies_in_West_Africa_PO_SOFT2nd.pdf >. Acesso em: 20 jan. 2020.

CEITIL, José Júlio Mocho. “Sair da Guiné Bissau à boleia do futebol”: a migração de jovens guineenses para Portugal e a sua inserção no país de acolhimento (1998-2015). 2017. 89 f. Dissertação (Mestrado em Estudos Africanos) - Departamento de Ciência Política e Políticas Públicas – ISCTE/IUL, Lisboa, 2017.

CÓ, João Ribeiro Butiam. Migração e desenvolvimento na Guiné-Bissau: experiências e controvérsias de atores envolvidos no processo. Revista Internacional em Língua Portuguesa, Lisboa, Portugal. III Série, nº 24, pp. 131-144, 2011.

______. Migração guineense getorno: um mito ou uma realidade desencorajada?" 2002. 157 f. Dissertação (Mestrado em Sistemas Sócio-ganizacionais da Atividade Econômica) – ISEG/UTL, Lisboa, 2002.

______. Migrações e desenvolvimento: associações das comunidades imigrantes em Portugal e a sua participação no desenvolvimento do país de origem: o caso guineense. In: Europe des Migrations, Europe de Development; pp. 197-208, Ed. Karthala - Instituto Panos, Paris, França. 2004.

______. Os limites da racionalidade migratória no percurso e modos de incorporação dos migrantes guineenses (uma abordagem teórica) a - SOCIUS - ISEG UTL.

COSTA, Bernardino Ambrósio da. Diáspora Guineense como Agente de Desenvolvimento Local: o papel das Associações Guineenses em Portugal nos Projetos de Cooperação e Desenvolvimento na Guiné-Bissau. 2016. 113 f. Dissertação (Mestrado em Estudos de Desenvolvimento) – Escola de Ciências Sociais e Humanas/Departamento de Economia Política ISCTE, Lisboa, 2016.

COUTINHO, Ângela. As trajetórias dos fundadores do PAIGC (1923-1960). In: COLÓQUIO INTERNACIONAL CABO VERDE E GUINÉ-BISSAU: PERCURSOS DO SABER E DA CIÊNCIA Lisboa, 21-23 de jun. de 2012. Disponível em: . Acesso em: 21 jan. 2020.

DURAND, Jorge; LUSSI, Carmem. Metodologia e Teorias no Estudo das Migrações. Jundiaí, São Paulo, Paco Editorial: 2015. 136 p.

FOUCAULT, M. A vontade de saber. Trad. Maria Thereza da Costa Albuquerque e J. A. Guilhon Albuquerque. 12. ed. Rio de Janeiro: Graal, 1997.

______. Em defesa da sociedade. Trad. Maria Ermantina Galvão. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

GODINHO, Suzana Miguel. Novos possíveis: estratégias identitárias de mulheres oriundas da Guiné-Bissau em Portugal. 2007. 154 f. Dissertação (Mestrado em Sociologia). – Instituto Superior das Ciências do Trabalho e da Empresa/ISCTE, Lisboa, 2007.

GOMES, Davidson Arrumo. Integração da comunidade de Guiné-Bissau em Cabo Verde: o caso da Praia. 2010. 133 f. Trabalho de Conclusão de Curso – monografia (Licenciatura em Ensino de História) - Departamento das Ciências Sociais e Humanas/Universidade de Cabo Verde, Praia, 2010.

GONZÁLEZ, David. Os primeiros guineenses em Cuba. Soronda - Revista de Estudos Guineenses", nº 019, janeiro de 1995; pp. 3-24. Fundação Mário Soares/DIP - Documentos INEP, Disponível em: . Acesso em: 21 fev. 2020.

GUIMARÃES, Jarsen Luis Castro. Abordagens teóricas sobre migrações. In: WebArtigos. Set. de 2010. Disponível em: . Acesso em: 24 jan. 2020.

GUINÉ-BISSAU. Governo da Guiné-Bissau. PROGRAMA DE EMERGÊNCIA do GOVERNO da X LEGISLATURA. Bissau, ago. 2019, 20 p.

______. Governo da Guiné-Bissau. Programa do Governo da X Legislatura (2019-2023). Bissau, ago. 2019, 57 p.

______. Instituto Nacional de Estatística da Guiné-Bissau (INE-GB). Migrações. In: Terceiro recenseamento geral da população e habitação de 2009. Bissau, 2009. Disponível em: . Acesso em: 19 dez. 2019.

______. Ministério de Assuntos Estrangeiros, Cooperação Internacional e Comunidades. Documento quadro de parceria (DCP). Bissau, 18 jul. 2008, 15 p.

HENRIQUES, Maria Adelina. Argumentos para uma viagem sem regresso. A emigração PALOP por via da saúde: um estudo de caso. 2010. 126 f. Dissertação (Mestrado em Demografia e Sociologia da População) – ISCTE/Instituto Universitário de Lisboa, 2010.

INDEQUI, Jairson Carlos. Envio de Remessas Informais de Emigrantes Guineenses. 2012. 149 f. Dissertação (Mestrado em Estudos Africanos: Análise e Gestão do Desenvolvimento Social e Económico) – Departamento de Ciência Política e Políticas Públicas – ISCTE/IUL, Lisboa, 2012.

LIMA, Arieche Kitiane. Migração e subjetividade: Uma revisão de literatura sobre o processo migratório e suas implicações psicossociais. In: I SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOCIEDADE E FRONTEIRAS. 2012, Boa Vista. Disponível em: . Acesso em: 29 dez. 2019.

LIMA, Samuel de Andrade; LIMA H. M. Ferreira. FORMAÇÃO ACADÊMICA GUINEENSE NO BRASIL: cooperação e multiculturalismo. Revista de Ciências Humanas – Educação, v. 17, n. 28, jul. 2016, p. 60-81.

LUCAS, Romão P. Júnior. Índice do Boletim Cultural da Guiné Portuguesa [inclui bibliografias do Antônio Carreira], publicação trimestral. nº 1 a 110, anos: 1946 a 1973. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas, ago. 1991. Bissau, 77 p.

M’BALI, Faustino. O Estado e os camponeses perante o constrangimento do desenvolvimento. Soronda - Revista de Estudos Guineenses", nº 008, julho de 1989; pp. 63-86. Fundação Mário Soares/DIP - Documentos INEP, Disponível em: < http://hdl.handle.net/11002/fms_dc_11347 >. Acesso em: 21 fev. 2020.

MACHADO, Fernando Luís. Da Guiné-Bissau a Portugal: Luso-guineenses e emigrantes. Revista Sociologia, Problemas e Práticas. Nº 26, pp. 9-56, 1998.

______. Etnicidade e sociabilidades dos guineenses em Portugal. In: Etnografias Urbanas, cap. 10: pp. 131-142. Lisboa: Etnográfica Press, 2003.

MAIYEGUN, Olawale. Papel dos processos consultivos regionais na condução das negociações do pacto global sobre migração: o caso da África. Revue International Migration, vol. 57, ed. nº 6, 2019; pp. 258-272. Disponível em: < https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1111/imig.12604 >. Acesso em: 24 fev. 2020.

MONSMA, Karl; TRUZZI, Oswaldo. Sociologia das migrações: entre a compreensão do passado e os desafios do presente (apresentação do dossiê). In: Sociologias, Porto Alegre, v. 20, n. 49, p. 18-23, set-dez. 2018. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/soc/v20n49/1807-0337-soc-20-49-18.pdf >. Acesso em: 26 jan. 2020.

Observatoire ACP sur les migrations et Organisation internationale pour les migrations (OIM). AWUMBILA, Mariama; BENNEH, Yaw; TEYE, Joseph Kofi; ATIIM, George. Traverser des fronteires artificielles: une évaluation des migrations professionnelles dans la région CEDEAO (autores do relatório de pesquisa). 2014, 168 p.

______. GUEYE, Doudou Dièye. Transferts immateriels et migrations sud-sud: quel impact sur le développement local en Casamance, Gambie et Guinée-Bissau? (autores do relatório de pesquisa). 2014, 72 p.

PATARRA, Neide Lopes. Migrações internacionais: teorias, políticas e movimentos sociais. In: Estudos avançados. São Paulo, v. 20, n. 57, p. 7-24, ago. de 2006. Disponível em . Acesso em: 27 jan. 2020.

PEIXOTO, João. "As Teorias Explicativas das Migrações: Teorias Micro e Macro-Sociológicas". Editora: Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG) – SOCIUS. Lisboa, nº 11/2004. Disponível em: . Acesso em: 24 dez. 2019.

REIS, Rita Antunes dos. InDel e SNP: Caracterização Genética das Populações Imigrantes de Cabo Verde e Guiné-Bissau a residir na Região de Lisboa. 2014. 139 f. Dissertação (Mestrado em Biologia Molecular em Saúde) – Escola Superior de Saúde Egas Moniz/Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses, Lisboa, 2014.

RIBEIRO, Margarida Calafete. Luanda, Lisboa, Paraíso? In: Portal Buala, 26 de dez. 2019. Disponível em: . Acesso em: 29 dez. 2019.

RIBEIRO, Renata Maria Franco. Africanos guineenses: migração para fins estudantis na ”Terra luz” Fortaleza – Ceará. Revista Africanidades; ano X, nº 28, out. 2018.

RIBEIRO, Rui. Os Censos e as sociedades camponesas. Soronda - Revista de Estudos Guineenses", nº 001, janeiro de 1986; pp. 109-124. Fundação Mário Soares/DIP - Documentos INEP, Disponível em: < http://hdl.handle.net/11002/fms_dc_11332 >. Acesso em: 21 fev. 2020.

SASAKI, Elisa Massae; ASSIS, Gláucia de Oliveira. Teorias das Migrações Internacionais. GT – Migração: Seção 3 – A migração internacional no final do século. In: XII Encontro Nacional da Associação Brasileira de Estudos Populacionais/ABEP, outubro de 2000, Caxambu. Disponível em: Acesso em: 20 jan. 2019.

SILVA, Antônio Gislailson Delfino da. Trajetórias de estudantes guineenses no brasil: do processo de integração ao regresso/retorno. 2016. 112 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharel em Humanidades) – Instituto de Humanidades e Letras/UNILAB, Ceará, Brasil, 2016.

SUBUHANA, Carlos; IMPANTA, Iadira Antônio. Gênero e Migração: cruzando histórias e trajetórias das estudantes guineenses na UNILAB, Ceará, Brasil. In: III Simpósio Nacional sobre Democracia e Desigualdades, 2016, Brasília/DF – UnB. 2016. p. 1-21.

TAVARES, Wilton Rosário Semedo. ANDRADE, Luma Nogueira de. O processo de migração dos jovens guineenses para o acesso à educação superior na UNILAB. Anais da II Semana Universitária, 2015.

TCHAM, Ismael. Caminhos de Formação Acadêmica dos Estudantes Africanos no Mundo e no Brasil: Chegadas, estratégias de Permanência, Sociabilidades, Dilemas e Retornos Possíveis. Gênero & História (UFPE), v. 09, p. 145-167, 2012.

UNITED NATIONS. Department of Economic and Social Affairs. International Migrant Stock 2019: Country Profile Guiné-Bissau. Source: UN DESA, 2019a.

VELEZ DE CASTRO, Fátima. Os migrantes e o (s) território (s). Na busca pela segurança ontológica. In: I ENCONTRO INTERNACIONAL SOBRE MIGRAÇÕES. Faro, Portugal, 2010. 35 p. Disponível em: < http://www.uc.pt/fluc/cegot/pdfs/fatima5 > Acesso em: 26 dez. 2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Juliana Vitorino, Mamadu Cissé

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

I S S N   0 1 0 4  –  7 0 9 4